NECROPOLÍTICA E IDENTIDADE NACIONAL EM HOME FIRE, DE KAMILA SHAMSIE

Resumo

Em Home Fire (2017), Kamilla Shamsie aborda temas como a instabilidade do conceito de identidade nacional para as minorias, assim como a islamofobia e o racismo. Ao adaptar a Antígona de Sófocles em um contexto contemporâneo, a autora reimagina o contraste entre a lei dos deuses e a lei imposta pelos homens para introduzir uma discussão sobre as discrepâncias entre a lei e a justiça no Reino Unido do século XXI. Para discutir como Shamsie apresenta as tensões entre o Estado e minorias étnicas e religiosas, este artigo analisará seu romance à luz dos estudos decoloniais. A Necropolítica de Achille Mbembe (2003) dará base a uma discussão sobre como o enredo de Shamsie ilustra a instabilidade do Estado de Direito para o colonizado enquanto o conceito de Boaventura de Sousa Santos de “pensamento abissal” (2007) nos permitirá investigar as estruturas que sustentam padrões da desigualdade e da violência institucionalizada contra minorias, um dos principais temas do romance.

Palavras-chave: Teoria Decolonial. Literatura Britânica. Necropolítica.

Referências

HIRSCH, A. British: On Race, Identity and Belonging. New York: Vintage, 2018.

MBEMBÉ, J.-A.; MEINTJES, L. Necropolitics. Public culture, v. 15, n. 1, p. 11-40, 2003.

MCDONOUGH, C.; MCCARTER S. Reimagining Antigone for the Age of Extremism: A Conversation with Kamila Shamsie. 11 Dec. 2017. Available at: https://eidolon.pub/reimagining-antigone-for-the-age-of-extremisme3d201e75a42. Access on: 20 Jan. 2019.

SANTOS, B. S. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Revista crítica de ciências sociais, n. 78, p. 3-46, 2007.

SHAMSIE, K. Home Fire. New York: Riverhead Books, 2017.

Publicado
2019-06-12