https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/issue/feed Revista Fórum Identidades 2019-10-21T08:13:40+00:00 Carlos Magno Gomes calmag@bol.com.br Open Journal Systems <p>Esta revista é organizada pelo grupo de pesquisa GEPIADDE/UFS/CNPq desde 2007, publicação SEMESTRAL. Atualmente é reconhecida pelo Qualis Periódico CAPES nas áreas de Ensino, Interdisciplinar, Letras e Educação. Editada pelos programas de <span>PROFLETRAS, Interdisciplinar em Cinema e Ensino .</span></p><p>Este periódico divulga pesquisas inéditas voltadas para o debate acerca dos territórios culturais e identitários, com destaque para questões educacionais, de ensino e diferenças étnicas, de gênero, de sexualidades. Aceitamos artigos com proposta teórica ou prática com descrição das partes da pesquisa e debate científico compatível com um artigo acadêmico de pós-graduação: mestrandos, doutorandos, mestre e doutores. Para os mestrandos, sugere-se a publicação com o orientador.</p><p>A Revista Fórum é composta de <strong>duas partes</strong>:</p><p>I - <strong>Dossiê temático</strong> - Sempre divulgado previamente sobre questões identitárias, culturais, artísticas, do ensino e/ou educacionais.</p><p>II - <strong>Seção Livre</strong> - artigos de diferentes áreas e enfoques que tenham como base reflexões sobre identidades, diferenças e alteridades a partir da contribuição da educação, do ensino, literatura, linguística, sociologia, antropologia, filosofia, psicologia, entre outras disciplinas.</p><p>Este periódico aceita artigos que abordem, prioritariamente, propostas de reflexões teóricas e práticas que valorizem os Direitos Humanos e a diversidade cultural.</p><p><em><strong> E ISSN : 1982-3916</strong></em></p><p>This journal is organized by the research group GEPIADDE / UFS / CNPq since 2007, publication SEMESTRAL. It is currently recognized by Qualis Periodic CAPES in the areas of Teaching, Interdisciplinary, Literature and Education. Edited by <span>PROFLETRAS, Interdisciplinar em Cinema e Ensino .</span></p><p>This journal publishes unpublished research aimed at the debate about cultural and identity territories, with emphasis on educational, educational and ethnic differences, gender, sexuality issues. We accept articles with theoretical or practical proposal with description of the parts of the research and scientific debate compatible with an academic postgraduate article: masters, doctoral students, master and doctors. For the masters, it is suggested to publish with the advisor.</p><p>The Forum Magazine is composed of <strong>two parts:</strong></p><p>I - <strong>Thematic dossier</strong> - Always disclosed previously on identity, cultural, artistic, educational and / or educational issues.</p><p>II - <strong>Free Section</strong> - articles from different areas and approaches based on reflections on identities, differences and alterities from the contribution of education, teaching, literature, linguistics, sociology, anthropology, philosophy, psychology, among other disciplines.</p><p>This journal accepts articles that primarily address proposals for theoretical and practical reflections that value human rights and cultural diversity.</p><p> </p> https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/11577 Expediente/Ficha Catalográfica/Sumário 2019-10-21T08:13:39+00:00 Expediente/ Ficha Catalográfica/ Sumário a@a.com1 Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/11578 APRESENTAÇÃO 2019-10-21T08:13:39+00:00 Maria Batista Lima a@a.com2 Allan Veiga a@a.com2 Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/11580 INICIAÇÃO DOCENTE E CONSTITUIÇÃO DA IDENTIDADE DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2019-10-21T08:13:39+00:00 Rodrigo Caetano Ribeiro a@a.com4 Dijnane Vedovatto a@a.com4 Este artigo é parte de uma pesquisa de mestrado, que buscou investigar os processos de iniciação docente de futuros professores de Educação Física no contexto do estágio. Objetivamos nesse recorte, estabelecer relações entre a iniciação docente de futuros professores de Educação Física, na disciplina de Estágio Curricular Supervisionado 1 e o processo de constituição da identidade profissional. A pesquisa foi realizada com 18 estagiários do curso de licenciatura em Educação Física, tendo como fonte de coleta de dados, os questionários, entrevistas e análise dos relatórios de estágio. Com base na análise dos dados coletados, averiguamos que as experiências nesse processo formativo se configuraram para o futuro professor, como o início de uma transição, da condição de estudante para professor, num processo de construção da identidade profissional docente. Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/11579 GENDER, ETHNIC AND CLASS ISSUES IN ENGLISH TEXTBOOKS 2019-10-21T08:13:39+00:00 Jefferson do Carmo Andrade Santos a@a.com3 <p>this paper aims at analyzing the work on gender, ethnic and class issues in English textbooks. We have based our analysis on texts which point out the importance of working on aspects of citizenship in elementary levels as a way of helping students develop their social consciousness. We have provided an overview on textbook theory (HARMER, 1998), the emergence of teaching English through social aspects (JANKS, 2014) and the work on the critical gaps of English textbooks (DUBOC, 2017). Furthermore, activities from textbooks written by authors who tend to deal with social issues as well as those which are not intended to do so are analyzed. As a result, it is perceived that the attitudes adopted by teachers are decisive when it comes to providing critical classes.</p> Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/11581 SER NEGRO NA AMÉRICA LATINA: SOBRE IDENTIDADES PLURAIS E DINÂMICAS DOS AFRODESCENDENTES 2019-10-21T08:13:39+00:00 Eumara Maciel dos Santos a@a.com5 Nesta escrita, pretendeu-se promover uma reflexão sobre as implicações da identidade afrodescendente na América Latina, sobretudo, em cenas específicas do Brasil e da Colômbia. A pesquisa é de cunho bibliográfico e também partiu da experiência da observação <em>in lócus</em> das realidades em questão. Para as reflexões sobre as implicações da identidade negra na diáspora foi utilizado o referencial teórico encontrado em Henrique Freitas (2016), Homi Bhabha (1998), Frantz Fanon (1983), Kabenguele Munanga (1984; 1996; 2004), Silviano Santiago (1978), Stuart Hall (2003) e Valdemir Zamparoni (2007). A partir das discussões, concluiu-se que, a ligação ancestral entre África e América através do tráfico negreiro é marcada pelas implicações do imperialismo europeu em ambos os continentes, fato que inscreve na identidade afrodescendente as marcas da colonização, da escravização e da emergência das lutas decoloniais, frente às problemáticas das relações raciais. Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/11582 A IDENTIDADE CULTURAL E SOCIAL DA MULHER NEGRA EM QUARTO DE DESPEJO 2019-10-21T08:13:39+00:00 Renata Teixeira de Castro Tobaldini a@a.com6 Maiara Cristina Segato a@a.com6 <p>Com a publicação de <em>Quarto de Despejo</em>, em 1960, Carolina Maria de Jesus torna-se uma das percussoras da literatura de autoria feminina negra no Brasil. Em relação à mulher negra, no cenário brasileiro, podemos encontrá-la, em um primeiro momento, sendo representada; depois, ela mesma escrevendo sobre si, na medida em que a organização política e social feminista avança, dando espaço, assim, às diversas minorias (negros, homossexuais, índios). Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho é discutir a identidade cultural e social da mulher negra na referida obra, tomando como referência as especificidades das “escrevivências” da autora. Para tanto, este trabalho respalda-se, nos estudos sobre identidade e nas proposições da Literatura de autoria feminina e da Crítica feminista (ZOLIN, 2018), nos estudos sobre a Literatura negra (EVARISTO, 2005, 2009), bem como outras pesquisas relacionadas ao objeto.</p> Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/11583 O ARQUÉTIPO DA MULHER SELVAGEM NO ROMANCEIRO SERGIPANO E NA EPOPEIA ARGONÁUTICA 2019-10-21T08:13:39+00:00 Antonio Marcos dos Santos Trindade a@a.com7 <p>Neste artigo, procuro abordar o arquétipo da mulher selvagem a partir de duas personagens: uma da tradição oral luso-brasileira, outra da tradição literária erudita (clássica). A primeira é Juliana, personagem do romance ibérico “Juliana”, cantado por D. Maria, de Santa Rosa de Lima/Sergipe, e publicado por Jackson da Silva Lima em seu <strong>Romanceiro Sergipano</strong>. A segunda é Medeia, personagem da epopeia helenística <strong>Argonáutica</strong>, de Apolônio de Rodes. A leitura dialógica dos dois poemas, estabelecendo uma aproximação entre as duas personagens e os dois gêneros literários, visa mostrar, apoiando-se em vários autores(as), como o arquétipo da mulher selvagem se configura em cada um deles e quais as implicações dessa configuração nas mensagens que os textos transmitem.