PÓS-MODERNISMO E LITERATURA POP EM ROBERTO DRUMMOND

  • Dorinaldo dos Santos Nascimento

Resumo

Este artigo objetiva analisar o narrador drummoniano que, partindo de um jogo discursivo articulado, se apropria de métodos dos meios midiáticos massificadores e de convenções estilísticas da tradição literária - num trabalho de (re)escrita paródica e passagens “pastichizantes” -, permitindo uma viva interlocução com situações e elementos do contexto político-social brasileiro relacionados à ditadura militar. Para tanto, efetivamos a leitura do conto “Objetos pertencentes a Fernando B, misteriosamente desaparecido”, de Roberto Drummond, publicado no livro “A morte de D. J em Paris” (2002). A narrativa em tela se insere na chamada literatura pop, calcada, sobretudo, na bricolagem do universo da publicidade, da cultura pop e da sociedade de consumo em consonância a elementos do pós-modernismo via pastiche, este, sem intenção de ruptura, por meio da reescrita problematizadora, dialoga com a tradição literária. A análise empreendida ancora-se em teóricos, como Hall (2015), Jameson (1987), Lipovetsky (2005), Hutcheon (1991), Harvey (2001), Baudrillard (1981).

Seção
SEÇÃO LIVRE