A VIAGEM, AS VIAGENS: IMAGENS DA TRANSITORIEDADE EM O OUTRO LADO DO DIA

  • Jorge Marques

Resumo

Em O outro lado do dia, a escritora Helena Parente Cunha estrutura uma obra na qual textos poéticos se superpõem e se sucedem, erigindo uma narrativa em versos que remonta a viagem do eu-lírico a terras japonesas.  Nesse périplo, os caminhos de encontros e perdas avançam por territórios da interioridade, ao mesmo tempo em que o Japão se revela, paradoxalmente, indecifrável.  Este trabalho pretende refazer essa delicada e complexa trajetória, refletindo criticamente acerca dos desdobramentos do conceito de viagem.

Seção
Seção Livre