Revista GeoNordeste https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste <p><strong>Escopo</strong>: A Revista GeoNordeste é uma publicação semestral do PPGEO (Programa de Pós-Graduação em Geografia) da UFS (Universidade Federal de Sergipe), Brasil, destinada a divulgar a produção científica nos mais diversos âmbitos do conhecimento geográfico, sobretudo àqueles vinculados à Produção do Espaço Agrário, Dinâmica Ambiental e Dinâmicas Territoriais e Desenvolvimento, Linhas de Pesquisa do Programa. Desde 1984, a GeoNordeste é um periódico dedicado a publicar e divulgar conhecimentos Geográficos, e está voltada preferencialmente aos profissionais e pós-graduandos em Geografia e áreas correlatas. O acesso à GeoNordeste é aberto, com publicação somente na versão on line. Nenhuma taxa é cobrada nas diversas fases da revisão ou publicação da Revista.<br><strong>E-ISSN</strong>: 2318-2695</p> pt-BR <div id="deed-rights" class="row" dir="ltr"><div class="col-sm-offset-2 col-sm-8"><h3> </h3></div></div><div><table class="data" width="100%"><tbody><tr valign="top"><td width="95%"><label for="copyrightNoticeAgree">Os autores devem concordar com os termos da Declaração de Direito Autoral, que se aplicará a submissão caso seja publicada nesta revista, assim como, repassa a Revista GeoNordeste como detentora dos direitos autorais da publicação.</label></td></tr></tbody></table></div><div> </div><div><div id="deed-rights" class="row" dir="ltr"><div class="col-sm-offset-2 col-sm-8"><h3>Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)</h3><h3>Você é livre para:</h3><ul class="license-properties"><li class="license share">Compartilhar - copiar e redistribuir o material em qualquer meio ou formato</li><li class="license remix">Adaptar - transformar e construir sobre o material</li></ul></div></div><div class="row"><ul id="license-freedoms-no-icons" class="col-sm-offset-2 col-sm-8"><li class="license">O licenciante não pode revogar essas liberdades desde que você siga os termos da licença.</li></ul></div><div id="deed-conditions" class="row"><h3>Sob os seguintes termos:</h3><ul class="license-properties col-md-offset-2 col-md-8" dir="ltr"><li class="license by"><p>Atribuição - Você deve dar <a id="appropriate_credit_popup" class="helpLink" title="" href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/" data-original-title="">crédito apropriado</a> , fornecer um link para a licença e <a id="indicate_changes_popup" class="helpLink" title="" href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/" data-original-title="">indicar se as alterações foram feitas</a> . Você pode fazê-lo de forma razoável, mas não de forma que sugira que o licenciante o respalda ou o seu uso.</p></li><li class="license nc"><p>Não Comercial - Você não pode usar o material para <a id="commercial_purposes_popup" class="helpLink" title="" href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/" data-original-title="">fins comerciais</a> .</p></li></ul></div><div class="row"><ul id="deed-conditions-no-icons" class="col-md-offset-2 col-md-8"><li class="license">Não há restrições adicionais - Você não pode aplicar termos legais ou <a id="technological_measures_popup" class="helpLink" title="" href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/" data-original-title="">medidas tecnológicas</a> que restringem legalmente os outros de fazer qualquer coisa que a licença permita.</li></ul></div></div> geonordeste@gmail.com (José Wellington Carvalho Vilar) geonordeste@gmail.com (Wellington Vilar) qua, 29 jun 2022 16:12:40 -0300 OJS 3.1.2.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 EXPEDIENTE https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/17789 Marcus Henrique Oliveira de Jesus Copyright (c) 2022 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/17789 qua, 29 jun 2022 16:05:30 -0300 NOTA EDITORIAL https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/17785 José Wellington Carvalho Vilar Copyright (c) https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/17785 qua, 29 jun 2022 00:00:00 -0300 VGI, GEOTECNOLOGIAS OPEN SOURCE E GESTÃO DO TURISMO EM COIMBRA, PORTUGAL https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/15843 <p>Esta pesquisa tem