A participação dos elementos populares no processo de independência da América portuguesa: uma discussão

Palavras-chave: Independência, América Portuguesa, participação popular, escravidão, política

Resumo

o artigo indica uma discussão que problematiza a participação dos grupos populares no processo de emancipação da América portuguesa. Caracterizado como um tema marcado pela indisponibilidade de fontes produzidas por esses agentes e pelo protagonismo da elite, questiona-se a difundida ideia de apatia política. Para estruturar essa discussão foram analisados elementos de fundo histórico por meio da análise de documentos e bibliografia selecionada. O reconhecimento da existência de interesses, elaboração de ideias e projetos de sociedade pelos grupos populares implica em verificar formas específicas de interação com o mundo da política, diante das condições possíveis de atuação nessa fase de definição do futuro político dessa ex-colônia.

Abstract:

This article indicates a discussion that problematize the issue of participation of popular groups in the Portuguese America emancipation process. Characterized as a subject marked by unavailability of sources produced by these agents and the role of the elite questions the widespread idea of political apathy. To structure this discussion were analyzed historical background elements through the analysis of documents and selected bibliography. The recognition of interests, development of ideas and projects of society by popular groups implies verify specific forms of interaction with the world of politics, given the possible conditions of performance in this definition phase of the political future of this former colony.

Keywords: Independence, Portuguese America, popular participation, slavery, politics

Biografia do Autor

Edna Maria Matos Antonio, Universidade Federal de Sergipe

Doutora em História e Cultura - Programa de Pós-Graduação em História -

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Profª. Associada do Departamento de História da Universidade Federal de Sergipe

 

Referências

ANTONIO, Edna Maria Matos. A independência do solo que habitamos. São Paulo: Cultura acadêmica, 2012.

ARAÚJO, Ubiratan castro de. “A política dos homens de cor no tempo da Independência”. In: Estudos Avançados, 18, (50), 2004.

BERSTEIN, Serge. “Culturas políticas e historiografia”. In: AZEVEDO, Cecília [et al.]. Cultura política, memória e historiografia. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009.

BERSTEIN, Serge. “A Cultura Política”. In: RIOUX, Jean-Pierre; SIRINELLI, Jean François. Para uma história cultural. Lisboa: Estampa, 1998.

CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite política imperial/Teatro de sombras: a política imperial. Rio de Janeiro: IUPERJ, 1988, p.188.

CARVALHO, Marcus J. M. “Os negros armados pelos brancos e suas independências no Nordeste (1817-1848)”. In: JANCSÓ, Istvan (org.). Independência: História e historiografia. São Paulo: FAPESP/Hucitec, 2005.

COSTA, Wilma Peres. A espada de Dâmocles: o Exército, a Guerra do Paraguai e a crise do Império. São Paulo/Campinas: Hucitec/editora da Unicamp, 1996.

FREIRE, Felisbelo. História de Sergipe. 2. ed. Petrópolis: Vozes e Governo do Estado de Sergipe, 1977.

GRAHAM, Richard. “Ao mesmo tempo sitiantes e sitiados: a luta pela subsistência em Salvador (1822-1823)”. In: István Jancsó (org.) Independência: História e historiografia. São Paulo: Editora Hucitec e Fapesp, 2005.

GRINBERG, Keila. O fiador dos brasileiros: cidadania, escravidão e direito civil no tempo de Antônio Pereira Rebouças. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

GUIMARÃES, Manoel L. S. “Nação e civilização nos trópicos: o IHGB e o projeto de uma História nacional”. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, 1(1): 05-27, 1988.

KRAAY, Hendrik. “Em outra coisa não falavam os pardos, cabras, e crioulos: o recrutamento de escravos na guerra da Independência na Bahia”. Revista Brasileira de História, São Paulo, v.22, n.43, p.109-126, 2002.

MATTOS, Hebe Maria; GRINBERG, Keila. “Lapidário de si mesmo. Antônio Pereira Rebouças e a escrita de si”. IN: GOMES, Ângela de Castro (org). Escrita de si, escrita da História. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

MOREL, Marco. “O abade Grégoire, o Haiti e o Brasil: repercussões no raiar do século XIX”. In: Almanack Brasiliense, n.2, nov. 2005. Revista eletrônica. São Paulo, IEB-USP. Disponível em: http://www.almanack.usp.br/. Acesso em 4 de janeiro de 2011.

MOTT, Luis. Sergipe Del Rey: população, economia e sociedade. Aracaju: Secretaria de Estado da Educação e Cultura, 1986.

MOTT, Luis. “A Revolução dos negros do Haiti e o Brasil”. In: Escravidão, Homossexualidade e Demonologia. São Paulo: Ícone, 1988, p.11-48.

PEREIRA, Luisa Rauter. “O conceito político de povo no período da Independência: história e tempo no debate político (1820-1823)”. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 33, nº 66, p. 31-47, 2013.

PRADO JR, Caio. Evolução política do Brasil: Colônia e império. São Paulo: Brasiliense, 21ª ed., 1999.

QUINTAS, Amaro. “O Nordeste”. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de (org.). História Geral da Civilização Brasileira. São Paulo: Difel,1985, v.1, tomo 2, 7.ed.

REIS, João José. “Nos achamos em campo a tratar a liberdade: resistência negra no Brasil oitocentista”. In: MOTA, Carlos Guilherme. Viagem Incompleta, v.1. São Paulo: Senac, 2000.

REIS, João José. SILVA, Eduardo. Negociação e Conflito: a resistência negra no Brasil Escravista. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

REMÓND, René (Org.). Por uma História Política. 2ª ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003.

RIBEIRO, Gladys Sabina. A liberdade em construção: identidade nacional e conflitos antilusitanos no Primeiro Reinado. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

TAVARES, Luís Henrique Dias. A Independência do Brasil na Bahia. Salvador: Edufba, 2005.

VILHENA, Luís dos Santos. Cartas de Vilhena: notícias soteropolitanas e brasílicas. Bahia: IOF, 1922.

WISIAK, Thomas. “Itinerário da Bahia na Independência do Brasil (1821- 1823)”. In: JANCSÓ, Istvan (org.). Independência: História e historiografia. São Paulo: FAPESP/Hucitec, 2005.

YOUSSEF, Alain. “El Haitianismo em perspectiva comparativa: Brasil e Cuba (sécs. XVIII-XIX)” http://www.escravidaoeliberdade.com.br/site/images/Textos4/alainelyoussef.pdf acesso em 09 de novembro de 2014.

Publicado
2021-01-27
Como Citar
MATOS ANTONIO, E. M. A participação dos elementos populares no processo de independência da América portuguesa: uma discussão. Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, v. 14, n. 27, p. 32 - 53, 27 jan. 2021.