A VOZ INAUDÍVEL DE PONCIÁ VICÊNCIO: LITERATURA NEGRA E TRADIÇÃO

Palavras-chave: Literatura Negra, Vazio, Autodefinição, Reconhecimento

Resumo

Este texto pretende tecer recortes e considerações sobre o romance Ponciá Vicêncio de Conceição Evaristo, explorando algumas questões sociais, de gênero, raça, violência, autoausência, em diálogo com a noção de literatura negra, compondo um mosaico acerca do nomear, do autodefinir-se enquanto partes, braços de um corpo-literário, de uma tradição-nação carente da perspectiva social negra. Partindo da visão de grupos subalternos historicamente silenciados rumo à complexidade germinal da mulher negra anônima que alcança o espaço das Letras, da representatividade, da escuta e logo reconhecimento na Literatura Brasileira. Como suporte crítico adotam-se algumas ideias de Lélia Gonzalez, Eduardo de Assis Duarte, Regina Dalcastagnè e Gayatri Spivak.

Biografia do Autor

Tatiara Pinto, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Doutoranda em Literatura (UFSC/CAPES). Mestra em Literatura (UFSC). Membro do Grupo de Pesquisa NECLIT (Núcleo de Estudos Contemporâneos de Literatura Italiana).

Referências

ALVES, Miriam. BrasilAfro Autorrevelado: Literatura Brasileira Contemporânea. Belo Horizonte: Nadyala, 2010.

ARAUJO, Rosangela. A Escrevivência de Conceição Evaristo em Ponciá Vicêncio: encontros e desencontros culturais entre as versões do romance em português e em inglês. 2012. 198 f. Tese. (Doutorado em Letras) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2012.

ARRUDA, Aline. Ponciá Vicêncio de Conceição Evaristo: um bildungsroman feminino e negro. 2007. 106 f. Dissertação. (Mestrado em Estudos Literários) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

BASTIDE, Roger. A poesia Afro-brasileira. São Paulo: Martins Fontes, 1943.

BORGES, Rosane. Escrevivência em Conceição Evaristo: armazenamento e circulação dos saberes silenciados. In: DUARTE, Constância Lima; NUNES, Isabella Rosado. (Orgs). Escrevivência: a escrita de nós. Reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. Rio de Janeiro: Mina, 2020.

CANDIDO, Antônio. Racismo: crime ontológico [Entrevista]. Ethnos Brasil, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 21-28, mar. 2002.

CARDOSO, Viviane Coelho. A (polêmica) literatura afro-brasileira. Brasil Escola, Goiânia [2021]. Disponível em: https://meuartigo.brasilescola.uol.com.br/literatura/a-polemica-literatura-afrobrasileira.htm. Acesso em: 15 mar. 2021.

COLLINS, Patricia Hill. O pensamento feminista negro. Trad. Jamile Pinheiro Dias. São Paulo: Boitempo, 2019.

CUTI. O leitor e o texto afro-brasileiro. In: FIGUEIREDO, Maria do Carmo; FONSECA, Maria Nazareth Soares. (Orgs.). Poéticas afro-brasileiras. Belo Horizonte: Mazza, PUC Minas, 2012.

CUTI. O Poeta Cuti responde ao Poeta Ferreira Gullar sobre a inexistência de uma Literatura Negra. CEERT, São Paulo, 12 dez. 2011. Disponível em: https://ceert.org.br/noticias/historia-cultura-arte/1788/o-poeta-cuti-responde-ao-poeta-ferreira-gullar-sobre-a-inexistencia-de-uma-literatura-negra. Acesso em: 15 mar. 2021.

DALCASTAGNÈ, Regina. Estre silêncios e estereótipos: relações raciais na literatura brasileira contemporânea. In: DALCASTAGNÈ, Regina; EBLE, Laeticia J. (Orgs.). Literatura e Exclusão. Porto Alegre: Zouk, 2017.

DUARTE, Constância Lima. Gênero e Violência na literatura afro-brasileira. Portal Literafro – UFMG, Belo Horizonte, 4 fev. 2018. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/literafro/artigos/artigos-teorico-conceituais/47-constancia-lima-duarte-genero-e-violencia-na-literatura-afro-brasileira. Acesso em: 24 abr. 2021.

