A Indústria Cultural e o campo regilioso brasileiro contemporâneo

A Oferta de bens simbólicos e as estratégias para conquista e fidelização de fiéis/ clientes

  • José Ferreira Júnior Autarquia Educacional de Serra Talhada - PE (AESET)Faculdade de formação de Professores de Serra Talhada - Fafopst https://orcid.org/0000-0001-8352-8828
  • Janaina Freire Santos Faculdade de Formação de Professores de Serra Talhada - FAFOPST
Palavras-chave: Indústria Cultural, Instituições Religiosas, Mídia

Resumo

Este texto tem como objetivo estabelecer discussão acerca da atuação da indústria cultural no campo religioso brasileiro. Mostra a apropriação das mídias eletrônicas pelas instituições religiosas que a justificam sob o discurso do cumprimento de sua missão de anunciar as “boas novas”. Além disso, expõe as maneiras por que tais instituições buscam conquistar e fidelizar clientes/fiéis, na busca de vender a produção simbólica religiosa que oferecem. É feita exposição teórica do que é a indústria cultural, mostra-se o uso das mídias eletrônicas por ela e, por fim, como atua no campo religioso brasileiro. Trata-se de uma pesquisa qualitativa de cunho exploratório bibliográfico.

Abstract

This text aims to establish a discussion about the role of the cultural industry in the Brazilian religious field. It shows the appropriation of electronic media by religious institutions that justify it under the discourse of fulfilling their mission of announcing the “good news”. In addition, it exposes the ways in which such institutions seek to win and retain customers/faithfuls, in the quest to sell the symbolic religious production they offer. Theoretical exposition is made of what the cultural industry is, the use of electronic media by it and, finally, how it operates in the Brazilian religious field. Discourses of authors who deal with the theme of the use of religion as a commodity, as well as what they say, seeking to justify their practices, renowned Brazilian religious leaders, are brought to the discussion. The discursive clashes existing within the Brazilian religious field are also exposed and analyzed. This is a qualitative research with an exploratory bibliographic nature.

Keywords: Cultural Industry, Religious Institutions, Media.

 

Biografia do Autor

José Ferreira Júnior, Autarquia Educacional de Serra Talhada - PE (AESET)Faculdade de formação de Professores de Serra Talhada - Fafopst

Graduado e especialista em História; Mestre e Doutor em Ciências Sociais (Sociologia); Professor efetivo da Autarquia Educacional de Serra Talhada, lotado na FAculdade de Formação de Professores de Serra Talhada - Fafopst, departamento de História; Pesquisa memória lampiônica no Médio Pajeú e as ações dos produtores culturais;

Janaina Freire Santos, Faculdade de Formação de Professores de Serra Talhada - FAFOPST

Doutora e Mestre em Ciências Sociais pela UFCG. Professora da Faculdade de Formação de Professores de Serra Talhada (FAFOPST) - PE.

Referências

ADORNO, Theodor; HORKHEIM, Max. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro. Jorge Zahar. 1985.

HORKHEIMER, Max; ADORNO, Theodor. Textos escolhidos: traduções São Paulo: Nova Cultural, 1991.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval M. Fragmentos do discurso cultural: por uma análise crítica do discurso sobre a cultura no Brasil. In: Teorias e políticas da cultura: visões multidisciplinares. Salvador. EDUFBA. 2007.

BAPTISTA, Saulo. Pentecostais e Neopentecostais na Política Brasileira: um estudo sobre cultura política, Estado e atores coletivos religiosos no Brasil. São Paulo: Annablume Editora e São Bernardo do Campo: Instituto Metodista Izabela Hendrix, 2009.

BOURDIEU, P; MICELI, S. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1987.

CAMPOS, Leonildo S. A Igreja universal do reino de Deus, um empreendimento religioso atual e seus modos de expansão (Brasil, África e Europa). In: Lusotopie, n°6, 1999. Dynamiques religieuses en lusophonie contemporaine. pp. 355-367. Disponível em https://www.persee.fr/doc/luso_1257-0273_1999_num_6_1_1277 Acesso em 02 de maio de 2021.

