INTERCULTURALISMO(S) E IMIGRAÇÃO: ALGUMAS QUESTÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA PORTUGUESA E ESPANHOLA

Resumo

O problema que o presente artigo se propõe a investigar refere-se à pertinência do interculturalismo para a questão imigratória, em especial, em Portugal e na Espanha. Seu argumento central baseia-se em uma perspectiva polissêmica sobre interculturalismo, isto é, o interculturalismo como chave analítica, como expressão de políticas de integração e gestão e como tradução da sociedade do consumo. Propomos, assim, que o interculturalismo oferece possibilidades analíticas para compreender a diversidade cultural e suas tensões entre diferenças e desigualdades, que dentro dos limites políticos dos Estados-nação representou avanços quando comparado com outros modelos anteriores e nos permite pensar várias dimensões da diversidade cultural produzida pela presença de imigrantes. O artigo foi desenvolvido com base em pesquisa bibliográfica, observação direta e entrevistas qualitativas e pretende oferecer contribuições para pensar os limites e avanços do debate teórico e político sobre as questões migratórias em especial nos 15 primeiros anos do século XXI.

Palavras-chave: Interculturalismo. Políticas imigratórias. Sociedade do consumo. Chave-analítica.

Biografia do Autor

Marcelo Alario Ennes, Universidade Federal de Sergipe - UFS

Doutor em Sociologia. Docente do Departamento de Ciências Sociais e Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Sergipe. Researcher Id: H-6941-2016.

Referências

BAUDRILLARD, Jean. A sociedade de consumo. Lisboa: Edições 70. S/D.

BAUMAN, Zymunt. Vida para consumo. 1. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

BERRY, John W. Intercultural Relations in Plural Societies: Research Derived from Multiculturalism Policy. Acta de Investigación Psicológica, n. 3 (2), p. 1122-1135, 2013.

CANCLINI, Néstor Garcia. A globalização imaginada. São Paulo: Iluminuras, 2007.

CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas híbridas. 4. Ed. São Paulo: Edusp, 2008.

CASTORIADIS, Cornelius. Reflexões sobre o racismo. In: CASTORIADIS, Cornelius. O mundo fragmentado: as encruzilhadas do labirinto/3. Rio de Janeiro: Paz e Terras, 1992, p. 27-41.

DIETZ, Gunther. La interculturalidad entre el ‘empoderamiento’ de minorias y la’gestión’ de la diversidad. Puntos de vista: inteculturalidad. Madrid, n. 12, v. 3, dec., 2007.

ELIAS, Norbert. Introdução à sociologia. Lisboa: Edições 70, 2005.

ENNES, Marcelo Alario; RAMOS, Natalia; SUARÉZ, Belén. O Lugar do Interculturalismo nas Políticas. Imigratórias em Portugal e Espanha. Revista TOMO, São Cristóvão, Sergipe, Brasil, n. 32, p. 243-268, jan./jun., 2018.

ENNES, Marcelo Alario; RAMOS, Natalia. A Presença brasileira em Portugal: Interculturalismo e consumo cultural. In: BÓGUS, L., BAENENGER, R. A Nova Face da Emigração Internacional no Brasil. São Paulo: Educ, 2018b, p. 265-286.

ENNES, Marcelo Alario. Aprender com o imigrante: A produção multi/intercultural da diversidade em Portugal. Cadernos CERU/USP, v. 25, n. 1, p. 197-224, 2014.

ENNES, Marcelo Alario. Produção da diversidade: identidades e imigração. Revista Brasileira de Sociologia, v. 4, p. 217-286, 2016.

GONZÁLEZ, Carlos Vázquez. Inmigración, diversidad y conflicto cultural: Los delitos culturalmente motivados cometidos por inmigrantes. (especial referencia a la mutilación genital femenina). Madrid: Dykinson, 2010.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais Belo Horizonte: Humanitas, 2009.

HELD, D. Cultura nacional, globalización de las comunicaciones y comunidad política. In: SAMPEDRO, Victor, LLERA, Mar (eds.). Interculturalidad: interpreter, gestionar y comunicar. Barcelona: Edicions Bellaterra. 2003. p. 33-50.

