UMA ANÁLISE DE RÚTILO NADA SOB A PERSPECTIVA QUEER

Palavras-chave: Teoria queer, Rútilo nada, Hilda Hilst

Resumo

O objetivo deste trabalho é investigar a condição relacional dos personagens Lucius e Lucas, em Rútilo Nada (1993), a partir da teoria queer. Apoiando-nos em autores como Judith Butler (2003), Eve Sedgwick (2007) e Richard Miskolci (2012), o estudo refletirá sobre importantes questões, como o regime de heteronormatividade, heterossexismo e heterossexualidade compulsória no qual os personagens de Hilda Hilst estão inseridos, analisando ainda a trajetória da relação em questão, bem como o seu desfecho, sob o viés dos estudos queer.

Biografia do Autor

Rita de Kássia de Aquino Gomes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN

Doutoranda na linha de Literatura Comparada pelo Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Mestre em Estudos da Linguagem pela mesma universidade.

Rosanne Bezerra de Araújo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN

Professora Associada do Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras Modernas na UFRN, atuando no Curso de Letras-Inglês e no Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem da mesma universidade. Doutora em Letras pela Universidade Federal da Paraíba.

Referências

AZEVEDO, Aluísio. O Cortiço. Porto Alegre: L&PM, 2015.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

BENTO, Berenice. Homem não tece a dor: queixas e perplexidades masculinas. Natal: EDUFRN, 2015.

CALEGARI, Lizandro Carlos. A perspectiva queer na literatura brasileira: Aretusa Von e o “Triunfo dos pelos”. In: Revista Literatura em Debate, v. 10, n. 18, p. 73-87, ago. 2016.

CAMINHA, Adolfo. Bom Crioulo. São Paulo: Martin Claret, 2009.

CANGUILHEM, Georges. O normal e o patológico. Trad. Maria de Threza Redig de C. Barrocas e Luiz Octávio F. B. Leite. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

DOUGLAS, Mary. Pureza e Perigo: Ensaio sobre as noções de poluição e tabu. Trad. Sónia Pereira da Silva. Lisboa: Edições 70 (col. Perspectivas do Homem, n.º 39), s.d.

DURKHEIM, Émile.As formas elementares da Vida Religiosa. São Paulo: Paulinas, 1989

FOUCAULT, Michel. Os anormais. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FREUD, Sigmund. Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. Edição Standard Brasileira das obras completas, vol. VII. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

GOUVEIA, Arturo. Escritos Adornianos. João Pessoa: Ideia, 2010.

ROSA, João Guimarães. Grande Sertão: Veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001

HILST, Hilda. Rútilo nada. In: HILST, Hilda. Rútilos. São Paulo: Globo, 2003. p. 79-103.

MISKOLCI, Richard. Teoria Queer: Um aprendizado pelas diferenças. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

POMPÉIA, Raul. O Ateneu. São Paulo: Martin Claret, 2001.

SEDGWICK, Eve Kosofsky. A epistemologia do armário. Trad. Plínio Dentzien. Cadernos Pagu, Campinas, n. 28, p. 19-54, jan. jun., 2007.

VON, Aretusa. Triunfo dos pelos. In: VÁRIOS. Triunfo dos pelos e outros contos GLS. Pref. André Fischer; apres. João Silvério Trevisan. São Paulo: Summus, 2000. p. 15 -21.

Publicado
2021-10-27
Seção
Sexualidades e estudos queer