CHARTIER, Roger. História Cultural. Entre Práticas e Representações. Lisboa/ Rio de Janeiro: Difel/Bertrand Brasil, 1990.

CLEMENTINO. Ana C L; PASSOS, Paulo. Entre o contexto e as demandas cotidianas: o imaginário como substância terapêutica na Igreja Universal do Reino de Deus. Horizonte. PUC MINAS, v. 15, n. 45. p. 92 – 111. 2017.

CROCCO, Fábio L T. Indústria cultural: ideologia, consumo e semiformação. Revista de Economía Política de las Tecnologías de la Información y Comunicación www.eptic.com.br, vol. XI, n. 1, enero – abril / 2009 Disponível em https://seer.ufs.br/index.php/eptic/article/view/148 Acesso em 01/09/2019.

CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. Bauru. Edusc. 2004

EVANGELISTA, Ely G dos S. Razão instrumental e indústria cultural. Inter-Ação: Rev. Fac. Educ. UFG, 28 (1): 83-101, jan./jun. 2003. Disponível em https://revistas.ufg.br. Acesso em 04 de maio de 2021.

FERRARI, O. A. Bispo S/A: A Igreja Universal do Reino de Deus e o exercício do poder. Ação Social Claretiana: Editora Ave-Maria, 2012.

FERREIRA JÚNIOR, José. Serra Talhada X Triunfo: a disputa da memória de Lampião no Médio Pajeú pernambucano. Tese Doutorado. Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais – PPGCS. Campina Grande-PB. 2014.

FRESTON, Paul. Evangélicos na Política Brasileira: história ambígua e desafio ético. Curitiba: Encontrão Editora, 1994.

FILHO Caio. F d’A. Revista Isto É. 25 de jan. de 1995 : p. 4-7.

JURKEVICS, Vera Irene. Renovação Carismática Católica: Reencantamento do Mundo. In: História: Questões & Debates, n. 40. Curitiba, Editora UFPR, 2004.

KLEIN, Alberto. Imagens de culto e imagens da mídia. Interferências midiáticas no cenário religioso. Porto Alegre: Sulina, 2006.

KOTLER, P. Conquistando clientes, mantendo-os e aumentando sua fidelidade. In: ____.Marketing para o século XXI: como criar, conquistar e dominar mercados. São Paulo: Futura, 1999. (p.155-175)

LARAIA, Roque. Cultura, um conceito antropológico. Brasília. Unb. 2011

MACEDO, Edir. Folha Universal. 7 de julho de 1996.

MACEDO, Edir. Orixás, Caboclos & Guias: deuses ou demônios?. 15ª edição. Rio de Janeiro: Universal, 2005.

MARCUSE, Herbert. A dimensão estética. Portugal: Ed. 70. 1999.

NOVARO, Marcos. Transición democrática y legados autoritarios en Argentina, Chile y Uruguay. Studia Historica. Historia Contemporánea, [s. l.], v. 33, n. 0, p. 17–36, 2015. Disponível em: <http://revistas.usal.es/index.php/article/14492>. Acesso em: 10 maio. 2021

ORTIZ, R. Mundialização: saberes e crenças. São Paulo: Brasiliense, 2006.

PATRIOTA, Karla R M P. A aliança entre religião e a mídia 2009. Disponível em http://www.koinonia.org.br/tpdigital/detalhes.asp?cod_artigo=302&cod_boletim=16&tipo=Artigon

SARAMAGO, José. Folha de São Paulo, 30 de jan. de 1996.

SCHWARTZENBERG. Roger G. O Estado Espetáculo. Rio de Janeiro. Difel. 1978.

YÚDICE, George. A conveniência da cultura. Belo Horizonte. Editora da UFMG. 2004

WEBER, Max. Economia e sociedade. Brasília. UNB. 2010

Publicado
2021-07-21
Como Citar
JÚNIOR, J. F.; SANTOS, J. F. A Indústria Cultural e o campo regilioso brasileiro contemporâneo : A Oferta de bens simbólicos e as estratégias para conquista e fidelização de fiéis/ clientes. Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, v. 15, n. 28, p. 49 - 69, 21 jul. 2021.