INNERARITY, D. Políticas de la identidad. In: SAMPEDRO, Victor, LLERA, Mar (eds.). Interculturalidad: interpretar, gestionar y comunicar. Barcelona: Edicions Bellaterra, p. 69-80, 2003.

INSTITUTO Nacional de Estatística. 2018. Estatísticas demográfica. Lisboa: INE. Disponível: https://ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes&PUBLICACOESpub_boui=348174760&PUBLICACOESmodo=2, 2018. Acesso em 15 mar. 2021.

KUMAR, Rahul. Portugal aos portugueses: a extrema direta depois de 25 de abril. In: DIAS, Bruno Peixe, Dias Nuno. Imigração e racismo em Portugal. O lugar do outro. 1. ed. Lisboa: Edições 70, 2012. p. 91-113.

MARCON, Franc Nilton. O kuduro como expressão da juventude em Portugal: estilos de vida e processos de identificação. Estado e Sociedade, v. 28, n. 1, p. 75-90, 2013.

MEER, Nasar, Modood, Tariq. How does interculturalism contrast with multiculturalismo. Journal of Intercultural Studies, v. 33, n. 2, april, p. 175-196, 2012.

OLIVEIRA, Catarina Reis, GOMES, Natália. (org.). Indicadores de integração de imigrantes. Relatório estatístico anual. Lisboa: Observatório das migrações, 2017.

OLIVEIRA, Nuno. “Portugal não é um país pequeno’. Reload – ‘Terceira via’ ou a despolitização da diferença.? In: DIAS, Bruno Peixe; DIAS, Nunes. (org.). Imigração e racismo em Portugal: o lugar do outro. Lisboa: Edições 70/Le Monde Diplomatique, p. 48-71, 2012.

ONGHENA, Yolanda. Reintepretar para gestionarla diversidade cultural. In. SAMPEDRO, Victor, LLERA, Mar [eds.] Interculturalidad: interpretar, gestionar y comunicar. Madrid: Barcelona, 2003, p. 51-65.

ONU. Trends in international migrant stock: The 2017 revision. (United Nations database, POP/DB/MIG/Stock/ Rev.2017). 2017. Disponível em: https://www.un.org/en/development/desa/population/migration/data/estimates2/estimates17.asp. Acesso em 04 out. 2019.

PORTUGAL. Plano de integração do Imigrante. 2007-2008. Lisboa: ACIDI. (S/D).

PORTUGAL. II Plano de integração do Imigrante. 2010-2013. Lisboa: ACIDI. (S/Db).

RAMOS, Natalia. Interculturalidade e alteridade: dinâmicas, contextos e políticas. In: SERAFIM, José Francisco, TOUTAIN, Lídia Brandão e GEFFROY, Yannick. Perspectivas em informação visual. Cultura, percepção e representação. Salvador, EDUFBA, 2010, p. 27-56.

SAID, Edward W. Introdução. In.: SAID, Edward. Orientalismo: o oriente como invenção do ocidente. São Paulo: Cia. das Letras. 2007, p. 27-60.

SAMPEDRO, Victor, Llera, Mar (eds.). Interculturalidad: interpretar, gestionar y comunicar. Madrid: Barcelona, 2003.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Se Deus fosse um ativista dos direitos humanos. Coimbra, Almedina, 2013.

SANTOS, Boaventura de Souza. Por uma concepção multicultural de direitos humanos. In: FELDMAN-BIANCO, Bela; CAPINHA, Graça (org). Identidades. São Paulo: Hucitec, 2000, p. 19-39.

SAPO. Portugal está entre os países mais racistas da Europa. Disponível em: https://sol.sapo.pt/artigo/561219/portugal-esta-entre-os-paises-mais-racistas-da-europa. Acesso em: 24 ago. 2018.

SENNET, Richard. Carne e pedra. O corpo e a cidade na civilização ocidental. Rio de Janeiro: BestBolso, 2008.

SILVA, Tomaz Tadeu. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz Tadeu. Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis: Vozes, p. 73-102, 2000.

ZAPATA-BARRERO, Ricard. Interculturalism in the post-multicultural debate: a defence. Comparative migration studies. n. 5, v. 14, p. 01-23, 2017.

Publicado
2021-04-16
Seção
SEÇÃO LIVRE