Bicentenário de emancipação e a história da saúde em Sergipe:

um campo em desenvolvimento e suas potencialidades

Palavras-chave: História, Saúde, Sergipe, Bicentenário

Resumo

A proposta deste artigo se insere nos movimentos de comemorações do bicentenário de independência política de Sergipe que se deu em 1820. Sobre a trajetória de 200 anos de um território independente lançaremos luz sobre a história da saúde sergipana, a partir do que foi produzido na historiografia sobre a temática da saúde, não no sentido de um balanço historiográfico, mas para apontar as potencialidades deste domínio da história no passado sergipano, sublinhado temas, objetos e abordagens ainda não experimentadas do ponto de vista da história. Isto é possível uma vez que referente a saúde em Sergipe, contamos com uma gama de fontes históricas ainda não exploradas, que configura esse nicho historiográfico lote fértil para desvendarmos nuances e particularidades do pretérito sergipano. Sendo assim este estudo foi configurado em três fretes que iram balizar nossa discussão por entendermos que se trata de pilares da história da saúde brasileira: O patrimônio cultural da saúde em Sergipe/ A história da doença em 200 anos de Sergipe independente / Produções científicas e sujeitos sergipanos da arte de curar. O que se pretende evidenciar é a importância de aprofundarmos os estudos sobre a história da saúde em Sergipe em diferentes vertentes, imersa no contexto histórico nacional, dando relevo as nossas particularidades e agentes históricos

Biografia do Autor

Barbara Barbosa dos Santos, FIOCRUZ

Doutoranda no Programa de Pós-graduação em História das Ciências e Saúde da Casa de Oswaldo Cruz  (FIOCRUZ/COC).

Referências

AMADO, Natália, Hora Naize, Mello Tania. Curandeirismo na república velha: Práticas de cura em Sergipe. Aracaju, 2006, Monografia (Graduação em história). Acervo da biblioteca central Jacinto Uchoa de Mendonça – Universidade Tiradentes. Orientadora Joceneide Cunha.

ANDRADE, Helvérico de. A medicina em Sergipe durante um século. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. (Vol.5, Nº 19, 1920) P. 100-117.

ARAÚJO, Fernanda Nascimento de .Nadando contra corrente: a homeopatia e seus embates na Bahia através da trajetória de Alfredo Soares da Cunha (1913-1936). Dissertação (Mestrado em História das Ciências e da Saúde) - Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, Rio de Janeiro, 2015. 118 f.

DANTAS, Nyceu. A cirurgia dentária em Sergipe através de um século. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. (Vol.5, Nº 19, 1920) P 119-131.

GUALANDI, Frederico da Costa.Medicina tropical no Brasil: Evandro Chagas e os estudos sobre a Leishmaniose visceral americana na década de 1930. Dissertação (Mestrado em História das Ciências e da Saúde) – Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, Rio de Janeiro, 2013. 141f.

MINISTÉRIO da Saúde do Brasil; [et. all]. Termo de constituição da Rede Latino-Americana de História e Patrimônio Cultural da Saúde. Termo de Referência. Salvador, set. 2005.

MONTEIRO, Ricardo Esteves. O cérebro progressivo de Domingos Guedes Cabral em funções do cérebro (1876). Dissertação (Mestrado em História das Ciências e da Saúde) - Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz, Rio de Janeiro, 2011. 109 f.

MOURA, Vanessa de Almeida. Marialzira Perestrello: a trajetória profissional de uma médica e psicanalista carioca (1934-1962). Dissertação (Mestrado em História das Ciências e da Saúde) – Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz,Rio de Janeiro, 2019. 124 f.

OLIVEIRA, Daiane de Jesus. "Da arte de curar à prisão de um ocultista”: ocultismo, magia e ciência em Aracaju, SE (1923-1928). Universidade federal de Sergipe. São Cristóvão, 2014. (Dissertação de mestrado) 114 p.

ROLLEMBERG, Francisco Guimarães. Garcia Moreno. Discurso na Academia Sergipana de Letras. In: Revista da Academia Sergipana de Letras. Aracaju, 1979.

SANGLARD, G. A Primeira República e a Constituição de uma Rede Hospitalar no Distrito Federal. In: PORTO, A. (org.). História da saúde no Rio de Janeiro: instituições e patrimônio arquitetônico (1808-1958). Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2008. P. 24.

SANTANA, Antônio Samarone de. As febres do Aracaju: dos miasmas aos micróbios. São Cristóvão, Universidade Federal de Sergipe, 1997. (Dissertação de Mestrado).

SANTANA, Antônio Samarone; DIAS, Lúcio Antônio Prado; GOMES, Petrônio Andrade. Dicionário biográfico de médicos de Sergipe: séculos XIX e XX. Aracaju: Academia Sergipana de Medicina, 2009.

SILVA, Eugênia Andrade Vieira da. A formação intelectual da Elite Sergipana (1822-1889). 92f. il. 2004. São Cristóvão: Universidade Federal de Sergipe, 2004. (Dissertação de Mestrado em Educação).

SILVA, Henrique Batista. História da medicina em Sergipe. Editoração Eletrônica: Valfredo Avelino dos Santos, 2006.

SILVA, Patrícia de Sousa Nunes. Antônio Garcia Filho (1941-1999), Um intelectual engajado. um intelectual engajado. 165p.: il. 2012 . Aracaju: Universidade Tiradentes, 2012. (Dissertação de Mestrado em Educação).

SILVA, Patrícia de Sousa Nunes. Antônio Garcia Filho (1941-1999), Aracaju: EDISE, 2016.

SOBRAL, Simeão Vieira. A saúde pública em Sergipe. Aracaju: Esf. Graf. José Lins de Carvalho, 1932.

Publicado
2021-01-27
Como Citar
BARBOSA DOS SANTOS, B. Bicentenário de emancipação e a história da saúde em Sergipe:: um campo em desenvolvimento e suas potencialidades. Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, v. 14, n. 27, p. 93 - 122, 27 jan. 2021.