MIA COUTO, LEITOR DE CHICO BUARQUE

Resumo

A adaptação pode ser abordada sob diferentes perspectivas, dependendo do corpus selecionado e da questão a ser discutida. Considerando-se que a adaptação é primariamente um ato de leitura, escolhemos analisar, neste artigo, o conto “Olhos nus: olhos”, escrito por Mia Couto a partir da canção “Olhos nos olhos”, de Chico Buarque. Trata-se de uma recriação que evidencia um diálogo intertextual explícito, ao mesmo tempo em que aciona dois contextos midiáticos distintos: literatura/conto e letra/canção. Para tanto, fazemos uso de princípios teóricos que embasam a adaptação como intertextualidade, em articulação com a intermidialidade.

Palavras-chave: Adaptação. Conto. Canção. Intertextualidade. Intermidialidade.

Biografia do Autor

Genilda Azerêdo, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Professora Titular do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas da UFPB e Pesquisadora PQ2 do CNPQ; Membro do Grupo de Pesquisa Intermidialidade: Literatura, Artes e Mídia da ANPOLL; E-mail: genilda@cchla.ufpb.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-1267-059X.

Referências

BAUMAN, Z. Amor líquido: sobre as fragilidades dos laços humanos. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

BRESSANE, R. Essa história está diferente: dez contos para canções de Chico Buarque. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

BUARQUE, C. Olhos nos olhos. In: BUARQUE, C. Meus caros amigos. 1976.

COUTO, M. Olhos nus: olhos. In: BRESSANE, R. Essa história está diferente: dez contos para canções de Chico Buarque. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

ELIOT, T. S. Tradition and the individual talent. In: BRADLEY et al. The American tradition in literature. USA: Grosset & Dunlap/Norton, 1974.

FERNANDES, R. de. (Org.). Quartas histórias: contos baseados em narrativas de Guimarães Rosa. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

FERNANDES, R. de. Capitu mandou flores: contos para Machado de Assis nos cem anos de sua morte. São Paulo: Geração Editorial, 2008.

FERRAZ Jr., E. Uma conversa a três: Mia Couto, Chico Buarque e Guimarães Rosa. In: Anais do XIII Congresso Internacional da ABRALIC. Campina Grande: Editora da UEPB, 2013. In: https://abralic.org.br/anais/arquivos/2013_1434406214.pdf. Acesso em 18/10/2019.

HUTCHEON, L. Uma teoria da adaptação. Tradução de André Cechinel. Florianópolis, Editora UFSC, 2011.

JAKOBSON, R. Aspectos linguísticos da tradução. In: JAKOBSON, R. Linguística e comunicação. Tradução de Isidoro Blikstein e José Paulo Paes. São Paulo: Cultrix, 1995.

LINS, O. (Org.). Missa do galo: variações sobre o mesmo tema. São Paulo: Summus Editorial, 1977.

LISPECTOR, C. A hora da estrela. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

MENESES, A. B. de. Figuras do feminino na canção de Chico Buarque. São Paulo: Ateliê Editorial/Boitempo, 2000.

MILLER, J. H. Narrative. In: LENTRICCHIA, F.; McLAUGHLIN, T. (eds.). Critical terms for literary studies. Chicago: The University of Chicago Press, 1995.

NESTROVSKI, A. (ed.). Aquela canção: 12 contos para 12 músicas. São Paulo: Publifolha, 2005.

RAJEWSKI, I. Intermidialidade, intertextualidade e ‘remediação’. In: DINIZ, T. F. (org.). Intermidialidade e estudos interartes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012.

SAMOYAULT, T. A intertextualidade. Tradução de Sandra Nitrini. São Paulo: Aderaldo & Rothschild, 2008.

Publicado
2020-07-31
Seção
Leituras literárias compartilhadas