ARQUIVO, CRIME E TOCAIAS EM “COIVARA DA MEMÓRIA”

  • Auda Ribeiro Silva

Resumo

Ao analisar o crime em Coivara da memória (1991), trabalhamos com a hipótese do crime não só enquanto crime, mas o crime enquanto jogo da linguagem para iluminar a própria interpretação da obra. Nesse sentido, este artigo intenta investigar a correlação existente entre mal de arquivo, tocaias e crimes, uma vez que, sob a nossa perspectiva, a narrativa é construída com base nesse tripé. Para a análise recorremos ao conceito de mal de arquivo desenvolvido por Jacques Derrida (2001), consideramos também, a discussão feita por Michel Foucault (1996) sobre discurso, bem como o debate de Wolfgang Iser (1999) sobre o não dito, dentre outros.

Seção
SEÇÃO LIVRE