TERRITÓRIOS E FRONTEIRAS DAS GENTES EXTRATIVISTAS DO LITORAL NORTE DE SERGIPE, BRASIL

TERRITORIES AND BORDERS OF EXTRACTIVE PEOPLE FROM THE NORTH COAST OF SERGIPE, BRAZIL

  • Heberty Ruan da Conceição Silva Universidade Federal de Sergipe (UFS)
  • Maria Geralda de Almeida Universidade Federal de Goiás (UFG)
  • Maria Augusta Mundim Vargas Professora da Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Resumo

O extrativismo da mangaba é uma prática produtiva tradicional realizada por comunidades que habitam o litoral do estado de Sergipe. O ambiente de restinga, lócus natural da reprodução das mangabeiras, é duplamente cobiçado: pelos extrativistas, que com práticas tradicionais coletam os frutos em duas estações do ano, e por projetos urbanísticos inseridos no processo de especulação imobiliária que se apropriam do solo, o transformam e lhe atribuem novos valores. O propósito deste artigo é discutir as territorialidades, os conflitos territoriais e as fronteiras culturais que envolvem a prática extrativista da mangaba e a expansão urbana no município de Barra dos Coqueiros/SE. Nos pressupostos da abordagem cultural e metodológica da pesquisa qualitativa, utilizamos revisão bibliográfica e inserções no campo ancoradas por roteiros de busca em sites, além de observação, coleta e registro de relatos e fotografias no campo. O estudo tem demonstrado que os grandes empreendimentos aí implantados após 2006 vêm ocasionando conflitos entre práticas e fronteiras culturais, entre os extrativistas, o poder público municipal e os proprietários das terras que cedem terrenos aos novos habitantes emuralhados. Assim, vão se estabelecendo novas fronteiras culturais pelo apoucamento dos territórios do litoral sergipano.

Biografia do Autor

Heberty Ruan da Conceição Silva, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Doutorando em Geografia pelo PPGEO da Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Pesquisador do Grupo de Pesquisa Sociedade e Cultura e do Grupo de Estudos em Geografia Cultural (UFS)

Maria Geralda de Almeida, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Professora Titular da Universidade Federal de Goiás (UFG)

Professor Aposentada da Universidade Federal do Ceará (UFC)

Professora do PPGEO da Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Drª em Geografia pela Universidade de Bordeaux - França

Pós-doutorado em Geografia Humana pela Universidad de Barcelona - Espanha

Pós-doutorado em Geografia Cultural pela Université Laval (Canadá), Universita Degli Studi Di Genova (Itália) e Université de Paris IV - Paris-Sorbonne (França)

(In memoriam)

Maria Augusta Mundim Vargas , Professora da Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Professora do PPGEO da Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Líder do Grupo de Pesquisa Sociedade e Cultura (UFS)

Publicado
2022-11-06