ESTÉTICAS E POLÍTICAS FEMINISTAS NO CINEMA LATINO-AMERICANO CONTEMPORÂNEO: CARTOGRAFIAS DA MARGEM

  • Paula Santana

Resumo

O presente artigo busca problematizar as estéticas e políticas feministas do cinema latino-americano do século XXI, a partir da construção de cartografias (Deleuze, 1994) que transbordam de um contexto social e cinematográfico para outro, num emaranhado interseccional e desviante (Deleuze, 1994) entre arte e vida.  Apoiado em diálogos teórico-metodológicos entre a epistemologia feminista, o giro decolonial, os estudos pós-coloniais e os estudos subalternos, é traçado um panorama sobre as tensões e as transformações da posição ocupada pela mulher dentro de uma sociedade que articula e perpetua traços de uma tradição patriarcal, porém diversa e global. Para tanto, são analisadas as seguintes obras: “La teta assustada”, de Claudia Llosa (Peru, 2009) e “Que horas ela volta?”, de Ana Muylaert (Brasil, 2015).  
Seção
Dossiê temático: O CAMPO DA CIBERCULTURA E OS ESTUDOS SOBRE GÊNERO E SEXUALIDADES