</p> Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/11584 TEORIA E AÇÃO DO SUJEITO SOCIOLÓGICO NA CONTEMPORANEIDADE 2019-10-21T08:13:40+00:00 Simone de Araujo Pereira a@a.com8 Allan Veiga a@a.com8 <p>O questionamento clássico da sociologia acerca do agir social perdura até os dias atuais e não pode ser exaurido em decorrência do seu inerente dinamismo, a noção de sujeito é relacional e contextualizada, é um ato em potência. A cada momento na história falou-se de um tipo possível de “indivíduo”, traduzido em sujeito, agente ou ator (Durkheim; Weber). Assim, propõe-se uma reflexão acerca do agir na contemporaneidade, considerando especificidades de uma sociedade que resulta em práticas orientadas por uma “cultura de consumo”. Talvez, como alguns autores já indicam (Canclini; Featherstone), o questionamento se traduza não mais no porquê de agirmos, mas no porquê de agirmos para o consumo, o que se retira da esfera puramente subjetiva e coloca-se no âmbito da busca pela objetividade coletiva, sem, contudo, eliminar a subjetividade. Nesta reflexão, intuímos três momentos distintos, que se apresentam por uma tipologia histórica, referente a três demarcações da ideia de “sujeito”: 1) o sujeito epistêmico; 2) o sujeito teórico-epistêmico, e; 3) o sujeito teórico. Supondo deter este último, os fundamentos para o desenvolvimento do que reconhecemos como “Teoria do Sujeito” (Nietsche; Gadamer).<strong></strong></p> Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/11585 ROSTOS, SELFIES E NUDES: AFETOS EM APLICATIVOS DE HSH 2019-10-21T08:13:40+00:00 Thiago Costa a@a.com9 <p>Este trabalho visa considerar a importância do rosto dentro dos contatos realizados em aplicativos de homens que fazem sexo com homens e seus desdobramentos dentro do imaginário homossexual. Neste contexto, também é feita uma aproximação entre a prática das selfies e dos registros de nudez - <em>nudes</em> - sendo os últimos uma forma de retrato expandido do sujeito que visa a um convite de encontro futuro imediato. Como conclusão, tem-se o rosto, mesmo que ausente em um primeiro contato, apresentado posteriormente de forma discreta, sendo um importante signo para a comunicação interpessoal e as <em>nudes</em> como uma forma de substituição da figura do rosto em alguns casos.</p> Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/11586 MULTILETRAMENTOS: DESAFIOS PARA OS PROFESSORES DE LÍNGUA PORTUGUESA 2019-10-21T08:13:40+00:00 Denson André Pereira da Silva Sobral a@a.com10 Márcio dos Santos a@a.com10 <p>Este trabalho apresenta algumas reflexões sobre as perspectivas dos professores de língua portuguesa (LP) quanto à inserção da pedagogia dos multiletramentos na prática pedagógica. O corpus se constitui de dados obtidos por meio de um questionário aberto e fechado aplicado junto aos docentes de algumas escolas públicas do município de Umbaúba/SE. A metodologia envolve a análise quantiqualitativa desse instrumento de pesquisa, com base nos estudos da teoria dos multiletramentos: Grupo de Nova Londres (2000[1996]), pioneiros dessa teoria; Rojo (2012) e (2013), Garcia Canclini (2006), Cope e Kalantzis (2009), entre outros. Os resultados apontam que há a necessidade de um maior investimento público nas escolas e a contínua formação dos docentes que lá se encontram.</p> Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/12358 SEÑALES DE RESISTENCIA: EL CRIOLLO EN LA PROVINCIA DE LIMÓN, COSTA RICA 2019-10-21T08:13:40+00:00 Luz Marina Vásquez Carranza a@a.com50 <span lang="ES-CR">El artículo reporta la situación del Criollo Limonense, una legua minoritaria derivada del inglés y del criollo jamaiquino la cual es hablada por una porción de la población afro-costarricense. A través de un cuestionario aplicado a 45 madres y padres de familia se evidencia que, aunque existen fuerzas externas que obligan a esta población a utilizar el español como prioridad sobre el criollo para poder responder a las demandas del medio en el que viven, trabajan y estudian, el criollo limonense es la lengua dominante para la mayoría de ellos; expresan estar orgullosas de ser afro-descendientes, resaltando como características que los identifican su gastronomía, su música calipso y el hecho de ser bilingües por hablar el criollo limonense y el español; subrayan la importancia de mantener esta lengua minoritaria y transmitirla a las generaciones más jóvenes como forma de proteger su identidad, su cultura y sus tradiciones. </span> Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/12359 O OUTRO ESPELHO DA AMERICA: REFLEXOS CONVEXOS EM LETRAS DE MULHER 2019-10-21T08:13:40+00:00 María Antonia Miranda a@a.com51 <p>O texto é uma aproximação à escrita de duas narradoras latino-americanas, a brasileira Nélida Piñón (1937) e a chilena Isabel Allende (1942). Enfocado no marco de um espelho convexo por entender que se trata, ainda hoje, do exercício de projetar a América em uma simbiose de geografias, discursos e línguas. E se pergunta, simultaneamente, pelo papel da mulher e das identidades de gênero que afetam o espaço simbólico da nação. Centrado em uma narrativa política dos afetos, propõe a existência do país da memória, como uma utopia que funciona olhando para trás. </p> Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/12360 DESLOCAMENTOS