TÓPICOS CRÍTICOS E DESAFIOS DA HOMOCULTURA NOS ESTUDOS LITERÁRIOS

  • Paulo César Souza García

Resumo

ste texto esboça algumas questões conceituais e pontuais que, também, tiveram importância para o projeto de criação do Grupo de Trabalho Homocultura e Linguagens da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística A partir da trajetória dos estudos a respeito do homoerotismo na literatura e de fontes da crítica literária, que desafios foram gerados, quais os rumos de leituras e de pesquisas estão sendo desenvolvidos em torno das identidades sexuais e de gênero? O interesse é de compartilhar dos discursos para não somente visualizar uma subjetividade homoerótica, mas para discutir as novas posições relativas ao exercício do poder da sexualidade nos corpora literários. As leituras realizadas dizem respeito a um devir gay contrapondo-se a um modo único de pensar as materialidades de corpos, condutas e conceitos referentes ao universo masculino. Portanto, no contexto desta reflexão, trato de analisar a manifestação de discursos que se propagam e relativizam as velhas ordens inseridas nos textos do literário e nas imagens cultivadas pela mídia que, restauradas para além das dicotomias e polaridades, instituem práticas que solicitam rever os controles, as resistências e as margens.
Seção
DOSSIÊ: ENTRE GÊNERO, EROTISMO E SEXUALIDADES