POÉTICA DAS SEXUALIDADES DISSIDENTES EM ARARIPE COUTINHO

Palavras-chave: Araripe Coutinho, Poesia, Sexualidades dissidentes, Crítica cultural

Resumo

Subestimado em Sergipe, o poeta Araripe Coutinho tornou-se um sujeito fora-de-centro ao produzir obras estranhadas de sentidos e potencializadas de subjetividades que transgridem a heteronormatividade e o patriarcado. Este trabalho visa apontar significados referentes às sexualidades dissidentes na literatura de Coutinho, considerando o primeiro livro “Amor Sem Rosto”, publicado em 1989. A pesquisa se debruça nos textos do autor que busca criar a si, usando linguagens do cotidiano que movem as relações afetivas e se constituem em signos que operam a poética queer do poeta.

Biografia do Autor

Jaime Santana Neto, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural, Departamento de Linguística, Literatura e Arte da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Paulo César Souza Garcia, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Doutor e professor titular da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e orientador de Jaime Santana Neto.

Referências

BUTLER, Judith. Problemas de gênero – Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003.

COUTINHO, Araripe. Obra Poética Reunida. Sergipe: Ed. J. Andrade, 2013.

FOUCAULT, Michel. Os Anormais: curso no Collège de France 1974-1975. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

GUATTARI, Felix. Revolução molecular: pulsações políticas do desejo. São Paulo: Editora Brasiliense, 1977.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 7ª ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2015.

Publicado
2021-10-27
Seção
Sexualidades e estudos queer