LÉSBICOS EM AMORA, DA LATINO-AMERICANA ROSAMARÍA ROFFIEL 2019-10-21T08:13:40+00:00 Gabrielle Forster a@a.com52 <p>Ao reconhecer que a inclusão de mulheres no cânone vem acontecendo lenta e recentemente, mas que a consideração sobre a homoafetividade na literatura se volta para as relações masculinas, o presente artigo se propõe a observar as estratégias estéticas elaboradas em <em>Amora</em>,<em> </em>de Rosamaría Roffiel, para desestigmatizar o preconceito e reivindicar o seu lugar de fala, no entrecruzamento entre feminismo e lesbianismo. Considerado como o primeiro romance de temática lésbica publicado no México, <em>Amora </em>(1989)<em> </em>contribuiu não apenas para dar visibilidade ao tema marginalizado, mas também, e especialmente, para propiciar uma nova perspectiva acerca dos estudos femininos, considerando os deslocamentos lésbicos, na linha de autoras como Judith Butler e Monique Wittig,</p> Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/12361 A CONSTRUÇÃO DAS IDENTIDADES LÉSBICAS EM AS TRAÇAS, DE CASSANDRA RIOS 2019-10-21T08:13:40+00:00 Juliana Moreira de Sousa a@a.com53 Este artigo tem como objetivo apresentar uma análise da construção das identidades lésbicas no romance <em>As traças</em>, de Cassandra Rios. O livro oferece acesso à produção cultural e artística de uma escritora que aborda a homoafetividade em algumas de suas diversas possibilidades, operando com formas distintas de apresentação e reconhecimento dessas identidades. Além disso, a narrativa pode ajudar a refletir sobre as vantagens e os problemas de se estabelecer uma categoria lésbica, principalmente para a literatura. A leitura do romance é empreendida sob a ótica dos estudos lésbicos e da crítica feminista, contando, sobretudo, com autoras como Monique Wittig (2019), Adrienne Rich (2010) e Tânia Navarro-Swain (1999, 2004). Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/12362 ÚRSULA: UMA DENÚNCIA VELADA 2019-10-21T08:13:40+00:00 José Nogueira da Silva a@a.com54 Adriana Cavalcanti dos Santos a@a.com54 <p>O presente artigo se deteve a analisar o romance <em>Úrsula. </em>Tem-se como objetivo escrutinar a opressão que pairava sobre os negros e as mulheres na época, algo que sua escrita deixa transparecer em meio às tendências narrativas da literatura romântica. A tessitura da análise mostra que a obra em questão é composta notadamente por características da denúncia, no que concerne às opressões sofridas pelas mulheres e às agruras impostas aos negros, antecipando não apenas a literatura de autoria feminina, mas também a afro-brasileira.</p> Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/12363 MULHERES AFRODESCENDENTES E ESPAÇOS VIRTUAIS: PARA VISIBILIZAR ABERTURAS EPISTEMOLÓGICAS 2019-10-21T08:13:40+00:00 Francis Musa Boakari a@a.com55 Emanuella Geovana Magalhães de Souza a@a.com55 <p>A noção de epistemicídio como aniquilação dos conhecimentos produzidos pelos grupos considerados subalternos e desqualificação da sua condição humana, pode ser traduzida na prática como uma “apartação/separação epistêmica”. Pensando nos efeitos nocivos dessa separação e inclusive na inferiorização das pessoas afrodescendentes, discorremos nesse estudo sobre algumas respostas empreendidas por um grupo de mulheres brasileiras afrodescendentes em espaços virtuais, como no <em>YouTube</em> e <em>Instagram</em>. Assim, acreditamos que essas respostas estão imbricadas de educações (BRANDAO, 1989), possibilitando outras vias/aberturas epistemológicas (SANTOS, 2007) e identitárias, como aquelas produzidas por mulheres afrodescendentes.</p> Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/12364 ASPECTOS DA SOCIEDADE REGIONAL À LUZ DO JORNAL CRUZ ALTA 2019-10-21T08:13:40+00:00 Vânia Maria Abreu de Oliveira a@a.com56 Tiago Anderson Brutti a@a.com56 <p><strong>:</strong><em> </em>Esta pesquisa busca reconstituir acontecimentos históricos relativos à vida social no município de Cruz Alta, Rio Grande do Sul, particularmente a partir<em> </em>de narrativas impressas no jornal Cruz Alta (Orgam do Partido Republicano) ao final do século XIX. São analisadas edições desse jornal, de 1897 e 1898, bem como obras de autores como Felix (1987), Pesavento (1977; 1992), Rocha (1980) e Gadamer (1998). Busca-se, antes de tudo, compreender as condições da política na primeira república e analisar a situação social regional naquela época. A leitura do jornal permitiu observar as potencialidades dessa fonte, o imaginário de atores políticos, a circulação de informações e o intercâmbio de ideias. A relevância da pesquisa está no resgate da história regional desse período por meio de um estudo bibliográfico e exploratório sobre a política, a cultura e a sociedade.</p> Copyright (c) 2019 Revista Fórum Identidades