A EXPERIÊNCIA AMOROSA EM OLGA SAVARY E EM OSMAN LINS

  • Andréa Jamilly Rodrigues Leitão

Resumo

O presente artigo constitui uma interpretação a respeito do corpo e suas inter-relações com o erotismo e, por extensão, com o amor, a partir de um diálogo comparativista com o poema “Só na poesia?”, da obra Linha-d’Água (1987) de Olga Savary, e o romance Avalovara (1973), de Osman Lins. No vigor da encenação erótica dos amantes, estas duas obras operam a recriação poética dos corpos, de modo que a comunhão amorosa instaura uma aproximação significativa do ser humano com a sua origem, como uma possibilidade de reconciliação com a natureza (PAZ, 1994). Sendo assim, a experiência amorosa conduz ao reconciliar -se com a natureza e, ao mesmo tempo, com a natureza do próprio corpo na poeticidade do encontro dos amantes.
Seção
DOSSIÊ: ENTRE GÊNERO, EROTISMO E SEXUALIDADES