NARRATIVAS CONTRACOLONIAS EM O CRIME DO CAIS DO VALONGO

Palavras-chave: Contracolonial, Memória, Diáspora, Cais do Valongo

Resumo

A produção literária de escritoras negras tem sido aquela que mais questiona os apagamentos e silenciamentos históricos e epistêmicos dentro do texto nacional canônico. O negro dentro do cânone é sistematicamente retratado a partir de estereótipos e no lugar de outro. Neste trabalho, a pretendo analisar, a partir de teóricos como Homi Bhabha, Beatriz Nascimento e Guerreiro Ramos, como a obra O Crime do Cais do Valongo, da escritora Eliana Alves Cruz, publicado em 2018, faz uma leitura crítica da memória e da história negra partindo dos próprios negros, deslocando o lugar da representação para a representatividade e criando uma narrativa da história que rompe com a ideia do negro como o outro.

Biografia do Autor

Iasmin Rocha da Luz Araruna de Oliveira, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Bolsista CAPES e doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Literatura da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mestre em Literatura Portuguesa pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Participante do Grupo de Pesquisa Nós do Insólito: vertentes da ficção, da teoria e da crítica na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Referências

BATALHA, Maria Cristina. Relatos e travessias em Eliana Alves Cruz. PragMATIZES – Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura. Niterói, RJ, Ano 10, n 18, p. 246-265, out. 2019 e março de 2020.

BHABHA, Homi. O local da cultura. – 2. Ed. – Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

BERNARDINO-COSTA, J.; GROSFOGUEL, R. Decolonialidade e perspectiva negra. Sociedade e Estado. Brasília, v. 31, n. 1, p. 15-24, Abr. 2016.

CARVALHO, Marcus J. M. de. Cidades escravagistas. In: SCHWARCZ, Lilia Moritz; GOMES, Flávio dos Santos (Org.). Dicionário da escravidão e da liberdade: 50 textos críticos. São Paulo, 2018, p. 156-180.

CRUZ, Eliane Alves. Entrevista com Eliana Alves Cruz. Medium Books, 2018a. Disponível em: https://medium.com/blooks/entrevista com-eliana-alves-cruz dez. 2019. Acesso em: 18 set. 2020.

CRUZ, Eliane Alves. O crime do Cais do Valongo. Rio de Janeiro: Malê, 2018b.

CRUZ, Eliane Alves. SEMOG, Éle; UZÊDA, André. Entrevista: Eliana Alves Cruz e Éle Semog. Revista Perspectivas em educação básica. Rio de Janeiro, v.2, p. 14-28, dez. 2018c. Disponível em:https://perspectivasemeducacao.blogspot.com/2018/11/entrevista-ele-semog-e-eliana-alves.html Acesso em: 19 set. 2020.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Tradução de Renato de Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

FARIAS, Juliana Barreto e GOMES, Flávio dos Santos [et al]. Cidades negras: africanos, crioulos e espaços urbanos no Brasil escravista do século XIX. São Paulo: Alameda, 2006.

GUIMARÃES, Geny Ferreira. Rio Negro de Janeiro: olhares geográficos de suas heranças negras e o racismo no processo-projeto patrimonial. 2015. Tese (Doutorado em Geografia). Programa de Pós-graduação em Geografia (PGGO) da Universidade Federal da Bahia, 2015.

GURAN, MILTON. In: JANSEN, Roberta. Cais do Valongo, símbolo de um crime contra a humanidade. Deutsche Welle, 2017. Disponível em: https://www.dw.com/pt-br/cais-do-valongo-s%C3%ADmbolo-de-um-crime-contra-a-humanidade/a-39663866 Acesso em: 27 set 2020.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. Tradução: Renata Santini. São Paulo: N-1 edições, 2020.

MIRANDA, Fernanda Rodrigues. “Narrativa e experiência histórica nos romances de autoras negras brasileiras: silêncios prescritos”. Revista Crioula, São Paulo, n0 23, p. 213-229, 1. sem. 2019.

NASCIMENTO, Beatriz. Filme Ori (texto). Direção: Raquel Guerber. São Paulo: Angra Filmes, 131 minutos, 1989.

OLIVEIRA, Flávia. Prefácio. In: O crime do Cais do Valongo. Rio de Janeiro: Malê, 2018.

RAMOS, Guerreiro. O negro desde dentro. In: Introdução crítica à sociologia brasileira. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1995, p. 241-248.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Introdução. In: SCHWARCZ, Lilia Moritz; GOMES, Flávio dos Santos (Org.). Dicionário da escravidão e da liberdade: 50 textos críticos. São Paulo, 2018.

SIMAS, Luiz Antônio. O Crime do Cais do Valongo é literatura da melhor qualidade. O Globo, Caderno da Cultura, 2 de junho de 2018. Disponível em: http://www.letras.ufmg.br/literafro/resenhas/ficcao/1189-o-crime-do-cais-do-valongo-e-literatura-da-melhor-qualidade Acesso em: 18|09|2020.

UZÊDA, André Luís Mourão de. Eliane Alves Cruz: O crime do Cais do Valongo. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, nº 57, 2019, pp. 1-4. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2316-40182019000200701. Acesso em: 19|09|2020.

WISSENBACH, Maria Cristina Cortez. Cartas, procurações, escapulários e patuás: os múltiplos significados da escrita entre escravos e forros na sociedade oitocentista brasileira. Revista Brasileira de História da Educação, v. 2, n. 2 (4), p. 103-122, 2002. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/rbhe/article/view/38724. Acesso em: 16 set. 2021.

Publicado
2021-10-27
Seção
Abordagens pós-coloniais