No coração do corpo político medieval: breves reflexões sobre o caráter corporativo em Castela-Leão à luz do Reinado de Alfonso X (1252-1284)

Palavras-chave: Caráter Corporativo, Corpo Político, Alfonso X

Resumo

O amplo conjunto dos imaginários sócio-políticos, militares, religiosos, etc, das sociedades do Ocidente Medieval foram integralmente estruturados a partir do prisma do chamado caráter corporativo. Em seu âmago, residia a percepção de que o reflexo da sociedade refletiria a existência de um corpo político, no qual cada segmento nutria uma singular funcionalidade, plenamente definida pela ordem divina, a ser desempenhada visando a eficiente manutenção e a reprodução da harmonia e do bem estar do corpo do reino. Em nosso artigo, analisaremos, ainda que sucintamente, as principais abordagens efetuadas sobre o caráter corporativo, e, em seguida, analisaremos o impacto destes imaginários no seio do corpo político do reino de Castela-Leão precisamente durante o reinado de Alfonso X (1252-1284).

Palavras-Chave: Caráter Corporativo. Corpo Político. Alfonso X.

Biografia do Autor

Rafael Costa Prata, UFMT

Doutorando em História - PPGHIS-UFMT

Referências

BLOCH, Marc. Os reis taumaturgos: O caráter sobrenatural do poder régio, França e Inglaterra. São Paulo: Companhia das letras, 1993.

DUBY, Georges. As Três Ordens ou o Imaginário do Feudalismo. Lisboa: Editorial Estampa, 1994.

FILOMENA COELHO, Maria. A jurisdição da aristocracia cristã: monarquia, nobreza e monacato em Portugal (séculos XII-XIII). Locus, Revista de História. V.2, n.1, 2006, p.117-137.

FILOMENA COELHO, Maria. Revisitando o problema da centralização do poder na Idade Média. Reflexões historiográficas. In: ALMEIDA, Néri de Barros; NEMI, Ana Lúcia Lana; PINHEIRO, Rossana Alves Baptista. (Orgs.). A construção da narrativa histórica: Séculos XIX e XX. Campinas-SP/ São Paulo-SP: Unicamp/ Fap-Unifesp, 2014. p.39-62.

PINHEIRO, Rossana Alves Baptista. Revisitando o problema da centralização do poder na Idade Média. Reflexões historiográficas. In: ALMEIDA, Néri de Barros; NEMI, Ana Lúcia Lana; PINHEIRO, Rossana Alves Baptista. (Orgs.). A construção da narrativa histórica: Séculos XIX e XX. Campinas-SP/ São Paulo-SP: Unicamp/ Fap-Unifesp, 2014. p.39-62

GROSSI, Paolo. A ordem jurídica medieval. Tradução de Denise. Rossatto Agostinetti. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2014.

HESPANHA, António Manuel. O Antigo Regime nos trópicos: a dinâmica imperial portuguesa (séculos XVI-XVIII). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

HESPANHA, António Manuel. Cultura Jurídica Europeia: Síntese de um milênio. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2005.

PISNITCHENKO, Olga. O Rei e a Lei. Algumas reflexões em torno das obras jurídicas de Alfonso X. Faces da História, v. 2, p. 6-26, 2015.

Publicado
2021-01-27
Como Citar
PRATA, R. C. No coração do corpo político medieval: breves reflexões sobre o caráter corporativo em Castela-Leão à luz do Reinado de Alfonso X (1252-1284). Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, v. 14, n. 27, p. 243 - 259, 27 jan. 2021.