DIVERSIDADE, LITERATURA E ENSINO: O TEXTO LITERÁRIO QUE A ESCOLA BAIANA ESQUECEU

Maria de Fátima Berenice da Cruz

Resumo


Este artigo discute a noção de diversidade na escola brasileira, e mostra as resistências encontradas na escola por professores e alunos no que diz respeito a produção de subjetividades. Além disso, apresentaremos a leitura de um escritor baiano, Sosígenes Costa, contemporâneo dos modernistas brasileiros, que premeditadamente foi olvidado pela Escola baiana no processo ensino e aprendizagem da literatura nas aulas de Língua Portuguesa. Salientamos que ao tomarmos, de forma generalista, a escola como a “algoz” do esquecimento, referimo-nos ao instrumento básico de acesso ao texto literário: o livro didático. Este chega às escolas com categorização temática, discussão e estilo, reducionistas, e interfere no contexto local para o qual é encaminhado, tornando-se completamente negligenciado e apagado da discussão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


REVISTA FÓRUM IDENTIDADES
Itabaiana: GEPIADDE. 

ISSN 1982-3916

 

INDEXADORES