A TRADIÇÃO ORAL EM CONCEIÇÃO EVARISTO

Marluce Freitas de Santana

Resumo


Este artigo traz contribuições para o pensamento crítico feminista contemporâneo e tematiza a oralidade enquanto recurso estético que marca a literatura afro-brasileira como estratégia contra-hegemônica, frente à cultura etnocêntrica ocidental. Nosso objetivo é analisar a obra literária Ponciá Vicêncio (2003),da escritora Conceição Evaristo, fazendo vir a lume  as marcas de oralidade que ecoam da sua escrita e reverberam como dissonâncias ao paradigma patriarcal, em suas variadas formas de manifestação. Adotamos como metodologia para a análise literária as orientações de uma prática cultural de leitura, que busca mobilizar aspectos semânticos e estéticos no processo de construção de sentidos do texto. Assim, procuramos inferir significados a significantes linguísticos, estéticos e culturais identificados na obra, passíveis de formulações que comprovam as marcas de oralidade coexistentes à escrita. Tais interpretações mobilizaram referenciais teóricos da sociologia de gênero, sobre tradição oral africana, da crítica literária feminista e afro-brasileira.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


REVISTA FÓRUM IDENTIDADES
Itabaiana: GEPIADDE. 

ISSN 1982-3916

 

INDEXADORES