como objetivo analisar as bases de informações turísticas georreferenciadas da região de Coimbra, Portugal, através das tecnologias Open Source, como uma possibilidade de gerar uma contribuição para os diversos setores da gestão do destino. Metodologicamente, busca-se discutir sobre processos de interação corporativa pública e/ ou privada na construção de um GeoPackage relacional ancorado em Web GIS Server (QGIS Cloud), que usa o conceito de software como serviço (SaaS), sem a necessidade de criar uma estrutura única de hardware, software e recursos humanos dedicados ao GIS municipal, que podem ser acessados nos sites e aplicativos públicos. Assim, o uso integrado de dados oficiais dos diferentes níveis de governo e os dados considerados individuais, gerados pelos cidadãos e disponíveis nos exploradores Google Maps, Bing Maps, Open Street Maps, Waze, etc., podem ser livremente extraídos, armazenados e distribuídos. Como resultado, a sua incorporação na gestão ajuda a identificar, atualizar, analisar e produzir informações colaborativas voluntárias demonstrando a descentralização do processo de produção e controle espacial da informação.</p> <p>&nbsp;</p> Antonio Carlos Campos, Cristiane Alcântara de Jesus Santos, Claudete Oliveira Moreira Copyright (c) 2021 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/15843 dom, 12 set 2021 00:00:00 -0300 FUGA DE CÉREBROS: UMA BREVE ANÁLISE SOBRE A PERDA E O GANHO DE MIGRANTES QUALIFICADOS DO ESTADO DO PIAUÍ - BRASIL https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/15291 <p>O presente trabalho tem como objetivo analisar a migração interestadual qualificada “do” e “para” o estado do Piauí, verificando se o estado ganha ou perde cérebros, tendo como base os microdados dos censos demográficos nos períodos de 1995/2000 e 2005/2010. Na metodologia é utilizada uma matriz migratória interestadual e mensurado o comportamento da migração de pessoal qualificado do estado do Piauí para outras unidades federativas e de outras unidades federativas para o Piauí, a partir do Saldo Migratório, e dos Índices de Migração Qualificada Liquida (IMQL) e de Eficiência Migratória (IEM). Os principais resultados do estudo apontam que as UF´s do Distrito Federal, São Paulo e Ceará foram os receptores que se beneficiaram com maior volume e consistência do fluxo de mão-de-obra qualificada originada no Piauí.</p> CLEMILTON GOMES DE SOUSA, Caio Guimarães de Freitas, Rodrigo Gustavo de Souza Copyright (c) 2022 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/15291 sáb, 15 jan 2022 00:00:00 -0300 ATUALIDADE DA QUESTÃO (DA REFORMA) AGRÁRIA: CONQUISTAS CAMPONESAS EM MEIO À PERPETUAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO FUNDIÁRIA NO VALE DO JAGUARIBE – CEARÁ - BRASIL https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/16245 <p>Este ensaio é uma contribuição ao debate da questão agrária, notadamente aos esforços para a realização de uma verdadeira política de reforma agrária que democratize a terra no campo brasileiro do século XXI. O objetivo geral é analisar as conquistas dos assentamentos rurais pelo campesinato sem-terra e a estrutura fundiária do espaço agrário da Mesorregião Geográfica do Vale do Jaguaribe, estado do Ceará, um dos principais espaços de disputas territoriais entre o campesinato sem-terra e as empresas do agronegócio em solo cearense. Duas fontes oficiais de dados amparam essa reflexão: o Sistema de Informações de Projetos de Reforma Agrária, do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, e os Censos Agropecuários 2006 e 2017, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Os resultados apontam que, apesar da narrativa dos defensores do agronegócio, relegando a terra e, consequentemente, a reforma agrária a um papel secundário e até mesmo arcaico para o desenvolvimento do país, a perpetuação da concentração da posse, uso e propriedade da terra pelo agronegócio no espaço agrário cearense, com a reprodução do latifúndio e do minifúndio, dos conflitos territoriais e da violência, corrobora uma tese oposta: a da atualidade e necessidade da reforma agrária para o conjunto da sociedade brasileira.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Estrutura fundiária. Assentamento rural. Reforma agrária. Agronegócio. Vale do Jaguaribe.