REMEMORAÇÕES E ESCREVIVÊNCIAS NA CONSTRUÇÃO IDENTITÁRIA DE PONCIÁ VICÊNCIO

Palavras-chave: Escrevivência, Rememoração, Identidade Afro-diaspórica, Ancestralidade

Resumo

Reconhecendo a densidade literária do romance Ponciá Vicêncio (2003) de Conceição Evaristo, o trabalho aqui apresentado tem como objetivo fomentar a discussão acerca da importância da rememoração, baseada na memória ancestral negro-brasileira, e do conceito de Escrevivência, escrita pautada na experiência e vivência do ser negro, criado por Conceição, para a construção identitária da personagem Ponciá, mulher negra em uma sociedade pós-abolicionista, cujo nome dá título à primeira publicação solo da autora.

Biografia do Autor

Simone dos Santos Pinto de Assumpção Vieira, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Ciência da Literatura na Área de Literatura Comparada (UFRJ); Professora de Literatura e Língua Portuguesa nas redes estadual e municipal de ensino do Rio de Janeiro.

Referências

ALVES, Miriam. Cadernos Negros 8. Organização Quilombhoje. São Paulo: Edição dos autores,1985.

ANZALDÚA, Gloria E. “Falando em línguas: uma carta para as mulheres escritoras do terceiro mundo”. Revistas Estudos Feministas, Florianópolis, v. 8, n. 1, p. 229-236, 1. sem. 2000.

EVARISTO, Conceição. Depoimento. Entrevista concedida a Bárbara Araújo Machado. Rio de Janeiro, 30 set. 2010.

EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio.1. ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2017.

EVARISTO, Conceição. Escrevivências: a escrita de nós: reflexões sobre a obra de Conceição Evaristo. 1.ed. Rio de Janeiro: Mina Comunicação e Arte,2020.

GOTLIB, Nádia Battela. A literatura feita por mulheres no Brasil. Disponível em: http://www.amulhernaliteratura.ufsc.br/artigo_nadia_gotlib.htm. Acesso em 10. Mar. 2005.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Editora dos Tribunais,1990.

HALL, Stuart. Identidade Cultural e Diáspora. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n.24, p 68-75,1996.

MARTINS, Leda Maria. Performances do tempo e da memória: os congados. O Percevejo – Revista de Teatro, Crítica e Estética, Rio de Janeiro, ano 11, n. 12, p. 68-83, 2003.

RICOEUR, Paul. Memória, a história, o esquecimento. Tradução de Alain François et al. Campinas: Editora da UNICAMP, 2007.

SANTOS, Juana Elbein dos. Os Nagô e a morte: pàde, àsèsè e o culto Egun na Bahia. Petrópolis, RJ: Vozes, 1986.

Publicado
2021-10-27
Seção
Abordagens pós-coloniais