RIO SÃO FRANCISCO: VÍNCULOS TERRITORIAIS, IDENTIDADES E TERRITORIALIDADES (SÃO FRANCISCO RIVER: TERRITORIAL LINKS, IDENTITIES AND TERRITORIALITIES)

Angela Fagna Gomes de Souza, Suzana Graziele de Souza

Resumo


RESUMO:

Neste artigo propomos analisar a socioespacialização dos sujeitos que habitam as margens e ilhas do Rio São Francisco em seu médio curso, no estado de Minas Gerais. Definimos nossos aportes teóricos conceituais de pesquisa, tomando a identidade, a territorialidade e os vínculos territoriais delineados por Hall (2005; 2011), Castells (1999, 2002), Almeida (2008; 2008a), Claval (1995, 1999), Saquet (2009, 2010), Haesbaert (1999; 2007), Cruz (2006; 2007; 2011), Diegues (2001, 2008), Moley (2005), Heidrich (2009) e Gimenez (1999), indispensáveis em nossas reflexões. Enquanto metodologia optamos pela pesquisa geográfica qualitativa tendo como suporte autores como Triviños (1987), Godoy (1995; 1995a) e Brandão (2006). Assim, na pesquisa tivemos um duplo olhar, um mais voltado para os marcos históricos de formação do território, compreendendo o Rio São Francisco por meio de suas temporalidades, e o outro mais voltado para a compreensão das múltiplas identidades que são construídas a partir da percepção, da vivência e da r-existência em um território de vida e trabalho.

Palavras-chave: Identidades; Territorialidades; Comunidades.

ABSTRACT:

In this article we propose to analyze the socioespacialization of the subjects that inhabit the banks and islands of the São Francisco River in their middle course, in the state of Minas Gerais. We define our theoretical conceptual contributions of research, taking the identity, territoriality and territorial links delineated by Hall (2005, 2011), Castells (1999, 2002), Almeida (2008, 2008a), Claval (1995, 1999), Saquet (2005), Moley (2005), Heidrich (2009) and Gimenez (1999), indispensable in our reflections. As a methodology we opted for qualitative geographic research supported by authors such as Triviños (1987), Godoy (1995; 1995a) and Brandão (2006). Thus, in the research we had a double look, one more focused on the historical landmarks of territory formation, understanding the São Francisco River through its temporalities, and the other more focused on the understanding of the multiple identities that are constructed from the perception, of living and of existence in a territory of life and work.

Keywords: Identities; Territorialities; Communities.


Palavras-chave


Identidades, Territorialidades, Comunidades

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria Geralda de. Diversidade paisagística e identidades territoriais e culturais no Brasil sertanejo. In: ALMEIDA, Maria Geralda de; CHAVEIRO, Eguimar Felício; BRAGA, Helaine Costa. (Orgs.). Geografia e Cultura: os lugares da vida e a vida dos lugares. Goiânia: Editora Vieira, 2008, p. 47 - 97.

______. Uma leitura etnogeográfica do Brasil Sertanejo. In: SERPA, Ângelo. (org.). Espaços culturais: vivências, imaginações e representações [online]. Salvador: EDUFBA, 2008a. p. 312-336.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Identidade e etnia. São Paulo: Brasiliense, 1986.

______. Reflexões sobre como fazer trabalho de campo. Revista Sociedade e Cultura, Goiás V. 10, N. 1, Jan/Jun. 2007, p. 11-27.

BRANDÃO, Carlos R.; STRECK, Danilo R. (Org.). Pesquisa participante: a partilha do saber. São Paulo: Idéias e Letras, 2006. p. 21-54.

CASTELLS, Manuel. Paraisos comunais: Identidade e significado na sociedade em rede. In: ______. O poder da identidade. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999. vol. II.

______. O poder da identidade. 3. ed. Tradução de Klauss Brandini Gerhardt. São Paulo: Paz e Terra, 2002. Vol. II.

CHAGAS, Ivo das. Eu sou o São Francisco. Montes Claros: Unimontes, 2014.

CLAVAL, Paul. La géographie culturelle. Paris: Nathan, 1995.

______. O território na transição da pós-modernidade. GEOgraphia, Rio de Janeiro, ano 1, n. 2, dez de 1999, p.7-26.

COSGROVE, Denis. A geografia está em toda parte: Cultura e simbolismo nas paisagens humanas. In: CORRÊA, Roberto Lobato; ROZENDAHL, Zeny (Orgs.). Paisagem, Tempo e Cultura. Rio de Janeiro: Eduerj, 1998. p. 92-123.

COSTA, João Batista de Almeida. Cerrados norte mineiro: populações tradicionais e suas identidades territoriais. In: ALMEIDA, Maria Geralda de. Tantos Cerrados: múltiplas abordagens sobre a biodiversidade e singularidade cultural. Goiânia: Ed. Vieira, 2005. p. 295-319.

______. Populações tradicionais do sertão norte mineiro e as interfaces socioambientais vividas. Revista Cerrados. Montes Claros, v. 4, n. 1, p. 81-108, jan./dez. 2006.

CRUZ, Valter do Carmo. Pela outra margem da fronteira: território, identidade e lutas sociais na Amazônia. 2006. 199 f. Dissertação (Mestrado em Geografia). PósGeo. Universidade Federal Fluminense/UFF. Rio de Janeiro, 2006.