</p> Claudemir Martins Cosme Copyright (c) 2022 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/16245 ter, 11 jan 2022 00:00:00 -0300 A AGRICULTURA URBANA E AS RELAÇÕES COM AS INSTITUIÇÕES LOCAIS: OS CASOS DE BELÉM-PA E PORTO ALEGRE-RS (2011-2014) https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/15561 <p>O objetivo do trabalho foi abordar a Agricultura Urbana de Belém-PA e Porto Alegre-RS focando as inter-relações entre a atividade e as instituições dos municípios. A metodologia utilizada foi à análise descritiva com abordagem mista (qualitativa e quantitativa). A amostra empregada foi aleatória e intencional. Em ambos os municípios observam-se ações que foram implantadas pontualmente e não tiveram continuidade posterior. Em termos de existência e relações na atualidade, a capital gaúcha demonstra mais canais de comercialização, que derivam de relações institucionais estabelecidas anteriormente. Na situação belenense alguns elementos se apresentam sem alternativas de soluções que possam ser buscadas até o momento, ações essas de criar possibilidades para os problemas ligados às altas temperaturas e as distâncias percorridas via transporte fluvial. Porém, nas duas situações foram visualizados aspectos importantes em relação à articulação das instituições com ações de Agricultura Urbana, o que demonstra o significado dessas relações e seu potencial diante de novas iniciativas nos espaços produtivos.</p> Elvis Albert Robe Wandscheer, Rosa Maria Vieira Medeiros Copyright (c) 2022 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/15561 sáb, 05 fev 2022 00:00:00 -0300 MIGRAÇÃO PARA O TRABALHO AGRÍCOLA NO CERRADO MINEIRO: UMA AVALIAÇÃO A PARTIR DO MUNICÍPIO DE SÃO GOTARDO https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/15231 <p>Com advento da chamada “Revolução Verde”, um conjunto de inovações técnicas possibilitou a modernização do campo, aprofundando os nexos capitalistas. Esse processo torna-se pujante no território brasileiro a partir das décadas de 1960/1970, com a expansão da fronteira agrícola e a ocupação de áreas do bioma Cerrado. Assim, o presente trabalho realiza o exame do município de São Gotardo-MG, situado na mesorregião Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba. São Gotardo corresponde a um dos municípios selecionados para sediar o Programa de Assentamento Dirigido do Alto Paranaíba (PADAP). Mediante a instrumentalização do território e desenvolvimento de modernas tecnologias de produção proporcionadas pelo PADAP, São Gotardo conheceu a inserção de uma agricultura empresarial, própria do agronegócio globalizado que se instala nos cerrados do Brasil Central. O texto avalia as novas dinâmicas socioespaciais estruturadas no município, particularmente o intenso fluxo migratório – de mão-de-obra não qualificada que busca trabalho nas lavouras são-gotardenses –, proveniente do Norte de Minas Gerais e de estados do Nordeste, sobretudo do Maranhão, estabelecendo novas dinâmicas sociais, urbanas e de trabalho no município.</p> Mirlei Fachini Vicente Pereira, Deborah Cristina Alves Copyright (c) 2022 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/15231 ter, 15 mar 2022 00:00:00 -0300 DIALÉTICA EM HAESBAERT: ANTINOMIAS E METÁFORAS https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/14980 <p>Este artigo tem como objetivo refletir sobre a contribuição do pensamento de Rogério Haesbaert para a Geografia nas quatro últimas décadas, como também realizar uma crítica ao autor, em especial, sobre a relação das categorias espaço e dialética. Na primeira parte será apresentado o pensamento de Haesbaert sobre o que o autor conceitua enquanto categoria, para que, assim, se possa identificar seu entendimento das categorias espaço e tempo, como também sobre a relação espaço-tempo. Em seguida, será apresentado como a leitura do conceito da relação tríade entre des-re-territorialização, em Haesbaert, se vincula com o pós-estruturalismo de Deleuze e Guattari. E, por fim, será feita uma análise sobre a sua abordagem integradora/relacional/híbrida na reflexão conceitual do território.