ANTROPOLOGIA INUMANA EM FOUCAULT E SAFATLE

Resumo

Este artigo tem como objetivo problematizar a educação segundo o conceito de inumano em Foucault (2007) e Safatle (2012), para confrontá-lo com um modo de pensar o homem na antropologia. Esses filósofos colocam em xeque os sujeitos, as sociedades e o homem; questionam o modo de ser mesmo do homem e a antropologia. Nesse questionamento, a capacidade de representação como organizadora dos modos de vida humana é colocada em questão. Neste contexto, cabe indagar: se a educação parece estar voltada para a formação do homem, em que consistiria uma educação do ponto de vista de uma antropologia inumana?

Palavras-chave: Inumano. Educação. Representação. Filosofia.

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. Tradução de Alfredo Bosi. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

CASTRO, E. Vocabulário de Foucault. 2. ed. Tradução de Ingrid Muller Xavier. Belo Horizonte: Ed. Autêntica, 2016.

FOUCAULT, M. As palavras e as coisas. 9. ed. Tradução de Salma Tannus Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 7. ed. Tradução de Luís Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

SAFATLE, V. Grande hotel abismo: Por uma reconstrução da teoria do reconhecimento. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

SLOTERDIJK, P. Regras para o parque humano. Tradução de José Oscar de Almeida Marques. São Paulo: Estação Liberdade, 2000.

Publicado
2019-06-12