VIOLÊNCIA DE GÊNERO NA OBRA TAL BRAZIL, QUEER ROMANCE, DE ANTÔNIO DE PÁDUA

Palavras-chave: Colonialismo, Performatividade, Queer, Violência de gênero

Resumo

Este artigo visa analisar a violência e a colonialidade de gênero no contexto de Brasil colônia através da obra Tal Brazil, Queer Romance – Romance da(s) história(s) dos afetos ou História do(s) romances(s) dos afetos (2012), do escritor, professor e crítico paraibano Antônio de Pádua, partindo das perspectivas propostas pelos estudos de Linda Hutcheon (1991) sobre a metaficção historiográfica, de Guacira Lopes Louro (2001) e Judith Butler (1999) sobre a teoria queer e de colonialidade de gênero de María Lugones (2008), com o objetivo de refletir a representação social da mulher e do sujeito gay na colônia, visando entender o processo histórico da violência de gênero e de como ela se estende aos dias atuais.

Biografia do Autor

Simião Mendes Júnior, Universidade Federal de Goiás - UFG

Doutorando em Estudos Literários pelo programa de pós-graduação em Letras e Linguística da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás (UFG) sob a orientação do professor Dr. Pedro Carlos Lousada Fonseca. Researcher id: https://researchid.co/simiao.junior.

Referências

BUTLER, Judith. “Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do ‘sexo’”. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. p. 151-172.

BUTLER, Judith. Criticamente subversiva. In: JIMÉNEZ, Rafael M. Mérida. Sexualidades transgresoras. Una antología de estudios queer. Barcelona: Icária editorial, 2002.

BUTTURI JUNIOR, Atilio. Os discursos sobre a homossexualidade brasileira no período colonial. Acta Scientiarum. Language and Culture, Maringá, v. 35, n. 1, p. 143-152, Apr.-June, 2013.

DEL PRIORE, Mary. Ao Sul do Corpo: Condição feminina, maternidades e mentalidades no Brasil Colônia. Rio de Janeiro, RJ: José Olímpio; Brasília, DF: Edunb, 1993.

DEL PRIORE, Mary. História das mulheres: As vozes do silêncio. In: FREITAS, Marcos César (Org.). Historiografia Brasileira em Perspectiva. 3 ed. São Paulo, SP: Contexto, 2000.

GARCIA, Paulo César; MIRANDA, Olinson Coutinho. A teoria Queer como representação da cultura de uma minoria. Comunicação III EbeCult encontro Baiano de Estudos em Cultura, UFRB, 2012.

HUTCHEON, L. Poética do pós-modernismo: história, teoria, ficção. Rio de Janeiro: Imago, 1991.

JUCÁ, Julyanne. Por dia cinco mulheres foram vítimas de feminicídio em 2020, aponta estudo. CNN Brasil. São Paulo. 04/03/2021 às 16:15. Disponível em: https://www.cnnbrasil.com.br/nacional/por-dia-cinco-mulheres-foram-vitimas-de-feminicidio-em-2020, consultado em 27 de agosto de 2021.

LIMA, Sérgio. Relatório registra 237 mortes violentas de pessoas LGBTs no Brasil em 2020. Poder360. Brasília. 16.mai.2021 (domingo) - 15h23. Disponível em: https://www.poder360.com.br/brasil/relatorio-registra-237-mortes-violentas-de-pessoas-lgbts-no-brasil-em-2020/, consultado em 27 de agosto de 2021.

LOURO, Guacira Lopes. Teoria queer - uma política pós-identitária para a educação. Revista Estudos Feministas [en linea]. 2001, 9(2), 541-553. ISSN: 0104-026X. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=38109212, consultado em: 29 de agosto de 2021.

LUGONES, María. Colonialidad y Género. Tabula Rasa. Bogotá – Colombia, n.9, 73-101, julio-diciembre 2008.

PÁDUA, Antonio de. Tal Brazil, queer romance: romance da (s) história (s) dos afetos ou história (s) do (s) romance (s) dos afetos. São Paulo: Scortecci, 2012.

PEIXOTO, Valdenízia bento. Violência contra LGBTS no Brasil: a construção sócio-histórica da abjeção dos corpos. Anais do 16º Encontro Nacional de Pesquisadores em Serviço Social.

SÜSSEKIND, Flora. Tal Brasil, Qual romance? Uma ideologia estética e sua história: o naturalismo. Rio de Janeiro: Achiamé, 1984.

Publicado
2021-10-27
Seção
Sexualidades e estudos queer