Jogo Feira Mebengokre: o uso de um jogo como material didático para o ensino de História Indígena

  • Emerson Naylton Bezerra Pereira
  • Maria Luiza Dantas Lins

Resumo

A partir de nossa participação no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência, no subprojeto História/UFRN – Natal, vivenciamos a elaboração e a aplicação do jogo Feira Mebengokre. Este artigo objetiva relatar essa experiencia e refletir sobre seu impacto na nossa formação docente. O jogo foi concebido com o intuito de realizar uma atividade em que houvesse o protagonismo dos alunos na construção do conhecimento e de desenvolver a compreensão da diversidade dos povos indígenas no Brasil, objetivando desnaturalizar estereótipos. Desse modo, o jogo foi construído como uma simulação da Feira Mebengôkre de Sementes Tradicionais. Com sua aplicação, foi registrado que houve uma boa recepção da turma e que os objetivos da atividade foram alcançados. Assim, consideramos que essa experiência foi enriquecedora para nossa formação ao nos ter proporcionado pensar as demandas de nossas turmas e, a partir delas, construir e aplicar nossos próprios materiais didáticos.

Palavras-chave: Jogo didático. PIBID. História Indígena. Ensino de História.

Publicado
2020-12-28