v. 8 n. 04 (2021): Out./Dez. 2021- Boletim Historiar

Dossiê temático: O patrimônio histórico-educativo em debate

Apresentação

O dossiê “O patrimônio histórico-educativo em debate”, organizado pelo professor doutor Joaquim Tavares da Conceição, é composto de seis artigos resultantes de trabalhos finais da disciplina “Arquivos escolares: teoria e prática”, ministrada pelo organizador deste dossiê no primeiro semestre de 2020, na linha História da Educação, para os cursos de mestrado e doutorado do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe.

A finalidade deste dossiê é apresentar, sob diferentes interesses, discussões relacionadas à noção de patrimônio histórico-educativo e seus reflexos em ações de preservação e organização de arquivos escolares e perspectivas de investigações, com a utilização de acervos encontrados em diferentes espaços educativos. 

Na escrita da História da Educação, as pesquisas em torno de processos e práticas de guarda, seleção, catalogação e preservação de acervos escolares e não escolares e a compreensão dos acervos de instituições educativas como patrimônio histórico-educativo apresentam uma dimensão importante e crescente entre os eixos temáticos dessa área.

Essa situação tem resultado no desenvolvimento de projetos de organização de arquivos e centros de memória de instituições educativas em diferentes regiões do Brasil e a realização de interlocuções em torno da temática com centros especializados e pesquisadores em outros países.

Nesse sentido, os artigos deste dossiê evidenciam contribuições da área da História da Educação em torno da noção do patrimônio histórico-educativo e interlocuções desta com outras áreas do conhecimento, a exemplo da Arquivologia. De tal modo, a partir da noção de patrimônio histórico-educativo, os/as autores/ras dos artigos discutem aspectos relacionados com a preservação e organização de arquivos escolares e perspectivas de investigação, utilizando-se da cultura material escolar.

O dossiê inicia com o artigo intitulado “A temática do patrimônio histórico-educativo em periódicos e congressos da área da História da Educação”, de Anne Emilie Souza de Almeida Cabral. A fim de demonstrar o crescente interesse da área em torno de questões da noção de patrimônio histórico-educativo, essa autora apresenta resultados de levantamentos de artigos e comunicações sobre esse aspecto, publicados na Revista Brasileira de História da Educação, Revista Ibero-Americana do Patrimônio Histórico-Educativo e em anais do Congresso Brasileiro de História da Educação. A autora indica como resultados dos levantamentos que realizou “[...] um movimento consistente por parte de pesquisadores da História da Educação a fim de promover discussões teóricas e o debate em torno de intervenções realizadas com o escopo de preservar a memória escolar”.

O artigo “O acervo documental do IFS-Campus São Cristóvão (SE): fontes para a escrita da história do ensino profissional agrícola em Sergipe”, de autoria de Aristela Arestides Lima, apresenta os locais de guarda do acervo documental e bibliográfico do Instituto Federal de Sergipe/Campus São Cristóvão, enfatizando a importância desse acervo para a preservação da memória institucional e sua potencialidade como fonte para a escrita de diferentes compreensões a respeito do ensino profissional agrícola,  ministrado pela instituição em tela nos seus mais de noventa anos de existência. Além disso, Aristela aventa sobre possibilidades de preservação a partir da noção de patrimônio histórico-educativo, de documentos e material bibliográfico em processo de descarte.

Caroline de Alencar Barbosa, em seu artigo intitulado “Preservação da memória escolar: o jornal estudantil The Catamount”, discute sobre a condição de fonte de acervos escolares, tomando como exemplo os jornais estudantis, especificamente o periódico The Catamount, utilizado na Cubberley Sennior High School, no ano de 1967, nos Estados Unidos da América. A autora informa que a escola “[...] foi palco de um experimento fascista que se refletiu dos discursos dos alunos e, consequentemente, nas notícias veiculadas na instituição”. Deste modo, Caroline utilizou o jornal estudantil como fonte para compreender questões discutidas pelos estudantes e a possibilidade de identificação de “[...] suas opiniões acerca da política, da instituição escolar, do cotidiano, das ações pedagógicas, além de suas insatisfações e reivindicações”.

Já o artigo intitulado “O patrimônio histórico educativo como prática de ensino-aprendizagem”, produzido por Elaine Gonçalves Ramos, apresenta um viés também importante acerca de acervos escolares, ou seja, os usos destes para o desenvolvimento de atividades pedagógicas que envolvam o ensino sobre patrimônio, memória, pertencimento e ênfase na preservação. Por fim, a autora enfatiza a urgência das instituições educativas em adotar medidas para a preservação dos seus diferentes tipos de acervos históricos conjuntamente com “[...] práticas do educar, e consequentemente disponibilizados para o acesso da comunidade escolar”.

Maryana Gonçalves Souza é a autora do artigo “Memória escolar e cultura material do Colégio Luiz Viana Filho – Guanambi/BA”, no qual ela apresenta resultados de projetos de que participou na condição de estudante de iniciação científica, especialmente a produção de um “catálogo de fontes” de documentos do Colégio Estadual Governador Luiz Viana Filho, localizado na cidade de Guanambi, no Estado da Bahia. No artigo, Maryana Gonçalves expõe um diagnóstico do arquivo dessa escola, os tipos documentais encontrados, e discute a condição de patrimônio histórico-educativo da documentação estudada. Além disso, a autora destaca as possibilidades de utilização dessa documentação como fontes para o desenvolvimento de pesquisas “[...] relacionadas com a memória escolar, preservação documental, práticas educativas, trajetórias e práticas docentes, perfil discente, entre outras configurações da cultura escolar”.

O fechamento do dossiê “O patrimônio histórico-educativo em debate” é realizado pelo artigo de Rafaela Cravo de Melo e Joaquim Tavares da Conceição, intitulado “O perfil estudantil do Ginásio de Aplicação da Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe (1959-1968): uma investigação de fontes seriais do arquivo escolar”. Esse artigo é parte resultante do desenvolvimento de projeto financiado por meio de bolsa de iniciação científica do programa Pibic/CNPq/UFS, contemplado como 5º prêmio destaque da área de Ciências Humanas/Educação, no 30º Encontro de Iniciação Científica – EIC, da UFS, em 2020. O artigo destaca a utilização como fonte de tipos documentais que fazem parte dos dossiês dos estudantes e de outros documentos escritos e orais do acervo do Centro de Pesquisa, Documentação e Memória do Colégio de Aplicação. No artigo em tela são identificados e discutidos “[...] dados a respeito da procedência escolar, forma de ingresso, ocupação e/ou profissão dos pais, pagamentos realizados e localidade de domicílio dos estudantes”. A análise levou em conta o conjunto dos dados levantados nas séries documentais, resultando em conclusões importantes acerca do perfil socioeconômico dos estudantes do Ginásio de Aplicação, atual Colégio de Aplicação da UFS. 

Desejo a todo(a)s uma excelente e instrutiva leitura!

São Cristóvão, maio de 2021.

Prof. Dr. Joaquim Tavares da Conceição

(Organizador)

Imagem: 

Desfile cívico. Estudantes do Ginásio de Aplicação da Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe. Aracaju-Se (196?). Fonte: Acervo do Centro de Pesquisa, Documentação e Memória do Colégio de Aplicação da UFS (Cemdap).  

 

Publicado: 2021-12-31