FLORBELA ESPANCA: UM EXEMPLO EXTEMPORANEO NA SENDA DA MODERNIDADE

  • Isa Margarida Vitória Severino

Resumo

Pretendemos analisar a representação que Florbela Espanca viabiliza docorpo, tendo como leitmotiv os sonetos “Amiga”, “Os versosque te fiz” e "Passeioao Campo”. Este último soneto referenciado permite-nos estabelecer umparalelismo com o poema “Vem sentar-te comigo, Lídia, à beira do rio” doheterónimo pessoano, Ricardo Reis. O diálogo que se estabel ece entre as duascomposições poéticas ajuda-nos a perceber o papel transgressor que esta mulherpoeta exerceu no campo social e também literário.No reconhecimento do papel interventivo assumido por Florbela recorremos aoscontributos de Cláudia Pazos Alonso, Isabel de Allegro Magalhães, Joaquim ManuelMagalhães, Maria Lúcia Dal Farra e Nuno Júdice.
Seção
EDIÇÃO ESPECIAL: Escritoras de Língua Portuguesa