COLONIZAÇÃO, TERRITÓRIO E INTERCULTURALIDADE: POSSIBILIDADES E RESISTÊNCIAS

  • Karla Lucia Bento
  • Lilian Blanck de Oliveira

Resumo

Esse artigo apresenta a organização da educação escolar indígena intercultural do Povo Laklãnõ/Xokleng como possibilidade de resistência e rompimento de colonialidades. Desde a chegada de europeus à região Sul do Brasil, esse Povo busca formas de resistir e preservar a história e cultura diante das imposições da sociedade não indígena. O objetivo do estudo é identificar práticas educacionais que rompam com as colonialidades produzidas. A metodologia teve por base a pesquisa participante e como sujeitos os professores indígenas. Os resultados apontam que a comunidade identifica a escola como instrumento de fortalecimento da cultura e forma de apropriação de conhecimentos da sociedade não indígena importantes na luta por direitos ainda violados. A partir disso, concluímos que as estratégias resistência do Povo envolvem práticas dialógicas da educação intercultural.

Publicado
2020-04-26
Seção
Dossiê: PROCESSOS DECOLONIAIS EM TERRITÓRIOS INDÍGENAS E AFRODESCENDENTES