"SABÃO, UM PEDACINHO ASSIM... A ROUPA, UM TANTÃO ASSIM" ARTICULAÇÕES ENTRE MEMÓRIA SOCIAL E AS LAVADEIRAS DE ROUPA DO RIO PARDO - BA ("SOAP, A BUDDY SO ... THE CLOTHES, A TANTON SO": ARTICULATIONS BETWEEN SOCIAL MEMORIES AND PARDO RIO WASHING MACHINES - BA)

Nádia Cristina Moraes Sampaio Gobira

Resumo


RESUMO:

As lavadeiras de roupa do Rio Pardo (BA) integram seu modo de vida à beira do rio. Isso acontece na prática das relações interpessoais, na preservação de símbolos e nas condutas que reconstroem a memória social desse grupo. Nesse contexto, transmitem-se as tradições por meio das experiências compartilhadas ao longo dos anos, bem como pelas memórias que são resguardadas. Com base nesse enfoque é que se procedeu à leitura do rio Pardo, por meio do olhar das mulheres que lavam roupas naquelas águas e cujas histórias de vida, permanências, produção espacial, conflitos, memórias e práticas giram em torno daquele espaço. A coleta de dados incluiu os seguintes instrumentos: revisão bibliográfica e pesquisa de campo. Para as lavadeiras, o “estar junto” é fundamental, consiste em um convívio que assegura a manutenção dos resquícios de uma cultura que já gozou de momentos de força e de solidez. É um processo de reconstrução e de reinvenção de si mesmas e do grupo.

Palavras-chave: Lavadeiras de Roupa; Memória Social; Rio Pardo.

 

ABSTRACT:

The clothes washers of Rio Pardo (BA) integrate their way of life by the river. This happens in the practice of interpersonal relations, in the preservation of symbols and in the behaviors that reconstruct the social memory of this group. In this context, the traditions are transmitted through the experiences shared over the years, as well as the memories that are preserved. Based on this approach, the Pardo River was read, through the eyes of the women who wash clothes in those waters and whose stories of life, permanence, space production, conflicts, memories and practices revolve around that space. Data collection included the following instruments: bibliographic review and field research. For washerwomen, "being together" is essential, it consists of a community that ensures the maintenance of the remnants of a culture that has enjoyed moments of strength and solidity. It is a process of rebuilding and reinventing themselves and the group.

Keywords: Clothes Washers; Social Memory; Rio Pardo.


Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Maurício. Sobre a memória das cidades. In: CARLOS, Ana Fani Alessandri et al. (Org.). A produção do espaço urbano. 1ª ed. São Paulo: Contexto, 2014. p. 19-39.

ARRUDA, Gilmar. Cidades e Sertões: entre história e a memória. Bauru: Edusc, 2000

BERQUE, Augstin. Paisagem-marca, paisagem-matriz: elementos da problemática para uma geografia cultural. In: CORRÊA, Roberto Lobato, ROSENDAHL, Zeny (org). Paisagem, tempo e cultura. 2ªed. Rio de janeiro: EdUERJ, 2004.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças dos velhos. 3ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

CARLOS, Ana Fani A. Espaço-tempo na metrópole: a fragmentação da vida cotidiana. São Paulo: Contexto, 2001.

CARLOS, Ana Fani A. O lugar no/do mundo. São Paulo: Hucitec, 1996.

CHEVALIER, J. GHEERBRANT, A. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Rio de Janeiro: José Olympio, 1988.

DEL RIO, Vicente, OLIVEIRA, Lívia de (org). Percepção ambiental: a experiência brasileira. São Paulo: Studio Nobel; São Carlos, SP: Universidade Federal de São Carlos, 1996.

DEL RIO, Vicente. Cidade da mente, Cidade Real percepção e revitalização da Área Portuária do RJ. In: DEL RIO, Vicente, OLIVEIRA, Lívia de (org). Percepção ambiental: a experiência brasileira. São Paulo: Studio Nobel; São Carlos, SP: Universidade Federal de São Carlos, 1996.

DIEGUES, Antonio Carlos. Aspectos socioculturais e político do uso da água. NUPAUB – Núcleo de Apoio à Pesquisa sobre Populações Humanas e Áreas Úmidas Brasileiras – USP. São Paulo: NUPAUB, 2005

DIEGUES, Antonio Carlos. Água e cultura nas populações tradicionais brasileiras. I Encontro Internacional: Governança da água. São Paulo: novembro de 2007.

DOURADO, Auceia Matos; VARGAS, Maria Augusta Mundim. Entre tradições e traduções: identidade territorial nos assentamentos de reforma agrária. 3º Seminário Regional Norte e Nordeste de Pós-Graduação em Geografia. Anais. João Pessoa, 2013.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

MENDES, Geísa F. Sertão se traz na alma? Território, lugar, memória e representações sociais. Tese de Doutorado apresentada ao Núcleo de Pós-Graduação em Geografia– Universidade Federal de Sergipe. São Cristóvão: 2009.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desenho do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 7ª edição. São Paulo Hucitec. Rio de Janeiro: Abrasco, 2000.

OLIVEIRA, Paulo Wendell Alves de Oliveira; COSTA, Ana Paula Rodrigues da. Espaço e memória na representação histórico-cultural materializada nas paisagens do núcleo de formação histórica da cidade de Juazeiro do Norte-CE. Revista Casa da Geografia de Sobral. Sobral, 2014, v.16, n.2, p 3-19.

PANNUNZIO, Martha Azevedo. Era uma vez um rio. 3ª ed. Rio de janeiro: José Olympio, 2004.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução: Alain François [et al]. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2007.

SILVA, Giuslane Francisca da. A memória coletiva- Revista Aedos: Revista do Corpo Discente do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) 2016 (Resenha).

VARGAS, Maria Augusta Mundim. Sentimentos da natureza: recorte de práticas do nordeste brasileiro. Encontro Regional de Estudos Geográficos. Anais. Aracaju, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista GeoNordeste

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN: 2318-2695