Boletim Historiar https://seer.ufs.br/index.php/historiar <p><strong>Foco e Escopo</strong></p> <p>A revista eletrônica&nbsp;<strong>Boletim Historiar</strong>&nbsp;(Qualis A4) é um periódico científico de acesso aberto, editado pelo&nbsp;<strong>Grupo de Estudos do Tempo Presente (GET/UFS/CNPq),</strong>&nbsp;radicado no Departamento de História da Universidade Federal de Sergipe (UFS). A revista aceita trabalhos de graduandos, pós-graduandos, professores e pesquisadores da área de <strong>História</strong>. Informamos a todos os interessados em apresentar&nbsp;<strong>artigos e resenhas</strong>&nbsp;para publicação que os mesmos são recebidos em&nbsp;<strong>fluxo contínuo</strong>. Não cobramos nenhuma taxa de processamento de artigos.</p> <p><strong>E-ISSN</strong>: 2357-9145</p> pt-BR historiar@getempo.org (Dilton C S Maynard) webmaster@getempo.org (Cândido Maynard) sex, 01 jul 2022 18:25:38 -0300 OJS 3.1.2.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Le relazioni diplomatiche fra il governo nazionalista cinese e il governo fascista italiano (1930-1943) https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17817 <p>Riassunto: L’articolo si propone di analizzare il complesso legame che ha unito negli anni Trenta del Novecento, sia pure per pochi anni, il fascismo italiano e il nazionalismo cinese. Il periodo preso in considerazione è quello tra il 1930, anno a partire dal quale Mussolini esalta l’affinità ideologica fra il Partito fascista e il Partito nazionalista di Chiang Kai-shek, e il 1943, anno della caduta del fascismo in Italia. L’aspetto più interessante che affiora dall’analisi dei Documenti Diplomatici Italiani è che Roma ha sempre guardato alla Cina come a un potenziale alleato nello scacchiere orientale e come a un Paese in cui il fascismo si sarebbe potuto realizzare pienamente. <br>Parole chiave: nazionalismo; fascismo; Cina; Italia; militarismo. <br><br></p> Aurora Grelli Copyright (c) 2022 Boletim Historiar https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17817 sex, 01 jul 2022 17:34:46 -0300 O ensino de História por meio da produção de materiais didáticos interdisciplinares: experiências e aprendizagens no Ensino Fundamental https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17818 <p>Resumo: Este trabalho objetiva analisar os impactos da produção de materiais didáticos interdisciplinares no ensino-aprendizagem em História. Ao longo do Estágio Supervisionado para a Formação de Professores, articulamos um projeto de pesquisa à docência, no qual buscamos desenvolver enfoques didáticos marcados pela interlocução entre saberes multidimensionais. A experiência foi desenvolvida no formato remoto, nas turmas da oitava série da Escola Estadual Professora Maria Angelina Gomes, localizada no interior do estado do Rio Grande do Norte. A proposta de trabalho teve como foco o uso de fontes iconográficas em sala de aula e a elaboração de produções audiovisuais pelos discentes. Assim, com base na metodologia de pesquisa de tipo etnográfico, desenvolvida por Marli André, refletiremos sobre o processo educativo na ótica do professor-pesquisador. Constatamos, pois, o aperfeiçoamento da autonomia e do protagonismo dos alunos na construção de conhecimentos históricos relativos ao tempo presente. <br><br>Palavras-chave: interdisciplinaridade; experiências docentes; ensino-aprendizagem.</p> Karine Maria Lima Lopes, Yasmim Azevedo da Silva Copyright (c) 2022 Boletim Historiar https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17818 sex, 01 jul 2022 17:45:51 -0300 Nos tempos da palmatória: a educação oitocentista em um capítulo de Memórias Póstumas de Brás Cubas https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17819 <p>Resumo: Este artigo tem como objeto algumas características do universo escolar brasileiro do século XIX. Seu objetivo é elencar e analisar alguns desses aspectos. Toma como base um capítulo do romance Memórias Póstumas de Brás Cubas, do escritor fluminense Machado de Assis (1839-1908), publicado originalmente em 1880, na Revista Brazileira. No exame do material, foi adotado o método indiciário, tal qual formulado por Carlo Ginzburg. A análise efetuada nos mostrou que a instrução pública no Brasil do oitocentos foi marcada pelo(a): a) estabelecimento de competências básicas a serem aprendidas; b) gramatização da língua nacional e sua disseminação por meio do aparelho escolar; c) adoção da técnica de lições, baseada em decorar conteúdos e repeti-los; d) uso dos castigos físicos como forma de corrigir maus comportamentos e baixo desempenho. <br><br>Palavras-chave: Século XIX; Machado de Assis; Educação Escolar.