“Com muita resignação sofrerão aquele prejuízo”: os negociantes britânicos e a crise monetária na província do Maranhão (1831-1834)

Palavras-chave: negociantes britânicos, crise monetária, Conselho Presidial, Maranhão

Resumo

This paper intends to analyze the process of resizing of the province economic sphere from Maranhão, between 1831-1834. This theme is inserted in the historiographical discussions about the construction of the Brazilian imperial State and its interface. Between 1831-1834 important decrees on imperial taxation were enacted and delimited areas of control of central power and provincial governments. Moreover, these decrees aimed greater control of taxation in the provinces. In addition, we will analyze the context of the latent socioeconomic crisis due to the circulation of counterfeit coins in the northern region, which focused, among other actors, on English traders established in the region.

Keywords: British traders; currency crisis; Presidency council; Maranhão.

 

Inserindo-se no âmbito de discussões historiográficas acerca da construção do Estado imperial e suas interfaces, o presente trabalho pretende analisar os trâmites de redimensionamento da esfera econômica da província do Maranhão entre o período de 1831-1834. Nesse contexto, ocorre a efetivação de importantes decretos sobre a fiscalidade imperial, que delimitaram espaços de domínio do Poder central e dos governos provinciais e visavam maior controle da fiscalidade nas províncias. Além disso, buscamos analisar o contexto de latente crise socioeconômica devido à circulação de moedas falsas na região norte, que incidiram, dentre outros atores, sobre os negociantes ingleses estabelecidos na região.

Palavras-chave: negociantes britânicos; crise monetária, Conselho Presidial, Maranhão.

 

Biografia do Autor

Luisa Moraes Silva Cutrim , Universidade Federal de Juiz de Fora

Licenciada em História pela Universidade Estadual do Maranhão. Mestre em História Social pela Universidade Federal Fluminense. Doutoranda, bolsista Capes, em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Integrante do Núcleo de Estudos do Maranhão Oitocentista (UEMA) e do Laboratório de História Econômica e Social (LAHES/UFJF). Possui como foco de pesquisa a trajetória de negociantes ao redor da América portuguesa e do Brasil Império, com análise sobre as suas atividades mercantis e sobre a formação de redes ao redor do Atlântico.

Raissa Gabrielle Cirino, UEG

Doutorado em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2019). Atualmente integra o NEHSP (Núcleo de Estudos em História Social da Política - UFJF) e o Nemo (Núcleo de Estudos do Maranhão Oitocentista - UEMA). Suas pesquisas abarcam especialmente História Moderna e Contemporânea, com ênfase na História do Brasil Império, História do Maranhão, estratégias de famílias e formatação do Estado brasileiro.

Referências

Referências documentais e bibliográficas

Fontes

a) Manuscritas

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO MARANHÃO.

Consulado Britânico. Avulsos. 1833-1834.

Atas do Conselho Presidial do Maranhão. Códice 1337. Setor de Códices.

b) Impressos

(O) Farol Maranhense – MA (1827-1831)

(O) Publicador Official – MA (1831-1841)

Bibliografia

ANDRADE, Alysson dos Reis. A atuação do Gigante Albion na América lusa: A atividade consular britânica no Maranhão entre 1813 e 1823. Monografia (Licenciatura em História). Universidade Estadual do Maranhão, São Luís, 2014.

ASSUNÇÃO, Mathias Röhrig. De caboclos a bem-te-vis. A formação do campesinato numa sociedade escravista: Maranhão 1800-1850. São Paulo: Annablume, 2015.

BRASIL. Decreto de 20 de dezembro de 1831. Prescreve a forma dos manifestos das embarcações mercantes. Coleção de Leis do Império do Brasil de 1831. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1875. Disponível em:<http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/legislacao/ publicacoes/doimperio>.

BRASIL.. Lei de 8 de outubro de 1833. Determinava a reorganização do sistema monetário do Brasil Independente. Disponível em:< https://collectgram.com/blog/lei-59-de-1833-novo-reorganizacao-do-padrao-monetario-do-brasil-independente/>. Acesso em 27/08/2019.

CARNEIRO, Athos Gusmão. O juiz conservador da Nação Britânica. Revista Ajuris, n. 03, 1975. Disponível em:<http://livepublish.iob.com.br/ntzajuris/lpext.dll/In fobase/74728/7474e/74bff?f=templates&fn=document-frame.htm&2.0#JD_AJURIS3PG110-SUM4>. Acesso em 28/08/2019.

CARRARA, Ângelo Alves. A reconfiguração da tributação brasileira no contexto das Guerras Napoleônicas. Jahrbuch für Geschichte Lateinamerikas, n. 48, p. 13-30, 2013.

CARRARA, Ângelo Alves. A constituição do sistema monetário do Brasil, 1822-1835. Revista Uruguaya de História Econômica, 2015.

CIRINO, Raissa Gabrielle Vieira. Pelo bem da “pátria” e pelo Imperador: o Conselho Presidial do Maranhão na construção do Império (1825-1831). Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2015.

COSTA, Wilma P.; MIRANDA, Márcia E. Entre senhores e o Império: transformações fiscais na formação do Estado brasileiro, 1808-1840. Revista Illes i Imperis, Barcelona, n. 13, 2010.

GAIOSO, Raimundo José de Sousa. Compêndio histórico-politico dos princípios da lavoura do Maranhão suas producçoens, e progressos, que tem tido até ao prezente, entraves que a vão deteriorando; e meios que tem lembrado para desvanece-los, em augmento da mesma lavoura, e sem prejuizo do real patrimonio. 2º ed, Rio de Janeiro: Livros do mundo inteiro, 1970 (Ed. Fac similar da 1ª, 1818). Coleção São Luís, v.1. p. 227; 259-61.

LAGO, Antônio Bernardino Pereira do (1822). Estatística histórico-geográfica da província do Maranhão. São Paulo: Siciliano, 2001.

MARQUES, César Augusto. Dicionário histórico-geográfico da província do Maranhão. Maranhão: Typ. da Palma, Biblioteca do Senado, 1870.

RAMOS, Eduardo S. “Instituições econômicas e transição fiscal em fins do período colonial (1808-1823)”. Anais Eletrônicos do 6 Encontro Internacional de História Colonial: mundos coloniais comparados: poder, fronteiras e identidades, 2019.

SILVA, Innocencio Francisco. Dicionário Bibliográfico Português. Tomo 7. Lisboa: Imprensa Nacional, 1863.

VIVEIROS, Jerônimo de. História do Comércio do Maranhão (1612-1895). São Luís: Associação Comercial do Maranhão, 1954.

Publicado
2021-01-27
Como Citar
CUTRIM , L. M. S.; CIRINO, R. G. “Com muita resignação sofrerão aquele prejuízo”: os negociantes britânicos e a crise monetária na província do Maranhão (1831-1834). Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, v. 14, n. 27, p. 144 - 159, 27 jan. 2021.