EMMANUEL FRANCO (1919-2008): ENGENHEIRO AGRÔNOMO, PROFESSOR E PESQUISADOR (EMMANUEL FRANCO (1919-2008) AGRONOMIST, PROFESSOR AND RESEARCHER)

Joaquim Tavares da Conceição, Jorge Carvalho do Nascimento, Marco Arlindo Amorim Melo Nery

Resumo


RESUMO:

Este artigo procura compreender aspectos da trajetória de vida de Emmanuel Franco (1919-2008), especialmente, evidenciando sua formação educacional, suas ações e realizações enquanto pesquisador, engenheiro agrônomo, professor e escritor. A pesquisa parte do pressuposto que o estudo sobre uma determinada trajetória de vida é fonte importante para a compreensão e escrita da história de uma determinada sociedade. Nesse sentido, pesquisar a vida deste engenheiro agrônomo sergipano, ao tempo em que evidencia suas contribuições em diversos campos, também lança luzes sobre temas como pesquisas agronômicas e biogeográficas, ensino agronômico e agrícola, formação do campo profissional dos engenheiros agrônomos e sobre instituições educacionais por onde passou na qualidade de aluno ou professor.

Palavras-chave: Agronomia; Emmanuel Franco; Esboço Biográfico. 

ABSTRACT:

This article seeks to understand aspects of the life story of Emmanuel Franco (1919-2008), especially showing his educational background and his actions and accomplishments as a researcher, an agronomist, professor and writer. The research assumes that the study of a particular trajectory of life is an important source for understanding and writing history of a given society. In this sense, to research the life of an agronomist of Sergipe, while it highlights his contributions in various fields, also sheds light on topics such as agronomic and biogeographic research, agronomic education and agricultural training of the professional field of agronomists and on educational institutions where passed as a student or teacher.

Keywords: Agronomy; Emmanuel Franco; Biographical Sketch.


Palavras-chave


Agronomia; Emmanuel Franco; Esboço biográfico

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Sharyse Piroupo do. Um pé calçado, outro no chão. Liberdade e escravidão em Sergipe (Cotinguiba, 1860-1900). Salvador: EDUFBA; Aracaju: Editora do Diário Oficial, 2012.

AVELAR, Alexandre de Sá. Figurações da escrita biográfica. ArtCultura, Uberlândia, v. 13, n. 22, p. 137-155, jan.-jun. 2011.

BORGES, Vavy Pacheco. O historiador e seu personagem: algumas reflexões em trono da biografia. Revista Horizontes. v. 19. Bragança Paulista. Jan/dez, 2001

BOURDIEU, Pierre. Razões práticas. Sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 2010.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A reprodução: Elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1982.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

CONCEIÇÃO, Joaquim Tavares da. A pedagogia de internar: história do internato no Ensino Agrícola Federal (1934-1967). São Cristóvão: UFS, 2012.

CONCEIÇÃO, Joaquim Tavares da. Internar para educar. Colégios-internatos no Brasil (1840-1950). Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia, Bahia. 2012.

DANTAS, José Ibarê Costa. História de Sergipe: República (1889-2000). Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2000.

ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

FRANCO, E. Estudos sobre o anel-vermelho do coqueiro. Aracaju: Inspetoria de Defesa Sanitária Vegetal, 1964.

FRANCO, E. Estudo ecológico do clima de Sergipe. Tese (Livre Docência em Geografia). Universidade Federal de Sergipe, 1976.

FRANCO, E. Biogeografia do Estado de Sergipe. Aracaju: edição do autor, 1983.

GUARANÁ, Manuel Armindo Cordeiro. Dicionário Bio-bibliográfico sergipano. Rio de Janeiro: Pongetti & Cia, 1925.

MANGUEIRA, Francisco Igor de Oliveira. Colégio Tobias Barreto: escola ou quartel? (1909-1946). 2003. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2003.

MENDONÇA, Sonia Regina de. O ruralismo brasileiro. São Paulo, Hucitec, 1997, p. 68.

NASCIMENTO, Jorge Carvalho do. Memórias do Aprendizado: oitenta anos de ensino agrícola. Maceió: Edições Catavento, 2004.

NERY, Marco Arlindo Amorim Melo. A regeneração da infância pobre sergipana no início do Século XX: o Patronato Agrícola de Sergipe e suas práticas educativas. 2006. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2006.

NUNES, Maria Thetis. Sergipe Provincial II (1840-1889). Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2006.

SUBRINHO, Josué Modesto dos Passos. Reordenamento do Trabalho: trabalho escravo e trabalho livre no Nordeste Açucareiro, Sergipe 1850 – 1930. Aracaju: FUNCAJU, 2000.

TIMMER, Willy Johanan. Planejamento do Trabalho em Extensão Agrícola. Rio de Janeiro, Ministério da Agricultura – Serviço de Informação Agrícola, 1954.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista GeoNordeste

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN: 2318-2695