MULHER E PODER: A PERSPECTIVA DE ALUNAS (OS) E PROFESSORAS (ES) DO COLÉGIO MODELO LUÍS EDUARDO MAGALHÃES - SALVADOR

  • Rosivalda dos Santos Barreto

Resumo

Esse texto objetiva por meio das narrativas de educadores (as) e educandas(os) do Colégio ModeloLuís Eduardo Magalhães – SSA compreender suas perspectivas a cerca dos papéis das mulheres ehomens negras(os) na sociedade soteropolitana. Para tanto revisitarei representações de poder delíderes femininas afro-soteropolitanas e africanas dialogando com intelectuais negras africanoamericanaindispensáveis neste processo. Utilizo a teoria dos berços de Cheikh Anta Diop paraexplicar o protagonismo feminino africano estendido às mulheres afro-diaspóricas. Primeirovisibilizarei as falas das (os) professoras (es) e alunas (os) a respeito do feminismo; mulher e poder erepresentações de lideranças negras. Segundo farei uma síntese biográfica de algumas liderançasfemininas africanas, afro-soteropolitanas incluindo as sacerdotisas do candomblé. A metodologiaempregada foi a afrodescendente de pesquisa, essa tem como pressuposto o conhecimentoespecífico ligados à história da África e dos afrodescendentes; o racismo antinegro; as memórias eidentidades negras com base na história social. Concluo apontando a inexistência, na compreensãodas(os) pesquisados da necessidade do feminismo negro, e da memória das lideranças negras porparte das(os) docentes e discentes a não ser por via das notícias veiculadas pela mídia.
Seção
DOSSIÊ: DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NA CONTEMPORANEIDADE