</p> Pedro Paulo de Lavor, Ana Rocha dos Santos Copyright (c) 2021 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/14980 seg, 12 jul 2021 00:00:00 -0300 O MUNDO VAZIO E O MUNDO CHEIO: DO MICRO AO MACRO – O EXEMPLO DA MINERAÇÃO https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/13602 <p class="Corpodotexto" style="text-indent: 0cm; line-height: normal;">A Economia Ecológica é ainda uma recente escola as diferentes áreas que compõe a grande área das Ciências Econômicas. Definições como alocação eficiente; distribuição justa; escala sustentável; bem-estar e externalidade, pensadas e repensadas pela questão mineral e, em especial as classificações de mundo cheio e vazio são algumas das definições usadas por essa escola, mas pouco estudadas no campo da epistemologia. Assim, este artigo se propõe a discutir, e popularizar alguns dos principais temas utilizados na Economia Ecológica e que muitas vezes são distantes de muitos leitores, mesmos daqueles acostumados com o rebuscado linguajar acadêmico. Como resultado é possível dizer que os mundos vazios e cheios possuem implicações microeconômicas que afetam as macroeconômicas. Assim, não se pode pensar nesta escala apenas em termos econômicos, pois conforme foi tratado, há um limite para o crescimento. Já a atividade mineral é controversa, pois ao mesmo tempo que aumenta alguns indicadores como IDH-M, se elevam as desigualdades, como apontados no Índice de GINI. Como conclusões, pode-se afirmar que o debate acerca do mundo cheio e vazio, bem como suas implicações é ainda incipiente, sendo importante mais trabalhos capazes de popularizar sua definição e uso, hoje quase que exclusivamente restritas à Economia Ecológica.</p> Tiago Soares Barcelos, Pedro Luiz Teixeira Camargo, Valmir Percival Guimarães, Loyslene Freitas Mota Copyright (c) 2022 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/13602 sáb, 05 fev 2022 00:00:00 -0300 A INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E O PROCESSO DE ESPECIALIZAÇÃO PRODUTIVA EM BENEFICIAMENTO DE ARROZ NA PEQUENA CIDADE DE SANTA CRUZ DO RIO PARDO – SP https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/13792 <p>O objetivo do trabalho é apresentar os elementos responsáveis pela gênese das indústrias de beneficiamento de arroz da pequena cidade de Santa Cruz do Rio Pardo - SP, sendo que presentemente essa cidade apresenta a especialização produtiva resultando no maior centro brasileiro de beneficiamento de arroz excetuando o estado do Rio Grande do Sul, líder no setor. A indústria de máquinas Suzuki foi essencial no processo de especialização produtiva, buscando-se nesse trabalho discutir seu papel e os aspectos técnicos que envolvem o beneficiamento de arroz. Para a realização do trabalho foram utilizadas fontes primárias e secundárias, constituídas de levantamento de campo, pesquisa bibliográfica e coleta de dados sobre o setor do beneficiamento do arroz. Observou-se que a Suzuki apresentou importante participação na gênese do setor arrozeiro, porém problemas de atraso tecnológicos contribuíram para derrocada da empresa.</p> Franciele Miranda Ferreira Dias Copyright (c) 2021 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/13792 dom, 05 set 2021 00:00:00 -0300 INDICADORES DA SUSTENTABILIDADE DA PAISAGEM URBANA EM ÁREA TURÍSTICA FUNCIONAL DO CENTRO HISTÓRICO PATRIMÔNIO MUNDIAL DE SÃO LUÍS (MARANHÃO, BRASIL) https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/16058 <p>Objetiva-se no presente estudo apresentar um modelo de eixo representativo quanto à indicadores da paisagem urbana de forma integrada, tendo como estudo de caso o centro histórico de São Luís (Maranhão, Brasil). A condensação de dados permitiu a conjugação de diversos resultados alcançados, partindo-se de pressupostos da sustentabilidade. Adotou-se como procedimentos metodológicos a pesquisa bibliográfica e documental, assim como pesquisa de campo que aconteceu ao longo do ano de 2015 com diversos atores, totalizando em 767 pessoas entrevistadas. Os resultados destacam que a análise integrada dos contextos social, cultural, econômico, político e ambiental foi possível construir um modelo de indicador da sustentabilidade da paisagem urbana em centros históricos.