A CONSTRUÇÃO DO “ETHOS” AUTORAL LOSIANO ATRAVÉS DO DIÁLOGO EPISTOLAR ENTRE ILSE LOSA E MÁRIO DIONÍSIO

  • Karina Marques

Resumo

Os quase 40 anos de correspondência trocada com o já consagrado escritor português Mário Dionísio (1916-1993) exerceram um papel fundamental para a construção do “ethos” autoral de Ilse Losa (1913-2006), judia alemã exilada em Portugal. Essa relação epistolar permitiu o aperfeiçoamento da língua portuguesa e das técnicas narrativas pela escritora, contribuindo à sua legitimação no meio literário português, dominado por vozes masculinas. Através dessa correspondência, Ilse assume ainda um papel de articuladora cultural do eixo norte-sul de Portugal e das relações desse país com a Alemanha, expandindo o diálogo intelectual para além do círculo pessoal. Com base neste corpus, pretendo, portanto, observar a construção do “ethos” autoral losiano tomando o caso específico do gênero epistolar privado.