DO ENSINO BÁSICO AO ENSINO PÚBLICO SUPERIOR: DISTORÇÕES SOCIAIS E ÉTNICO-RACIAIS EM SERGIPE

Frank Marcon

Resumo


As reflexões que realizo aqui são fruto de pesquisas realizadas no âmbito da elaboração da proposta do recentemente aprovado Programa de Ações Afirmativas para Universidade Federal de Sergipe. A reflexão que segue teve contribuições de muitos dos colegas que compõe o grupo PAAF/UFS e que pensou a referida proposta. O que apresento é a parte que me coube na pesquisa sobre dados educacionais de Sergipe, que se encontram a disposição em diferentes instituições de levantamento de dados deste tipo, como IBGE e INEP. Portanto, além de reunilos e tabulá-los num formato adequado para percepção das distorções sociais e étnico raciais na escolarização do estado, realizo uma análise que busca visualizar quantitativamente os aspectos desproporcionais de perfis entre aqueles que concluem o Ensino Básico, principalmente público, e aqueles que ingressam na única Universidade Pública do estado, a UFS, sem perder de vista as possibilidades de análises qualitativas, principalmente aquelas pautadas pelos critérios subjetivos de caracterização e identificação étnico-racial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


REVISTA FÓRUM IDENTIDADES
Itabaiana: GEPIADDE. 

ISSN 1982-3916

 

INDEXADORES