</p> Saulo Ribeiro dos Santos Copyright (c) 2022 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/16058 seg, 17 jan 2022 00:00:00 -0300 VARIAÇÃO DA COBERTURA VEGETAL NA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO STOESSEL DE BRITO, JUCURUTU-RN https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/15854 <p>As Reservas Particulares do Patrimônio Natural - RPPN´s são categorias de Unidade de Conservação criada pela iniciativa de proprietários rurais para assegurar a conservação da diversidade biológica. A RPPN Stoessel de Brito está situada em uma área susceptível a desertificação, associados aos processos históricos de uso e ocupação do solo, sendo a cobertura vegetal a mais afetada pela ação antrópica. Nesse contexto, este trabalho visa como objetivo analisar o comportamento da cobertura vegetal ao longo de 30 anos (1988-2018). Foram utilizadas imagens do satélite LANDSAT, através das aplicando-se o índice de vegetação, NDVI. Obteve 05 classes de cobertura vegetal, tendo a de solo exposto/vegetação sazonal a mais dominante nos anos de 1988 e 1998 (21,47% e 21,38%, respectivamente); Já a classe de caatinga aberta foi a que mais se destacou em termos de hectare para os anos de 2008 (29,70%) e 2018 (39,83%). O índice Kappa obteve a confiabilidade de 0,81 (81%). Nesse sentido, os resultados mostraram que a cobertura vegetal sofreu oscilação e perda de vegetação na classe de caatinga densa devido aos susceptíveis anos de estiagem que ocorreram na área de estudo, mostrando a importâncias das questões fisiográficas para a manutenção e regulação da cobertura vegetal.</p> Paulo Jerônimo Lucena de Oliveira , Carlos Roberto da Silva Filho, Jânio Carlos Fernandes Guedes Copyright (c) 2021 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/15854 ter, 07 set 2021 00:00:00 -0300 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS ÍNDICES DE NDVI, SAVI E EVI NA ANÁLISE DA COBERTURA DE USO DO SOLO EM UM SETOR DO MUNICÍPIO DE JEQUIÁ DA PRAIA, ALAGOAS https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/16413 <p>A área de estudo experimental localizada no município de Jequiá da Praia é constituída por variados tipos de uso do solo, dentre os quais destacam-se as lavouras cana-de-açúcar e coco, além de alguns fragmentos de remanescentes florestais. O presente trabalho consistiu na análise do desempenho dos índices de vegetação (NDVI, SAVI e EVI) a fim detecção dos diferentes tipos de uso do solo. Foram usadas imagens do satélite Sentinel 2, adquiridas em 18 de maio e 24 de novembro de 2019, a fim de verificar as diferenças nos períodos úmido e seco. As imagens foram processadas e analisadas por meio do software SNAP e Qgis, com a geração de mapas por meio da álgebra de mapas e análise de estatística zonal. A partir dos resultados foi possível constatar as diferenças entre cada classe e quantificar a área ocupada por cada tipo de uso. Também verificou-se que o SAVI e EVI demonstraram ser mais sensíveis as variações aos diferentes tipos de usos.</p> Jardel Estevam Barbosa dos Santos, Kleython de Araújo Monteiro, Melchior Carlos do Nascimento Copyright (c) 2022 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/16413 sex, 11 mar 2022 00:00:00 -0300 APLICAÇÃO DA MATRIZ DE AVALIAÇÃO RÁPIDA DE IMPACTO (RIAM) EM CEMITÉRIO PÚBLICO NA CIDADE DE MOSSORÓ/RN https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/16100 <p>Os cemitérios são considerados empreendimentos que apresentam uma elevada taxa de poluentes provenientes dos corpos em decomposição. Esse contexto impõe risco ao meio ambiente e a saúde pública, especialmente, quando concentrado é um adensamento urbano. Dentro dessa perspectiva, encontra-se o cemitério público São Sebastião, inserido na área urbana no município de Mossoró/RN. Partindo dessa premissa, com intuito de avaliar os possíveis impactos ambientais presentes na área do cemitério São Sebastião, objetivou-se realizar uma avaliação do meio físico-químico e biológico mediante aplicação do Método da Matriz de Avaliação Rápida de Impacto (RIAM). Somado a isso, com finalidade de propor intervenções preventivas e atenuadoras, aplicou-se a matriz de prioridades, também denominada matriz GUT, para direcionamento estratégico das problemáticas evidenciadas. Diante do levantamento realizado, diagnosticou-se a presença de impactos ambientais adversos nos componentes avaliados. Junto a isso, com o auxílio da matriz GUT foi possível apontar os compartimentos que necessitam de prioridade de atenção. De todo modo, espera-se que essa pesquisa possa dar suporte para elaboração de medidas corretivas e preventivas, bem como servir de base para futuros trabalhos.