MULHERES NEGRAS NA CONTÍSTICA FEMININA AFRO-BRASILEIRA: CONCEIÇÃO EVARISTO E MIRIAM ALVES

  • Rubenil da Silva Oliveira
  • Elio Ferreira de Souza

Resumo

O presente artigo pretendeu analisar a construção ficcional daidentidade de Ana Davenga e Alice, à luz da crítica feminista e da literatura afrobrasileira.
Para isso, partiu-se da leitura dos contos e de referenciais teóricos quetematizam o feminino, Butler (2003) e Perrot (2012) os Estudos Culturais eidentidade, Hall (2014) e Glissant (2005) e a literatura afro-brasileira, Duarte (2011)e outros. O conto Ana Davenga é da escritora Conceição Evaristo e publicado nasérie Cadernos Negros. Já Miriam Alves, autora de Alice está morta, pertenceu aogrupo de escritoras da mesma série. Portanto, as representações femininasdemonstram que, embora cultivem marcas de pertencimento ao povo negro etenham a morte como desfecho de suas vidas, Ana Davenga é carregada deestereótipos que sensualizam a mulher negra, já Alice não reproduz os mesmosestereótipos no que tange à sexualidade.
Seção
EDIÇÃO ESPECIAL: Escritoras de Língua Portuguesa