n. 7 (2015): ISSN 2357-9145

É como muita alegria que apresentamos a 7ª edição da Revista Boletim Historiar em sua comemoração de aniversário. Há um ano atrás o periódico dava seus primeiros passos em uma jornada visando tornar-se respeitado entre os historiadores e pesquisadores das Humanidades de uma forma mais geral. Foi um período de trabalho árduo, mas satisfatório. Isso nos motiva a continuar melhorando e contribuindo cada vez mais com debates acadêmicos sobre a nossa sociedade. E isto ganha ainda mais importância neste começo de 2015, um ano que já começou com diversas discussões intrigantes.

Abrindo a edição, Chayenne Farias e Daniel Chaves procuram compreender a música contemporânea no Norte do Brasil a partir de discussões sobre o Tecnobrega, hibridismos culturais e fronteiras estéticas. No texto, são abordados dilemas conceituais, questões histórico-historiográficas e balizas temáticas. Em seguida, Katty Cristina Lima Sá analisa a seção Open Source Jihad (OSJ) da Inspire Magazine, a revista oficial da Al-Qaeda. Trata-se de um estudo sobre como a expansão do discurso extremista inspira  novos mujahidins e da importância da rede para sua divulgação.

Já o terceiro texto, de Diogo Zomer Perin, é um estudo das canções representadas nos circos brasileiros. O autor trabalha com a construção musical realizadas nos circos no início do século XX até a década de 1950 com a expansão da indústria cultural, problematizando a representação das carreiras dos palhaços com suas obras. Ainda temos Rosicleide Henrique da Silva em uma análise das práticas culturais utilizado por estudantes secundaristas e universitários de Campina Grande, na Paraíba,- como espaço de sociabilidade e resistência à Ditadura Militar.

Por fim, o último artigo é de Lidiane Álvares Mendes e trata da Colônia de Alienados Eduardo Ribeiro entre 1894 – 1930 em Manaus, no Amazonas, como fruto de um projeto de reurbanização social. Ou seja, o isolamento de loucos como uma política modernizante, higienista e sanitária para o discurso da época.

Assim como as demais edições, nesta também contamos com duas resenhas. A primeira é de Raquel Anne Lima de Assis da obra Para que (m) se avalia? Livros Didáticos e Avaliações (Brasil, Chile, Espanha, Japão, México e Portugal). A segunda, contempla um tema clássico é assinada por Caroline de Alencar Barbosa, que analisa o livro História da Segunda Guerra Mundial- A maior e mais importante guerra de todos os tempos.

Agradecemos a todos pela colaboração e boa leitura.

 

Os Editores

Publicado: 2015-03-13