ANÁLISE DO ÍNDICE DE ANOMALIA DE CHUVA NA MICRORREGIÃO DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO – PERNAMBUCO (AN ANALYSIS OF THE RAINFALL ANOMALY INDEX IN VITORIA DE SANTO ANTÃO MICROREGION – PERNAMBUCO)

Eberson Pessoa Ribeiro, Amanda Steffany Quirino de Alcântara Maciel

Resumo


RESUMO:

A microrregião de Vitória de Santo Antão se destaca pela sua produção agrícola, sendo considerada o cinturão verde da Região Metropolitana do Recife (RMR). O presente trabalho tem como objetivo avaliar a variabilidade espaço–temporal da precipitação na microrregião de Vitória de Santo Antão empregando o Índice de Anomalia de Chuva (IAC). Foram utilizados os valores médios mensais da precipitação da série histórica de 1960 a 2015, medidos de 5 estações meteorológicas, obtidos por meio da Agência Pernambucana de Águas e Climas (APAC). Já para a obtenção dos dados médios mensais de temperatura do ar foi utilizado o software Estima_T, o qual estima temperaturas do ar por meio de regressões múltiplas em função das coordenadas locais. Analisou-se o IAC criado por Rooy (1965), além da análise da Probabilidade de Ocorrência de Chuva (P) e seu Período de Retorno (t). Os resultados indicaram que a microrregião possui irregularidades pluviométricas devido a eventos atmosféricos que atuam na região, como o El Niño, apresentando uma acentuada variabilidade interanual da precipitação com tendências de diminuição das chuvas. As técnicas de probabilidade de ocorrência de chuvas e o período médio de retorno se apresentaram indispensáveis para a estimativas de eventos climáticos extremos.

Palavras-chave: IAC. Probabilidade de Ocorrência de Chuvas. Intervalo Médio de Recorrência.

ABSTRACT:

The microregion of Vitória de Santo Antão stands out for its agricultural production, being considered the green belt of the Metropolitan Region of Recife (RMR). The present study aims to evaluate the spatial-temporal variability of rainfall in Vitória de Santo Antão microregion by using the Rainfall Anomaly Index (IAC). The mean values of the precipitation of the historical series from 1960 to 2015, measured from 5 meteorological stations, obtained through Pernambuco State of Waters and Climates (APAC) were used. The average air temperature data were obtained by using Estima_T software, which estimates air temperatures through multiple regressions as a function of local coordinates. The RAI created by Rooy (1965) was analyzed, as well as the Rainfall Probability (P) analysis and its Return Period (t). The results indicated that microregion has pluviometric irregularities due to atmospheric events that operate in the region, such as El Niño, showing a marked interannual variability of precipitation with tendencies of rainfall reduction. The techniques probability occurrence of rains and the average period of return were indispensable for the estimation of extreme climatic events.

Keywords: IAC. Rainfall Probability. Mean Recurrence Interval.


Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, M. L. S.; BARBOSA, M. P.; SOUSA, R. F. Efeitos do El Niño de 1997/1998 na produção agropecuária na bacia do Rio Sucuru - Cariri Paraibano. Caminhos de Geografia, Uberlândia v. 8, n. 24, 2007.

ALVES, E. D. L. et al. Análise climática da precipitação em Israelândia–GO e Piranhas–GO utilizando o Índice de Anomalia de Chuva (IAC). Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer – Goiânia, v. 6, n. 11, 2010.

ALVES, M. F. A. et al. Análise do regime hídrico de Patos-PB por meio do Índice de Anomalia de Chuvas (IAC). Revista Verde, Pombal - PB, v. 10, n. 4, p. 42 - 46, 2015.

ARAÚJO, L. E et al. Análise da Variabilidade Espaço-Temporal da precipitação na Bacia do rio Paraíba usando IAC. Revista de Geografia, Recife-PE, vol.1, 2007.

ARAÚJO, L. E.; DA SILVA, D. F. Influência da variabilidade climática sobre a distribuição espaço–temporal da precipitação na região do baixo Paraíba (PB). Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 12, n. 37, p. 289–304, 2011.

ARAÚJO, L. E.; MORAES NETO, J. M.; SOUSA, F. A. S. Análise Climática da Bacia do Rio Paraíba - Índice de Anomalia de Chuva (IAC). Engenharia Ambiental, Espírito Santo do Pinhal, v.6, n.3, p.508-523, 2009.

