Boletim Historiar https://seer.ufs.br/index.php/historiar <p><strong>Escopo</strong>: A revista eletrônica <strong>Boletim Historiar</strong> (Qualis A4) é um periódico científico editado pelo <strong>Grupo de Estudos do Tempo Presente (GET/UFS/CNPq),&nbsp;</strong>radicado no Departamento de História da Universidade Federal de Sergipe. Embora seja produzida por um grupo de pesquisa em História, a revista não se limita a aceitação de textos com temáticas específicas da área, mas, espera receber contribuições de alunos, graduados e pós-graduados, e profissionais das diversas áreas das humanidades: História, Geografia, Comunicação, Educação, Literatura, Ciências Sociais, Psicologia, Relações Internacionais, Arqueologia, dentre outras. Informamos a todos os interessados em apresentar&nbsp;<strong>artigos e resenhas</strong>&nbsp;para publicação que os mesmos são recebidos em&nbsp;<strong>fluxo contínuo</strong>. A revista tem como politica de acesso aberto. Não cobra nenhuma taxa de processamento dos artigos.<br><strong>E-ISSN</strong>: 2357-9145</p> pt-BR Boletim Historiar 2357-9145 História e Geopolítica: Análises Introdutórias sobre o Passado Colonial e a Contemporaneidade na Sociedade Brasileira https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/13592 <p>O objetivo deste texto é refletir sobre a formação do Brasil a fim de analisar rupturas e continuidades entre a colonização e a contemporaneidade. A reflexão objetiva compreender a atual posição do Brasil no mundo e como a colonização moldou determinadas circunstâncias que fazem nossa sociedade interessante na conjuntura de ferocidade do capital e da necessidade do Estado nacional reafirmar sua dominação sobre as massas. Em conformidade com as tendências das pesquisas atuais, opta-se por um estudo interdisciplinar envolvendo áreas de história e geopolítica. Em relação ao passado colonial realiza-se uma breve análise a partir de autores clássicos para entender aspectos relevantes da cultura, da economia e da política do Brasil.<br>Palavras-Chave: Interdisciplinaridade. História. Geopolítica. Sociedade.</p> Amílcar Machado Profeta Filho Rafael Egidio Leal e Silva Copyright (c) 2020 BOLETIM HISTORIAR 2020-05-04 2020-05-04 7 01 Ciência(s) e Contemporaneidade em Hugh Lacey: Contribuições Teórico-Metodológicas https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/13593 <p>A ciência moderna teceu/tece importantes contribuições para o cenário científico mundial e tem, em suas comunidades, as bases para sua consolidação. Contudo, com o avanço tecnológico possibilitado pelas ciências, é necessário que o fazer/pensar científicos contemporâneos atentem-se a valores e princípios, como os debatidos por Hugh Lacey e Hans Jonas. Nesse sentido, o objetivo do presente estudo é discutir as principais contribuições epistemológicas de Lacey para as ciências contemporâneas. Para isso, foram utilizadas as principais obras do autor e consultadas outras bibliografias que dialogaram com tais discussões. Observou-se que os conceitos abordados nessas obras trazem grandes contribuições às ciências, à medida que, fornecem subsídios éticos para a prática científica. Destarte, faz-se necessário o aprofundamento no estudo do fazer/pensar científico contemporâneo, frente à necessidade de salvaguarda dos valores éticos coletivos.<br>Palavras-chave: Epistemologia. Precaução. Responsabilidade.</p> Nicole Cavalcanti Silva Luiz Ricardo Oliveira Santos Copyright (c) 2020 BOLETIM HISTORIAR 2020-05-04 2020-05-04 7 01 História e Teoria Queer: possibilidades nas margens https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/13594 <p>Como pensar/escrever uma História queer? Como a História pode beber da fonte da teoria queer para repensar a si mesma? O que este saber subalterno, subversivo e contra-hegemônico está dizendo para nós historiadores? Este artigo é um, dentre vários outros, que realiza um breve debate acerca da escrita da História, produto da arte ou da ciência dos historiadores, e seu diálogo com a chamada teoria queer. O objetivo deste trabalho é trazer uma discussão sobre o modo como interpretamos o passado ou presente, evidenciando as potencialidades de se “queerizar” a História. Apontando a teoria queer como um novo caminho e uma nova possibilidade para a pesquisa histórica.