POR TRÁS DA NARRAÇÃO DOS FATOS, O SILENCIAMENTO DA MULHER NEGRA EM CAROLINA DE JESUS: O ATO DE FALA DE UM COLETIVO EMUDECIDO

Resumo

Neste artigo, faço uma análise da intenção comunicativa de Carolina de Jesus no livro “Quarto de despejo: o diário de uma favelada”, dimensionando de que forma as sequências narrativas podem evidenciar a voz da mulher negra de periferia. A partir dos atos de fala, para além de uma fala singular, as questões postas por Carolina representam todo um coletivo, que está na base da pirâmide social brasileira. A luta pela sobrevivência familiar e a desilusão com a classe política são alguns dos questionamentos feitos e mostram uma autoria coadunada não apenas ao fato narrado, mas a uma voz coletiva emudecida.

Palavras-chave: Carolina de Jesus. Quarto de despejo. Pragmática. Intencionalidade. Atos de fala.

Referências

AUSTIN, J. L. How to do things with words. Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press, 1962.

AMADO, J. Capitães da areia. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

EVARISTO, C. Ponciá Vicêncio. Belo Horizonte: Mazza, 2003.

GRICE, P. Logic and conversation. In: DASCAL, M. (org.). Fundamentos metodológicos da linguística – Pragmática, v. 4, Campinas: Editora do Autor, 1982.

JESUS, C. M. Meu estranho diário. São Paulo: Xamã, 1996.

JESUS, C. M. Quarto de despejo: o diário de uma favelada, 10. ed., São Paulo: Ática, 2014.

LEVINSON, S. Pragmática. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

MARCONDES, D. A pragmática na filosofia contemporânea. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

MEIHY, J. C. S. B.; LEVINE, R. M. Cinderela negra: a saga de Carolina Maria de Jesus. Rio de janeiro: Editora UFRJ, 2015.

MIRANDA, F. R. Os caminhos literários de Carolina Maria de Jesus: experiência marginal e construção estética. 2013. 160f. (Tese de Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Estudos Comparados de Língua Portuguesa. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

RAMOS, G. Vidas secas. Barcelona: Editorial Norma, 2003.

SEARLE, J. Os actos de fala: um ensaio de filosofia da linguagem. Coimbra: Livraria Almedina, 1984.

SEARLE, J. Expressão e significação. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

Publicado
2019-06-12
Seção
Dossiê 2: Pragmáticas da vida social: perspectivas em linguagem e sociedade