(DES) LIMITES: A SEXUALIDADE NA POESIA DE ANGÉLICA FREITAS

Jucilene Braga Alves Mauricio Nogueira

Resumo


Partindo-se dos estudos de Michel Foucault, em sua História da Sexualidade, procurar-se-á vislumbrar como se estruturam dispositivos sexuais na contemporaneidade e ainda como a explicitação desse tema aponta para uma apropriação de espaços pela mulher. Segundo esse mesmo autor, é preciso problematizar o “fato discursivo” sobre o sexo ou a “colocação do sexo em discurso”. Nesse sentido, busca-se um diálogo entre essa concepção de sexualidade e a poesia de Angélica Freitas em sua obra Um útero é do tamanho de um punho (2013) a fim de problematizar certo engajamento poético que reflete um aprofundamento do sujeito no processo de construção de identidade, por meio de uma busca pela consciência de si  e de questionamentos no que concerne às “tecnologias de gênero” apontadas por Teresa de Lauretis.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


REVISTA FÓRUM IDENTIDADES
Itabaiana: GEPIADDE. 

ISSN 1982-3916

Classificação Qualis CAPES 2017-2020 como A3.

 

INDEXADORES