O LÁPIS “COR DA PELE”, QUEM TEM? DESCREVENDO EXPERIÊNCIAS EM RELAÇÕES RACIAIS COM CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

  • Vilma Aparecida de Pinho
  • Francilene de Aguiar Parente
  • Oberdan da Silva Medeiros
  • Elen Mayara Bezerra de Carvalho

Resumo

Este artigo é parte de uma pesquisa realizada no interior dos projetos do GEABI – Grupo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas cujo objetivo de intervenção no cotidiano escolar visa contribuir para a construção e afirmação de identidade das crianças ali inseridas e chamar a atenção das instituições de ensino para práticas pedagógicas que levem as crianças a ter conhecimento da cultura Afro-Brasileira e Africana. A metodologia da pesquisa-ação implementada em uma turma de Educação Infantil calcou-se nas linguagens artísticas como histórias de crianças negras em livros infantis como protagonistas e heróis, assim como materiais didáticos como massa de modelar e lápis de cor. As análises nuançadas pelos desenhos e discursos das crianças indicam que a questão racial trabalhada mediante o ensino comprometido com a diversidade cultural no cotidiano escolar contribui para a afirmação da identidade das crianças negras, e, por outro lado, foi possível observar que a valorização étnico-racial no currículo promove uma sociedade menos racista com possibilidades de reconhecer a diferença como diversidade e potencialidades humanas.
Seção
PRÁTICAS E PERSPECTIVAS TEÓRICAS E INVESTIGATIVAS MULTI E INTERDISCIPLINARES NO ENSINO E NA FORMAÇÃO DOCENTE