DUARTE, Eduardo de Assis. Por um conceito de literatura afro-brasileira. In: DALCASTAGNÈ, Regina; EBLE, Laeticia J. (Orgs.). Literatura e Exclusão. Porto Alegre: Zouk, 2017.

EVARISTO, Conceição. A literatura negra: uma poética na nossa afro-brasilidade. SCRIPTA, Belo Horizonte, v. 13, n. 25, p. 17-31, 2º sem. 2009.

EVARISTO, Conceição. Clamar no deserto: entre o poder falar e poder se fazer ouvir. Conferência no Fazendo o Gênero 12. Publicado pelo canal Fazendo o Gênero 1. UFSC: Florianópolis, 2021. 1 vídeo (1:02:59s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=WimOFw-5gRU&t=155s. Acesso em: 26 jul. 2021.

EVARISTO, Conceição. Da grafia-desenho de minha mãe, um dos lugares de nascimento de minha escrita. XI Seminário Nacional Mulher e Literatura/II Seminário Internacional Mulher e Literatura, Rio de Janeiro, 2005. In: ALEXANDRE, Marcos. (Org.). Representações Performáticas Brasileiras: teorias, práticas e suas interfaces. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2007. p 16-21.

EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio. Rio de Janeiro: Pallas, 2017.

FONSECA, Maria Nazareth Soares. Poesia afro-brasileira: vertentes e feições. Portal Literafro – UFMG, Belo Horizonte, 1 jul. 2021. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/literafro/artigos/artigos-teorico-conceituais/160-maria-nazareth-soares-fonseca-poesia-afro-brasileira-vertentes-e-feicoes. Acesso em: 8 ago. 2021.

GONZALEZ, Lélia. A mulher negra na sociedade brasileira: uma abordagem política-econômica. In: RODRIGUES, Carla; BORGES, Luciana; RAMOS, Tânia. (Orgs.). Problemas de gênero. Rio de Janeiro: Funarte, 2016.

GULLAR, Ferreira. Preconceito cultural. Folha de São Paulo (Ilustrada), São Paulo, 3 dez. 2011.

IANNI, Octavio. Literatura e consciência. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. Edição Comemorativa do Centenário da Abolição da Escravatura, São Paulo, nº 28, São Paulo, 1988.

MARQUES, Jorge. Histórias que pulsam. Insubmissas lágrimas de mulheres. In: Fórum de Literatura Brasileira Contemporânea. Rio de Janeiro, v. 4, n.7, 2012. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/flbc/article/view/17415. Acesso em: 14 maio 2021.

PEREIRA, Edimilson. Panorama da literatura afro-brasileira. Portal LiterAfro – UFMG, Belo Horizonte, 2 jul. 2021. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/literafro/artigos/artigos-teorico-conceituais/147-edimilson-de-almeida-pereira-panorama-da-literatura-afro-brasileira. Acesso em: 22 ago. 2021.

PINTO, Tatiara. O sono e o sonho na poética de Franco Fortini. 2019. 219 f. Dissertação. (Mestrado em Literatura) Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2019.

RIBEIRO, Djamila. Quem mandou matar Marielle? Racismo estrutural no Brasil. (Com Djamila Riebiro e Lilia Schwarcz). Publicado pelo canal Brazil LAB at Princeton University. 1 vídeo (1:14:30s). [S. 1.]: Brazil Lab. 2021. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=LyvSO13_fmA&t=1890s. Acesso em: 11 mar. 2021.

SILVA, Cidinha da. Canções de amor e dengo. São Paulo: Me Parió Revolução, 2016.

SISCAR, Marcos. Poesia e crise. Campinas: Editora Unicamp, 2011.

SOUZA, Florentina; LIMA, Maria. (Orgs.) Literatura Afro-Brasileira. Salvador: CEAO; Brasília: Fundação Palmares, 2006.

SPIVAK, Gayatri. Pode o subalterno falar? Trad. Sandra Almeida, Marcos e André Feitosa. Belo Horizonte: UFMG, 2010.

Publicado
2021-10-27
Seção
Abordagens pós-coloniais