MARIA AMÉLIA DE MELLO: A NARRATIVA FEMININA COMO RESISTÊNCIA À DITADURA MILITAR

  • Enedir Silva Santos
  • Kelcilene Grácia-Rodrigues

Resumo

O contexto político social brasileiro da ditadura militar manipulou anação por duas décadas e oprimiu os que ousassem discordar. Como resultado docerceamento da liberdade, ocorre a explosão, em espaço clandestino, de novasformas de manifestação da produção artística. Dentre elas, surge a escrita decunho feminino, que absorve os marcos desgastantes que vitimizaram a sociedadee, como consequência, geraram narrativas denunciadoras, apoiadas em umfeminismo que visava a desconstrução do papel histórico conferido à mulher. Esteartigo analisa a coletânea Às oito, em ponto, de Maria Amélia de Mello, paraverificar como a escritora constrói, figurativamente, as marcas da ditatura militarna escrita feminina a partir de tensões estabelecidas pelas relações humanas. Paratanto, o artigo fundamenta-se nas discussões tecidas, entre outras, por Ventura(1988), Lobo (1993), Swain (2000), Reimão (2011), Dalcastagnè (2012) e Rago(2013).
Seção
EDIÇÃO ESPECIAL: Escritoras de Língua Portuguesa