</p> Danrley de Lima Santos Copyright (c) 2022 Boletim Historiar https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17819 sex, 01 jul 2022 17:51:57 -0300 O cotidiano da morte oitocentista em São Cristóvão/SE e a proibição dos enterros nas igrejas (1849-1857) https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17820 <p>Resumo: Neste artigo, discutiremos as práticas e símbolos da ritualística fúnebre do século XIX. Iniciaremos com os ritos fúnebres domésticos e a preparação para a morte, passaremos pela escolha das mortalhas bem como o local sagrado de sepultura e chegaremos às missas pósenterro. Dos pedidos de missas, narraremos as pessoas e os santos prestigiados além do único anjo recrutado para proteção celeste, o Anjo da guarda. O objetivo é narrar alguns aspectos do cotidiano da morte em São Cristóvão-SE transcorridos entre os anos 1849 à 1857. Através da descrição do testamento oral do advogado José Marques d’Oliveira, analisaremos alguns ritos de separação. Veremos que, em um momento de decisões salvíficas, Marques morreu seguro. Reconheceu suas filhas e viveu o suficiente para receber ao menos um dos últimos sacramentos, a confissão. Por último, acompanharemos brevemente o contexto da proibição dos enterros nas igrejas e veremos que a interdição se deu pela chegada da pandemia de cólera na Província de Sergipe em 1855-56. <br><br>Palavras-chave: Morte; São Cristóvão; Cotidiano; Ritos fúnebres; Igreja-cemitério. <br><br></p> Willames de Santana Santos Copyright (c) 2022 Boletim Historiar https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17820 sex, 01 jul 2022 17:58:50 -0300 A moda feminina como arauta do moderno na província do Paraná: um olhar sobre a imprensa, relatos de viagem e imagens https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17821 <p>Resumo: Este artigo visa analisar as representações das mulheres, presentes na moda e nos novos espaços por elas ocupados, demonstrando que tais aspectos eram tidos como situações modernas e civilizadas em relação a períodos anteriores na sociedade paranaense oitocentista, no período que compreende os anos de 1850 a 1880. A partir de fontes como a imprensa, relatos de viagens e imagens produzidas no período, buscamos delinear os variados comportamentos atrelados às mulheres e as disputas em torno dos seus corpos, principalmente as da elite. As representações femininas, produzidas por homens e mulheres, fornecem pistas sobre os hábitos vigentes e sobre as novas formas de tratamento que iam sendo absorvidas por uma parcela da população, ora causando engajamento, ora desconforto social, sendo observadas tanto na região do Paraná como em relação a outras regiões nacionais e/ou internacionais. <br><br>Palavras-chaves: História das Mulheres; Paraná Oitocentista; Moda no século XIX. <br><br></p> Graciele Dellalibera MelloI , Juarez José Tuchinski dos Anjos Copyright (c) 2022 Boletim Historiar https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17821 sex, 01 jul 2022 18:08:34 -0300 Plano Cruzado e Plano de Recuperação: um estudo sobre o combate à hiperinflação em Israel e no Brasil https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17822 <p>Resumo: O artigo tem como objetivo analisar o combate à inflação em Israel e no Brasil nos anos 1980, com destaque para o Plano de Recuperação israelense e o Plano Cruzado brasileiro. Ambos os planos tiveram mecanismos semelhantes, como o congelamento de preços e salários; todavia, não tiveram resultados semelhantes. O plano israelense foi bem-sucedido e conseguiu cessar a hiperinflação, ao contrário do plano brasileiro. Dessa forma, a partir de fontes primárias e secundárias, o artigo discute os elementos de aproximação e divergência dos planos, suas consequências e o debate dos marcos teóricos na ortodoxia e heterodoxia econômica. <br><br>Palavras-chave: Hiperinflação; Israel; Brasil; Plano Cruzado; Plano de Recuperação</p> Karina Stange Calandrin, Gabriel Mizrahi Copyright (c) 2022 Boletim Historiar https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17822 sex, 01 jul 2022 18:16:36 -0300 Direito “penal” romano? Por uma abordagem não-anacrônica e desigual https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17823 <p>Resumo: O legado mor da civilização romana é, decerto, o seu direito, sobretudo o seu direito civil. Outro importante tópico é o seu direito “penal”, embora inda seja pouco explorado. O conceito de direito “penal” romano, porém, é problemático à medida que confunde modernidade e mundo antigo, bem como ignora as diferenças históricas no interior da própria Roma. Portanto, nossa tese central é que a linguagem, focalizada nas palavras “penal” e “criminal”, obsta a cognição do fenômeno jurídico em comento. Neste trabalho, estudamos as categorias do direito “penal” romano, bem como as suas mudanças no curso do tempo, a fim de oferecer uma crítica para uma abordagem não-anacrônica e desigual. Este artigo é diviso nas seguintes seções: Introdução; Categorias e anacronismos; Romas diferentes, direitos diferentes; A linguagem como óbice à cognição; Considerações finais: por uma abordagem não-anacrônica e desigual. <br><br>Palavras-chave: Anacronismo; Direito penal; Linguagem; Roma.</p> Afrânio Henrique Pimenta Bittencourt Copyright (c) 2022 Boletim Historiar https://seer.ufs.br/index.php/historiar/article/view/17823 sex, 01 jul 2022 18:24:22 -0300