“Quando pensamos em ir embora da nossa cidade, não é porque realmente queremos ir”

a migração de jovens maranhenses para o Centro-Oeste, em busca de trabalho

Palavras-chave: Migração, Jovem, Maranhão, Centro-Oeste

Resumo

Nas últimas décadas, o Maranhão destacou-se como um Estado nordestino que apresentou grande número de emigrantes para outras regiões brasileiras; homens e mulheres, que deixaram seus locais de origem em busca de cidades que possivelmente ofertavam postos de trabalho. Este artigo, tem como objetivo analisar a migração de jovens da cidade de Codó-MA, para o Centro-Oeste do Brasil, em busca de emprego. Utilizamos como metodologia a aplicação de uma entrevista semiestruturada, realizada por meio de uma rede social, através da qual, identificamos que a falta de oportunidade de empregos no município onde residiam e a necessidade de ter uma renda própria após a conclusão da educação básica, foram fatores que impulsionaram a decisão de migrar.

Biografia do Autor

Márcio Douglas de Carvalho e Silva, Universidade Federal do Pará
Doutorando em História Social da Amazônia - UFPA

Mestre em Antropologia UFPI, Especialista em História e Cultura Afro-brasileira e Africana UESPI, Licenciado em História UESPI.

Referências

CAMARANO. A. A. e ABRAMOVAY, R. Êxodo rural, envelhecimento e masculinização no Brasil: panorama dos últimos 50 anos. Texto para Discussão n. 621, IPEA, 1999.

CAMPOS, Marden. Ciclo de vida, estrutura domiciliar e migração no início do século XXI: o caso da Região Metropolitana de São Paulo. Cad. Metrop, São Paulo, v. 20, n. 41, pp. 191-208, jan./abr. 2018.

CODEPLAN. Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios do Distrito Federal – PDADDF – 2015. Brasília: CODEPLAN, 2016. Disponível em: http://www.codeplan.df.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/PDAD-Distrito-Federal-1.pdf

CRUVINEL, Evelyn de Castro. Migração em Goiás entre 2005 e 2015. Goiânia: IMB, 2017.

CUNHA, José Marcos Pinto da. A migração no Centro-Oeste Brasileiro no período 1970-96: o esgotamento de um processo de ocupação. Campinas: UNICAMP, 2002.

Da MATA, Daniel, et al. Migração, Qualificação e Desempenho das Cidades Brasileiras. In: CARVALHO, Alexandre Xavier Ywata, et al. Dinâmica dos municípios. Brasília: Ipea, 2007.

GOLGHER, André Braz; ROSA, Carlos Henrique e ARAÚJO JUNIOR, Ari Francisco de. The determinants of migration in Brazil. Textos para Discussão Cedeplar-UFMG td 268, Cedeplar, Universidade Federal de Minas Gerais, 2005.

IBGE. Cidades. Brasil. Maranhão. Codó. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ma/codo/panorama. Acesso: 19 de abril de 2020.

IBGE. Reflexões Sobre os Deslocamentos Populacionais no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, Estudos e Análises Informação Demográfica e Socioeconômica, 2011.

IBGE. Censo Demográfico 2010. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/ Acesso: 19 de abril de 2020.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD 2007, vol. 28. Rio de Janeiro: IBGE, 2008. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/59/pnad_2007_v28_br.pdf. Acesso: 23 de março de 2020.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD 2008, vol. 29. Rio de Janeiro: IBGE, 2008. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/59/pnad_2008_v29_br.pdf. Acesso: 23 de março de 2020.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD 2009, vol. 30. Rio de Janeiro: IBGE, 2009. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/59/pnad_2009_v30_br.pdf. Acesso: 25 de março de 2020.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD 2013, vol. 33. Rio de Janeiro: IBGE, 2014. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/59/pnad_2013_v33_br.pdf. Acesso: 26 de março de 2020.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD 2015. Rio de Janeiro: IBGE, 2016. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98887.pdf. Acesso: 26 de março de 2020.

IBGE. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira: 2019 / IBGE, Coordenação de População e Indicadores Sociais. -Rio de Janeiro: IBGE, 2019. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101678.pdf

Acesso: 19 de abril de 2020.

MARTINE, George, CARVALHO, José Alberto M, de. Cenários demográficos para o século XXI e algumas implicações sociais Planejamento e Políticas Públicas. Brasília: IPEA, 1989.

OJIMA, Ricardo; FUSCO, Wilson. Migrações e nordestinos pelo Brasil: uma breve contextualização. In: OJIMA, Ricardo; FUSCO, Wilson. Migrações Nordestinas no Século 21 - Um Panorama Recente. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 2015.

PATARRA, N. Projeções Demográficas: velhos desafios e novas fronteiras. São Paulo em Perspectiva. São Paulo, 10(2): 1996, p.12-17.

SANTIN, Valter Foleto. Migração e discriminação de trabalhador. Revista de Informação Legislativa. Brasília a. 44 n. 175 jul./set. 2007.

SARRIERA, Jorge Castellá. et al. Os (Des) Caminhos dos Jovens na sua Passagem da Escola ao Trabalho. In: SARRIERA, Jorge Castellá (Org.). Psicologia comunitária: estudos atuais. Porto Alegre: Sulina, 2000.

TRUZZI, Oswaldo. Redes em processos migratórios. Tempo Social, revista de sociologia da USP, v. 20, n. 01, 2008.

Publicado
2021-07-21
Como Citar
SILVA, M. D. DE C. E. “Quando pensamos em ir embora da nossa cidade, não é porque realmente queremos ir”: a migração de jovens maranhenses para o Centro-Oeste, em busca de trabalho. Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, v. 15, n. 28, p. 203 - 220, 21 jul. 2021.