ARAÚJO, Y. P. et al. Probabilidade de ocorrência e tempo de retorno da precipitação em diferentes ambientes no Estado de Pernambuco. I CONIDIS, 2016.

CAVALCANTI, E. P.; SILVA, V. P. R.; SOUSA, F. A. S. Programa computacional para a estimativa da temperatura do ar para a região Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Brasil, v. 10, n. 1, p. 140 – 147, 2006.

DA SILVA, D. F. Análise de aspectos climatológicos, agroeconômicos, ambientais e de seus efeitos sobre a bacia hidrográfica do rio Mundaú (AL e PE). Tese (Doutorado em Recursos Naturais) – Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2009.

DA SILVA, D. F. et al. Influência da variabilidade climática global e de suas escalas temporais sobre a precipitação no Alto Mundaú (PE). RBGF- Revista Brasileira de Geografia Física. Recife-PE, v. 2, n.03, p. 64-82, 2009.

DA SILVA, D. F.; GALVÍNCIO, J. D.; NÓBREGA, R. S. Influência da variabilidade climática e da associação de fenômenos climáticos sobre sub-bacia hidrográficas do rio São Francisco. Revista Brasileira de Ciências Ambientais. n. 19, 46–56, 2011.

FREITAS, M. A. S. Um Sistema de Suporte à Decisão para o Monitoramento de Secas Meteorológicas em Regiões Semi-Áridas. Revista Tecnologia, Fortaleza, v. Suplem, p. 84-95, 2005.

FREITAS, M. A. S. A. Previsão de Secas e a Gestão Hidroenergética: O Caso da Bacia do Rio Parnaíba no Nordeste do Brasil. Seminário Internacional sobre Represas y Operación de Embalses, Puerto Iguazú. v. 1., p. 1., 2004.

HILLESHEIM, W. T.; NEVES, L. O. Análise frequencial e distribuição temporal das chuvas na região de Rio do Sul/SC. Ciência e Natura, Santa Maria, v. 37. Ed. Especial SIC, p. 119 – 124, 2015.

MARCUZZO, F. F. N.; GOULARTE E. R. P. Índice de Anomalia de Chuvas do Estado do Tocantins. Geoambiente, Jataí–GO, n. 19, p. 55–71, 2012.

MOLION, L. C. B.; BERNARDO, S. O. Dinâmica das chuvas no Nordeste Brasileiro. Congresso Brasileiro de Meteorologia, Rio de Janeiro, v. 11, p. 1334-1342, 2000.

NOGUEIRA, M. R. L. et al. Probabilidade de ocorrência de chuva em municípios do Semiárido Pernambucano. Pensar Acadêmico, Manhuaçu, v. 14, n. 1, p. 24-36, 2016.

OLIVEIRA JÚNIOR, J. F. et al. Análise de Homogeneidade de Séries Pluviométricas para Determinação do Índice de Seca IPP no Estado de Alagoas. Floresta e Ambiente, v. 19, n. 1; p. 101-112, 2012.

OMETTO, J. C. Bioclimatologia vegetal, São Paulo: Ceres, 1981.

PEREIRA, A. R.; ANGELOCCI, L.R.; SENTELHAS, P. C. Agrometeorologia: fundamentos e aplicações práticas. Guaíba-RS, 2002.

RIBEIRO, E. P. Mudanças ambientais e desertificação na bacia hidrográfica do rio Pajeú. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal de Pernambuco. Recife, 2016.

RIBEIRO, E. P.; NÓBREGA, R. S.; F. O. MOTA FILHO. Spatiotemporal Rainfall Variability in the Pajeu′ River Basin, Pernambuco, Brazil, Journal of Environmental Hydrology, v. 23, Paper 2, 2015.

ROOY, M. P. V. A Rainfall Anomaly Index Independent of Time and Space. Notes, v.14, 1965.

SANCHES, F. O.; VERDUM, R.; FISCH, G. Índice de Anomalia de Chuva (IAC) na avaliação das precipitações anuais em Alegrete/RS (1928-2009). Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 15, n. 51, p. 73-84, 2014.

SANT’ANNA NETO, J. L. Clima e a organização do espaço. Boletim de Geografia, Maringá, v. 16, n. 1, p. 119–131, 1998.

SOUZA, A. B.; DA SILVA, D. F. Índice de anomalia de chuva aplicado à bacia hidrográfica do Rio Jaguaribe (CE). Anais... Juazeiro do Norte–CE, p. 1–5, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista GeoNordeste

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN: 2318-2695