______. Territorialidades, identidades e lutas sociais na Amazônia. In: ARAÚJO, Frederico Guilherme Bandeira de; HAESBAERT, Rogério. Identidades e territórios: questões e olhares contemporâneos. Rio de Janeiro: Access, 2007. p. 93 a 122.

______. Lutas sociais, reconfigurações identitárias e estratégias de reapropriação social do territó-rio na Amazônia. 2011. 368 f. Tese (Doutorado em Geografia). Departamento de Geografia, Programa de Pós-Graduação em Geografia, UFF, Niterói, 2011.

DE PAULA, Andreia Maria Narciso Rocha. TRAVESSIAS... Movimentos migratórios em comunidades rurais no Sertão do Norte de Minas Gerais. 2009. 350 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Instituto de Geografia, Universidade Federal Uberlândia, Uberlândia, 2009.

DIEGUES, Antonio Carlos Sant´Ana; ARRUDA, Rinaldo S. V. (Orgs.). Saberes tradicionais e biodiversidade no Brasil. Brasília: Ministério do Meio Ambiente; São Paulo: USP, 2001.

DIEGUES, Antonio Carlos Sant´Ana. O mito moderno da natureza intocada. 6 ed. ampliada. São Paulo: Hucitec/NUPAUB/USP, 2008.

GIMENEZ, Gilberto. Território, cultura e identidade: La región sociocultural. Estudios sobre las Culturas Contemporáneas, época II. v. V, n. 9, Colina, 1999, p. 25-57.

GODOY, Arilda Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 57-63, mar./abr., 1995.

______. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 20-29, maio/jun., 1995a.

GONCALVEZ, Carlos Walter Porto. O Latifúndio Genético e a r-existência Indígeno-Camponesa. Geographia, Niteroi-RJ UFF/PGG. Ano IV, n° 8, 2002.

HAAL, Stuart. Identidade cultural na pos modernidade. Trad. Tomaz Tadeu Silva, Guaracira Lopes Louro. 7 ed. São Paulo: DP&A Editora, 2005.

______. Quem precisa da identidade? In: SILVA, Thomaz Tadeu da; (org.) HALL, Stuart; WOODWARD, Kantthryn. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

HAESBAERT, Rogério. Des-Territorialização e Identidade: a rede “gaúcha” no Nordeste. Niterói: EDUFF, 1997.

______. Identidades territoriais. In: CORRÊA, Roberto Lobato; ROSENDAHL, Zeni. (Orgs.). Manifestações da cultura no espaço. Rio de Janeiro: Editora da UERJ, 1999. p. 169 a 189.

______. Identidades territoriais: entre a multiterritorialidade e a reclusão territorial (ou: do hibridismo cultural à essencialização das identidades. In: ARAÚJO, Frederico Guilherme Bandeira; HAESBAERT, Rogério (org.). Identidades e territórios: questões e olhares contemporâneos. Rio de Janeiro: Access, 2007. p. 33 a 56.

HEIDRICH, Álvaro Luiz. Conflitos territoriais e estratégias de preservação da natureza. In: SAQUET, Marcos Aurélio; SPÓSITO, Elizeu (org.). Territórios e territorialidades: teorias, processos em conflito. São Paulo: Expressão Popular, 2009. p. 271-291.

MARTINS, Geraldo Inácio. As tramas da des(re)territorialização camponesa: a reinvenção do território veredeiro no entorno do Parque Nacional Grande Sertão-Veredas, Norte de Minas Gerais. 2011. 298 f. Dissertação (mestrado em Geografia) – Instituto de Geografia, PPG-IG/UFU, Uberlândia, 2011.

MOLEY, David. Pertenencias. Lugar, espacio e identidade em um mundo mediatizado. In: ARFUCH, Leonor. Pensar este tiempo: espacios, afectos, pertinencias. Buenos Aires: Paidós, 2005. p. 131-167.

PIERSON, Donald. Homem no vale do São Francisco. Tradução de Ruy Jungman. Rio de Janeiro: SUVALE, 1972a. Tomo I.

SAQUET, Marcos Aurélio; GAGLIOTTO, Ana Rúbia. Abordagens das dimensões do território.In: ALMEIDA, Maria Geralda; CRUZ, Beatriz Nates (Org.) Território e cultura: inclusão e exclusão nas dinâmicas socioespaciais. Goiânia: Cegraf/UFG, 2009, p. 42-54.

SAQUET, Marco Aurélio. Abordagens e concepções de território. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

SOUZA, Angela Fagna Gomes de. O tempo das águas: ciclos de vida entre as margens do rio São Francisco, a Ilha das Pimentas – Pirapora/MG. 2011. 182f. Dissertação (mestrado em Geografia) – Instituto de Geografia, PPG-IG/UFU, Uberlândia, 2011.

______. Saberes dinâmicos: o uso da etnografia nas pesquisas geográficas qualitativas. In: MARAFON; Glaucio José; [et. al.]. Pesquisa qualitativa em geografia: reflexões teórico-conceituais e aplicadas. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013. p. 55-68.

SPIX, Johann Baptist; MARTIUS, C. F. P. Viagem pelo Brasil: 1817-1820. Vol.2. 2. Edição. São Paulo: Edições Melhoramentos, 1981.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Pesquisa qualitativa. In: ______. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987. p. 116-173.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista GeoNordeste

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN: 2318-2695