"PRIMEIRO NÓS SOMOS INDÍGENAS E DEPOIS NÓS SOMOS PROFESSORES": EDUCAÇÃO ESCOLAR E IDENTIDADE ÉTNICA DO POVO KAMBIWÁ

  • Diana Cibele de Assis Ferreira
  • Sandro Guimarães de Salles

Resumo

O povo Kambiwá está localizado no Sertão do Moxotó, no estado de Pernambuco, entre os municípios de Ibimirim, Inajá e Floresta, tendo a sua população distribuída em oito aldeias. O presente artigo é parte de uma pesquisa que teve como objetivo analisar a influência da identidade étnica na prática dos professores e professoras Kambiwá. Na ocasião, procurávamos mostrar, a partir das observações e conversas com a comunidade, que essa prática docente está orientada pelos saberes, aprenderes e ensinares do povo. A pesquisa que deu origem a este trabalho apontou inúmeros desafios e fragilidades enfrentados tanto pelos(as) professores(as) Kambiwá quanto pelos demais professores em Pernambuco em seus processos formativos. Com efeito, por seu caráter assimilacionista e racista, os espaços de formação, tanto em nível básico quanto superior, não se encontram abertos a outros sistemas de conhecimentos e culturas. A pesquisa mostrou que, apesar dos processos formativos dos professores indígenas sofrerem influência do projeto colonial e individualizante do sistema, em contraposição às identidades indígenas, com sólida fundação comunitária (HÉCTOR, 2005), a prática docente dos professores e professoras da educação escolar Kambiwá é orientada pela e para a identidade étnica.

Publicado
2020-04-26
Seção
Dossiê: PROCESSOS DECOLONIAIS EM TERRITÓRIOS INDÍGENAS E AFRODESCENDENTES