</p> Alana Ticiane Alves do Rêgo, Carlos Daniel Silva e Souza, Natália de Oliveira Gomes, Rafael Silva de Souza Copyright (c) 2022 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/16100 dom, 27 mar 2022 00:00:00 -0300 A CONDIÇÃO DE SER ASSENTADO, SUJEITADO E (RE)EXISTÊNCIA NA RESERVA DA BIOSFERA DO CERRADO – RESBIO GOYAZ https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/17568 <p>Pretende-se analisar a condição dos assentados dos Projetos da Reforma Agrária no Nordeste de Goiás. Discute-se brevemente acerca de como ocorreu a colonização, qual a política da colonização agrária e a decoloniedade/descolonização. Interessa, sobremaneira, a contextualização dos assentados, isto é, a existência de identidades subalternas, com o intuito de entender como foram e são silenciadas. Além disso, discutem-se alguns casos de manipulações empregadas pelo Estado com políticas insuficientes e insatisfatórias para os assentamentos e as alternativas de resistências criadas pelos subalternos.</p> Maria Geralda de Almeida Copyright (c) 2022 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/17568 sex, 29 abr 2022 00:00:00 -0300 MANUEL CORREIA DE ANDRADE E A CONSOLIDAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE – BRASIL https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/17569 <p>Manuel Correia de Andrade é uma referência incontestável na geografia brasileira. Em Sergipe não é diferente e suas contribuições à Pós-graduação, à pesquisa e ao ensino na Universidade Federal de Sergipe (UFS) foram muito grandes e bastante representativas, com marcas indeléveis em toda uma geração de geógrafos e geógrafas. O objetivo do presente texto é destacar o papel do egrégio professor na consolidação dos cursos de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Sergipe. Em termos metodológicos, foram feitas consultas aos primeiros relatórios enviados à CAPES pelo então Núcleo de Pós-graduação em Geografia (NPGEO) e entrevistas com professores do atual Programa de Pós-graduação em Geografia (PPGEO) da UFS. Os registros em forma de depoimentos de vários professores da primeira geração do PPGEO, alguns já aposentados, também se mostraram valiosos como fonte de informação e de dados para ilustrar a força das ideias, a coragem do pensamento, a oportunidade da crítica com lastro na História, no Direito e na Filosofia, e a importância aguda das colaborações do Professor Manuel Correia de Andrade no campo da geografia agrária, em especial do campesinato, dos problemas da modernização do campo e da (des)organização do espaço rural no Nordeste brasileiro, temáticas caras ao NPGEO e ao PGGEO da UFS.</p> José Wellington Carvalho Vilar Copyright (c) 2022 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/17569 sex, 29 abr 2022 00:00:00 -0300 GEOGRAFIA, TECNOLOGIA E IDEOLOGIA: RUMOS PARA O SÉCULO XXI https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/17571 <p>Os desafios do século XXI estão entrelaçados nas transformações ocorridas desde o século XX que se deu ênfase a políticas sociais e de respeito aos direitos humanos. Contudo, para o&nbsp; o século XXI, com todo o desenvolvimento tecnológico, o mundo pode se tornar uma barbárie, quer do ponto de vista social quer biológico. A vitória política, econômica e militar do capitalismo consagrou os seus cânones e acentuou a divisão do mundo em países pobres e ricos, atingindo em cheio a soberania dos primeiros. observa-se a expansão das grandes multinacionais, com a fusão ou compra de empresas menores por grupos mais fortes, a imposição de políticas espoliativas dos países ricos sobre os pobres e a utilização da tecnologia para substituir os trabalhadores por máquina.&nbsp;</p> Manuel Correia de Andrade Copyright (c) 2022 Revista GeoNordeste http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://seer.ufs.br/index.php/geonordeste/article/view/17571 sex, 29 abr 2022 00:00:00 -0300