ALIMENTOS IDENTITÁRIOS: UMA REFLEXÃO PARA ALÉM DA CULTURA

  • Sônia de Souza Mendonça Menezes Universidade Federal de Sergipe

Resumo

A proposta do artigo consiste em construir uma reflexão a respeito da produção de alimentos identitários como produtos elaborados por agricultores, valorizados e demandados nos territórios rurais e urbanos. Tomamos como recorte espacial o Estado de Sergipe a partir dos dados das pesquisas1 realizadas nos diferentes territórios. Temos como objetivo analisar a temática da produção dos alimentos identitários como uma cultura enraizada transformada em uma territorialidade que alicerça na contemporaneidade a reprodução social e econômica de grupos familiares. Esses alimentos são demandados não só por consumidores que buscam reforçar ou alimentar a sua identidade, como também por outros que procuram os citados produtos tradicionais sem uso de condimentos e aditivos comuns aos produtos industrializados. Estudar a permanência da produção desses alimentos e a expansão da demanda significa descortinar o sentido do consumo para homens e mulheres e interpretar o valor cultural, social e econômico a eles agregados.

Palavras chave: alimentos identitários, renda, reprodução social