LEITURA E QUESTÕES DE GÊNERO NA ESCOLA PÚBLICA

  • Acassia dos Anjos Santos Rosa

Resumo

A leitura pode ser entendida por diferentes perspectivas e abordagens teóricas, ou seja, dependendo do ponto de vista, várias concepções de leitura se apresentam. Diante disso, o objetivo deste artigo é apresentar visões sobre leitura (ORLANDI, 2005; FREIRE, 2009; INDURSKY, 2010 e GOMES, 2014) e letramentos críticos (CERVETTI, PARDALES E DAMICO, 2001 e CASSAY, 2006), relacionando-os com questões de gênero e identidades (DADOORIAN, 2003 e HALL 2006) nas aulas de línguas. Por meio de uma pesquisa qualitativa interpretativista (NEVES, 1996) se realiza a análise de uma atividade com o tema gravidez na adolescência. Dessa forma, se busca ressaltar como a leitura na escola pode contribuir para o crescimento acadêmico e pessoal dos estudantes envolvidos. Percebe-se assim que as perspectivas teóricas não são necessariamente excludentes, uma pode conviver com a outra em ambiente da sala de aula. Aliado a isso, a discussão do tema pode ajudar a lidar e prevenir as gestações não desejadas, como também salientar o papel dos homens em tais situações.

Seção
Dossiê: LEITURA E INTERTEXTOS IDENTITÁRIOS