<br>Palavras-Chave: História. Historiografia. Teoria Queer.</p> Cassiano Celestino de Jesus Copyright (c) 2020 BOLETIM HISTORIAR 2020-05-04 2020-05-04 7 01 As instruções para soldados americanos e britânicos na II Guerra Mundial: uma análise comparativa (1942-1945) https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/13595 <p>O objetivo deste trabalho é analisar, em perspectiva comparada, manuais de instruções produzidos pelos Estados Unidos e Grã-Bretanha na II Guerra Mundial. Analisamos o Instructions for American Servicemen in Britain (1942), Instructions for British Servicemen in France (1944) e o Instructions for American Servicemen in France During World War II (1944). O primeiro manual produzido em 1942, teve a função de instruir os soldados americanos enviados para lutar na Grã-Bretanha. O segundo, para orientar os combatentes britânicos que se dirigiram à França em 1944. O terceiro, também produzido em 1944, teve como objetivo indicar aos americanos o comportamento diante dos franceses. A partir disso, identificamos estes manuais dentro de um projeto de formação militar, pensado pelos Estados americano e britânico a fim de instruírem os soldados sobre o comportamento frente ao habitante local.<br>Palavras-chave: II Guerra. Instruções. Manuais. Soldados.</p> Anailza Guimarães Costa Copyright (c) 2020 BOLETIM HISTORIAR 2020-05-04 2020-05-04 7 01 Cinemas em Aracaju durante a Segunda Guerra Mundial: uma análise histórica https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/13596 <p>Entre 1939 e 1945 os moradores de Aracaju (Sergipe-Brasil) podiam contar com o funcionamento dos cinemas Rio Branco, Rex, Guarany, São Francisco e Vitória. Esses estabelecimentos anunciavam diariamente as suas programações nos jornais que circulavam na capital sergipana e recebiam pessoas de diferentes segmentos sociais. Considerando a grande quantidade de filmes norte-americanos exibidos entre 1939 e 1945, bem como a coexistência entre a Guerra e o Estado Novo, este artigo analisa o cotidiano dos cinemas aracajuanos e os filmes exibidos à época do conflito mundial. Enquanto os filmes hollywoodianos apresentavam as novidades tecnológicas, imagens do mundo em Guerra e do estilo de vida norte-americano aos frequentadores dos cinemas, percebe-se um discurso conservador que ecoava na cidade a partir dos cinemas e que enaltecia valores estado novistas, como a manutenção da ordem e a normatização das práticas cotidianas.<br>Palavras chave: Filmes hollywoodianos, Aracaju, Segunda Guerra Mundial</p> Andreza Santos Cruz Maynard Copyright (c) 2020 BOLETIM HISTORIAR 2020-05-04 2020-05-04 7 01 Combate ao analfabetismo e capacitação profissional no programa de educação rural do governo Dutra (1949-1951) https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/13597 <p>este artigo analisa a colaboração do pesquisador estadunidense Robert King Hall com o programa de educação rural do governo Dutra, focalizando o tipo de escola e professores que se pretendia formar. O projeto, coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos (INEP), tinha como objetivos combater os altos índices de analfabetismo, conter o êxodo em direção às cidades e capacitar o trabalhador rural, fixando-o no campo. Entre 1949 e 1951, Hall atuou como consultor técnico, ministrando um curso para professoras primárias, fazendo uma avaliação do projeto e elaborando um plano para construção de escolas consolidadas. A partir dos relatórios produzidos pelo pesquisador estadunidense, procuro discutir o modelo de educação rural apresentado no projeto e as percepções, críticas e sugestões de Hall. Busco, por fim, entrever possíveis influências de Hall junto ao projeto do INEP, refletindo sobre as trocas entre Brasil e Estados Unidos no campo educacional.<br>Palavras-chave: Educação Rural. Escolas Consolidadas. Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos (INEP). Robert King Hall.</p> Adriana Mendonça Cunha Copyright (c) 2020 BOLETIM HISTORIAR 2020-05-04 2020-05-04 7 01 Que emoção! Que emoção? https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/13598 Laís Kalena Salles Aragão Copyright (c) 2020 BOLETIM HISTORIAR 2020-05-04 2020-05-04 7 01