SOBRE AS FORMAS DE AMAR, COZINHAR E PRODUZIR AFRODISÍACOS: RE-ENCENAÇÃO DO FEMININO

  • Adriana Sacramento de Oliveira

Resumo

Este trabalho faz alguns comentários sobre a relação entre literatura e bruxaria na produção ficcional de Isabel Allende, Afrodite: Contos, Receitas e Outros Afrodisíacos, e de Márcia Frazão, A Cozinha da Bruxa. A partir das ideias de Michel   Foucault sobre   sexualidade e corpo, associamos a performance feminina ao poder pulsão e transformação social.   Nessa perspectiva, falar sobre um corpo que sente e pulsa não é mais considerado um tabu, mas é uma reflexão necessária para fazer emergir o feminino. O entendimento sobre o conceito de sexualidade aqui nesse trabalho é compartilhado pelo viés da criação, como uma variante da criatividade também literária, não sob a medida faceira do erotismo, na qual a sexualidade é ainda um sinônimo de reprodução. A literatura, nesse ínterim, presencia em torno da temática do  corpo  uma  espécie  de  auto-espelhamento,  ela  sente  esses  novos  deslocamentos  pela maneira como passa a representar o corpo feminino. Nas obras selecionadas, o saber se constrói sob várias medidas e o conhecimento culinário, assim como o discurso amoroso, está aí para se mostrar como ingredientes, também necessários, de nossa tradição, para nossa cultura.

Seção
Seção Livre